Coluna Roraima Alerta

11 de outubro de 2018


- Edinaldo Morais/ Roraima em Tempo

FUNDO DO POÇO?

O governo do Estado está sem dinheiro para pagar os salários dos servidores públicos. Essa é a triste realidade do Estado. Por pura incompetência administrativa, Roraima chegou ao ponto de não poder cumprir a sua maior responsabilidade que é pagar o servidor. É muito estranho que isso ocorra, até porque dinheiro não está faltando, não houve redução do Fundo de Participação dos Estado e a arrecadação local aumentou. Então, por que não tem dinheiro?

CAOS

Enquanto os servidores públicos estão sem dinheiro, os familiares de Suely Campos se transformaram nos maiores empresários de Roraima, sempre usando os famosos laranjas. Conseguiram eleger um deles para a Assembleia Legislativa e outros estão nadando em dinheiro. Não é preciso muito para descobrir que o problema não foi falta de dinheiro e sim a forma com que esse dinheiro foi usado.

MAIS DESCULPA

A Secretaria da Fazenda do Estado  informou que a folha de pagamento dos servidores do governo do Estado foi encaminhada ao Banco do Brasil, porém, devido ao panorama negativo de recursos disponíveis, devido aos bloqueios judiciais e descontos automáticos do Fundo de Participação do Estado, ainda não foi efetuado o pagamento dos servidores da administração direta, exceto os servidores da Secretaria de Educação.

DESCULPA I

A Sefaz esclareceu que a primeira parcela do FPE referente ao mês de outubro foi de R$ 76.200.723,92. Desse total, subtrai-se automaticamente 20% de Fundeb (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica), o que representa R$ 15.240.144,78, além de mais R$ 3.810.036,20 (correspondente a 5 % do MDE - Manutenção do Desenvolvimento do Ensino). Para a saúde foram enviados 18%: R$ 13.716.030,31, além de desconto automático de Pasep, INSS, precatórios, restando, de FPE líquido, a ordem de R$ 35.088.855,63.

BLOQUEIOS

Somente de bloqueios judiciais (duodécimo aos Poderes e repasses às prefeituras), segundo a Sefaz, somada à dívida pública (empréstimo contraído na gestão passada de governo), são R$ 69.025.569,12, sendo que a disponibilidade existente é de R$ 35.088.855,63 (FPE líquido). O maior valor bloqueado é o do Tribunal de Justiça, num total de R$ 22.899.999,99.

BALELA

Esse tipo de desculpa mostra o quanto foi incompetente a atual gestão. Não pagou ninguém e o dinheiro sumiu. Se tivesse pagado, não teria tantos problemas. Outro detalhe, verba do Fundeb não está incluída no FPE e mesmo assim não são todos os servidores da Educação que receberam o salário. Na verdade, não há nada que justifique o atraso. O que é preciso é uma ampla investigação nas contas e despesas do governo para saber o que foi feito com o dinheiro que o Estado recebeu nos últimos anos.

OPERAÇÃO

A PRF realizará a Operação Nossa Senhora Aparecida 2018 em todo o Brasil. Em alguns estados, as ações serão realizadas com maior intensidade devido aos eventos religiosos que ocorrerão. Em outros, haverá fiscalização, mas com enfoque para o trânsito devido ao fluxo de veículos no feriado, como é o caso de Roraima. A operação se inicia dia 11 e segue até dia 14 deste mês.

ELEIÇÕES

Os candidatos que vão disputar o segundo turno das eleições estão com a pulga atrás da orelha. Eles não sabem se receber o apoio da governadora e seu grupo é uma boa ideia. Muitos acreditam que quem se unir a Suely Campos tem mais chance de ser derrotado do que de ganhar votos transferidos por ela.

VEJA TAMBÉM...