Coluna Roraima Alerta

11 de setembro de 2018


Pedido de impeachment contra Suely é repassado à Procuradoria Geral da ALE - Arquivo/Roraima em Tempo

EXPECTATIVA

O ofício do Tribunal de Contas de Roraima com pedido de instauração de processo de afastamento da governadora Suely Campos (PP) por crime de responsabilidade foi encaminhado à Procuradoria-Geral do Poder Legislativo. A expectativa agora é quanto ao recebimento da denúncia e a leitura durante sessão ordinária que pode acontecer ainda esta semana. Após isto, o documento será encaminhado a uma Comissão Especial.

LADAINHA

Vale destacar que a governadora responde a pelo menos cinco pedidos de afastamento, em menos de quatro anos de mandato. Esta, sem dúvida, é uma de suas principais marcas, assim como a "teimosia" em desrespeitar recomendações de órgãos de fiscalização e decisões da Justiça, dando sempre interpretações próprias para as ilegalidades cometidas por este governo, com a velha ladainha de que tudo não passa de consequência de heranças de administrações anteriores.

DAR DE OMBROS

Em menos de quatro anos de mandato, vários foram os rolos deste governo que levaram a ações na Justiça, recomendações, representações, enfim, todo um rol de denúncias contra a atual gestão que só reforça a incompetência administrativa de quem deixa muito a desejar quando o assunto é transparência. Principalmente, no trato de recursos públicos, sejam eles "locais" ou federais. 

INÍCIO

Em 2015, um dos primeiros rolos do governo foi com o Ministério Público de Contas, quando da criação sob medida do cargo de "consultor especial da governadoria" para o agora presidiário Neudo Campos, marido da governadora, função esta ocupada de maio daquele ano a fevereiro de 2016. O pedido de afastamento do MPC se baseou na caracterização de crime de responsabilidade cometido pela chefe do Executivo e da então secretária-chefe da Casa Civil, Danielle Campos, filha de Neudo e Suely.

DESVIOS

Dois anos depois, em 2017, uma Comissão Parlamentar de Inquérito foi criada para apurar as condições do sistema prisional do Estado, que apontou desvio de mais de R$ 3,5 milhões de recursos federais que deveriam ser usados, entre outras coisas, para a construção de um novo presídio e melhorias da Segurança Pública. O caso virou alvo de investigação da PF e de críticas do governo federal, por meio do ministro Raul Jungmann, em visita recente a Roraima.

NA MESMA TECLA

Em julho deste ano, foi a vez do Ministério Público de Roraima (MPRR) ajuizar uma ação contra Suely Campos, e mais uma vez o motivo foi a precariedade do sistema prisional. Segundo o órgão, é evidente a violação dos direitos humanos na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, palco de fugas em massa e mortes com requintes de crueldade.  A governadora foi acusada de improbidade administrativa.

ESTELIONATO

E todos sabem que são incontáveis as suspeitas sobre este governo que aí está, principalmente quando as suas decisões envolvem recursos financeiros. Enquanto as denúncias se avolumam, os problemas em setores como Saúde, Educação e Segurança Pública se agravam, deixando reféns de uma administração inepta milhares de pessoas em todo o Estado, como pacientes em hospitais ineficientes e estudantes do interior que não vão às aulas por falta de transporte. Anos de cão para uma população vítima de um verdadeiro estelionato eleitoral.

VEJA TAMBÉM...