Coluna Roraima Alerta

Boa Vista perde recursos para asfalto e drenagem

070619 RR Alerta


Absurdo

A decisão da bancada de parlamentares federais do Estado que zeraram a única emenda impositiva prevista para o município de Boa Vista só pode ser classificada como absurda. Não há justificativa racional para o que esses deputados e senadores fizeram porque essa emenda era um recurso garantido e aprovado pelo Governo Federal, que a Prefeitura de Boa Vista usaria para fazer mais obras de drenagem em sete bairros da capital. Tudo indica que se trata de uma atitude politiqueira, visando as eleições municipais que estão se aproximando.

 

Contingenciamento

O Governo Federal já havia anunciando a necessidade de se fazer um contingenciamento das emendas impositivas, reduzindo 20% em cada, e a Prefeitura de Boa Vista estava pronta para trabalhar com um recurso menor, mas que daria condições para melhorar a infraestrutura de mais ruas da capital. A surpresa é que, ao invés de seguirem a orientação do Governo Federal, a bancada optou por retirar todo o dinheiro que viria para a capital. Nas outras emendas, deputados e senadores mantiveram o desconto de 20%. Mais um indicativo de que a briga política para as eleições 2020 já começou.

 

Perdeu

Quem mais perde com essa decisão arbitrária são os moradores da capital. Boa Vista concentra 70% da população de todo o Estado e, no meio do inverno é perceptível como as obras de drenagem são necessárias para evitar transtornos causados pela chuva. Não é fácil priorizar uma capital tão pequena como Boa Vista e por isso, todo o recurso que é aprovado para o município precisa ser valorizado. Mesmo com a organização e planejamento orçamentário feito pela gestão municipal, o orçamento da capital é pequeno e não sobra para investir na construção de drenagem e de asfalto. Essa é a mesma realidade vivenciada pelos municípios do interior: todos dependem das emendas e de recursos federais.

 

Criticou

O presidente Nacional do MDB, Romero Jucá se manifestou sobre a decisão da bancada. Ele e a ex-deputada federal Maria Helena Veronese, foram autores da emenda zerada pelos atuais parlamentares de Roraima. Para Jucá, a medida de contingenciamento proposta pelo Governo Federal deveria ser aplicada de maneira igualitária entre todas as emendas destinadas ao Estado e não de forma isolada, penalizando apenas Boa Vista. Ele lamentou a postura da bancada e considerou o ato como não democrático. Quando senador, Jucá sempre foi o parlamentar que mais destinou recursos para Roraima, atendendo a todas as prefeituras e também ao governo local. O que o ex-senador conseguia para o Estado em volume de recursos era sempre superior ao que os outros parlamentares juntos. Até o momento, nenhum dos atuais eleitos assumiu essa postura de protagonismo que Jucá tinha para defender os interesses de Roraima. E considerando a postura demonstrada agora, tudo indica que a população ainda vai sentir muita saudade do ex-senador.

 

Atingir

O que dá a entender é que a intenção desses deputados e senadores é atingir a prefeita Teresa Surita (MDB), inviabilizando o seu trabalho. Mas, Teresa nem concorrerá à prefeitura nas próximas eleições, além disso seu trabalho está consolidado. São cinco mandatos onde a população acompanhou as principais transformações e melhorias realizadas na cidade. Boa Vista é considerada uma das melhores capitais para se viver e encanta qualquer visitante que chega. É referência na educação pública infantil e no trabalho com a Primeira Infância, portanto, Teresa não tem que provar mais nada para quem a elegeu com mais dos 80% dos votos válidos no último pleito. Triste é saber que ao invés de pensar no desenvolvimento de Boa Vista e do Estado, os parlamentares que assinaram a medida só estão pensando mesmo nas próximas eleições.

 

Disputa

Entre os nove que assinaram o documento há um desejo comum: a disputa pelo comando da Prefeitura de Boa Vista. O deputado Hiran Gonçalves (PP), que é o líder da bancada já lançou sua esposa Gerlani Bacarin como pré-candidata. Jhonatan de Jesus (PRB) também anda sondando sua aceitação junto à população para o cargo. Shéridan (PSDB) chegou a se indispor com outros membros do partido em Roraima depois que a Dra Eugênia Glayci manifestou o interesse em concorrer ao cargo, a pseudo-viúva tem sim interesse em comandar o município. Os nomes dos deputados Haroldo da Cathedral (PSD) e Nicoletti (PSL) também são cotados como pré-candidatos. Até Telmário Mota (PROS) deve vir pra disputa novamente. Inadmissível é que o comportamento do embate político que só deveria acontece em 2020, comprometa o trabalho legislativo para o qual todos eles foram eleitos. Ao conquistar o voto, assumiram também a responsabilidade de trabalhar pela população e não contra ela.

 

Tentou

O líder da bancada, Hiran Gonçalves convocou uma coletiva para tentar justificar o ato praticado pela bancada. Segundo ele, Boa Vista tinha sido atendida com R$ 70 milhões, dos quais R$ 40 milhões foram usados. Segundo Hiran, com a ordem para o contingenciamento, o grupo de parlamentares decidiu priorizar as emendas de saúde e segurança. A explicação não justifica zeras recursos que já possuíam uma destinação certa, se queriam atender à orientação do contingenciamento, porque não descontaram apenas os 20% propostos pelo Governo Federal? Ao tentar explicar o absurdo cometido, Hiran acabou se comprometendo mais ainda. Ele também revelou que o senador Mecias de Jesus (PRB) só não assinou o documento porque estava viajando por motivos de saúde. Apenas o deputado Otacir Nascimento (SD) se opôs à proposta da bancada.

 

Ranking

Circula nas redes sociais o ranking dos políticos de Roraima com o resultado da avaliação que o site políticos.org.br faz. Para a avaliação, eles consideram critérios como assiduidade nas sessões e comissões; qualidade das propostas apresentadas; gastos com privilégios concedidos aos parlamentares, entre outros. No comparativo compartilhado recentemente, o que chama atenção é o resultado obtido pela deputada Shéridan. Ela aparece atrás de três novatos no Congresso Nacional, perdendo até para a iniciante Joênia Wapichana (REDE). Ao que tudo indica a agenda de eventos sociais, festas e viagens internacionais comprometeu bastante o rendimento de Shéridan no Congresso Nacional.

 

Expectativa

Depois de conseguir autorização da Assembleia Legislativa para fazer a repactuação da dívidas dos Estado, o governado Antonio Denarium terá que apresentar em breve, seu projeto de redução de despesas e que áreas serão afetadas com o corte de gastos. Os servidores seguem apreensivos e os deputados que deram voto favorável à medida, afirmam que nenhuma alteração em benefícios ou direitos concedidos aos trabalhadores estaduais será feita sem passar por uma criteriosa análise da Casa. Pelo que se ouve no Palácio do Governo, Denarium deve aproveitar o ensejo para finalmente, apresentar a proposta de Reforma Administrativa e enxugar a máquina estadual. Ainda não se sabe quantas secretarias serão efetivamente mantidas, mas a proposta inicial do governo era bem ousada, tentando reduzir de 37 para apenas nove o total das pastas. A aposta agora é para saber quais dos aliados de Denarium terá prioridade nesse processo conquistando o comando das secretarias. Mas, existe uma aposta muito grande de que o governador vai usar a Reforma para fazer uma limpa nos cargos dos primeiros e segundo escalão, tirando a administração da influencia de alguns aliados.


SEE ALSO ...