Coluna Roraima Alerta

Fronteira aberta?

Telmário muda discurso e depois de defender fechamento, negocia reabertura da fronteira


Não sabe o que diz

Que o senador Telmário Mota (PROS) tem sérios problemas para se expressar, a gente já sabe. Mesmo afirmando possuir nível superior na área de Economia, o parlamentar demonstrou várias vezes que não domina nem o bom português e menos ainda, a ciência exata dos números. É só lembrar o seu discursos (HILÁRIO) sobre a possível ameaça do planeta Nibiru. Na tribuna do Senado Federal, Telmário informou que a Terra poderia ser atingida pelo outro planeta e muito preocupado, ainda alertou para o risco eminente de parte da população mundial ser afetada. Em seu discurso, o senador disse "com isso, dois terços da humanidade perecerão, e dois terços morrerão de fome". Bom, não precisa ser gênio para ver que a matemática não bate. E pra completar, Telmário ainda afirmou que seus assessores iriam fazer um estudo para ver se o planeta Nibiru está realmente se aproximando da Terra. Deve ser o gabinete mais tecnológico do Senado Federal.

 

Abre ou Fecha?

E toda essa introdução serve para contextualizar a nova confusão mental de Telmário, desta vez, repercutindo a questão da crise migratória enfrentada por Roraima devido a situação na Venezuela. Logo que a migração descontrolada começou, o parlamentar gravou um dos seus famosos vídeos e disparou nos grupos de whats defendendo o fechamento da fronteira. Telmário chega a sugerir que fosse usada a polícia estadual para tratar dessa situação que é de natureza totalmente diplomática. Ainda bem que ele não é governador. Pois bem, recentemente, o discurso de Telmário mudou. Agora, o parlamentar defende aos quatro cantos que a fronteira deve ser reaberta porque prejudica a economia e as famílias que transitam entre os dois países. É muito difícil conquistar a credibilidade quando a opinião é tão volátil.

 

Deveria

No caso de Telmário, sua grande preocupação deveria mesmo ser esclarecer o caso de agressão do qual ele é acusado. O processo está na Justiça Estadual e parado! Um absurdo, afinal é de interesse da sociedade que, se culpado, Telmário sofra as penalidades correspondentes ao mal ato praticado. Ou, se inocente, que se livre de qualquer desconfiança. O problema é que as provas são muito contundentes contra o parlamentar. A vítima, uma estudante, registrou o Boletim de Ocorrência acompanhada de seu advogado, relatou detalhadamente, as agressões e ameaças que sofreu e ainda reveleu que mantinha um caso extraconjugal há três anos com o parlamentar. Considerando a data do registro do fato, a estudante ainda era menor de idade quando se envolveu com Telmário. Logo que o caso se tornou público, o senador negou as acusações. Em seguida, foi a própria estudante que tentou desmentir tudo, numa clara situação de quem foi chantageada. A questão é: o fato existe, a denúncia foi registrada, com laudo, boletim de ocorrência e testemunhas. Mas, a justiça segue lenta e é essa lentidão que em alguns casos, faz a diferença entre a vida e a morte de uma mulher.

 

 

Expectativa

Depois de somar 18 assinaturas, a expectativa para esta semana é que o requerimento que pede a implantação de uma CPI para investigar os contratos da Secretaria Estadual de Saúde seja aprovado pelos deputados estaduais. O pedido surgiu depois das declarações feitas pelo ex-secretário estadual Ailton Wanderlei sobre o comando político da pasta. Nas entrelinhas do desabafo, o ex-gestor acusou deputados estadual, federais e até senadores de se beneficiarem financeiramente dos contratos da Saúde. Essa também seria uma das questões fundamentais para a péssima qualidade dos serviços presados. E mesmo com todas as promessas feitas pelo governador Antonio Denarium (PSL) e com a autorização de compras emergenciais, as reclamações sobre falta de medicamentos e materiais só se acumulam. Até agora, nada mudou na gestão da Saúde e a população segue sofrendo os impactos da corrupção denunciada por Ailton Wanderley.

 

Tem que continuar

Uma das grandes preocupações é fazer com que a Assembleia aprove o requerimento e dê andamento às investigações. A população quer saber quem são dos parlamentares, donos de empresas, que estão se beneficiaram e continuam se beneficiando dos recursos da pasta. De conhecimento público, há uma grande suspeita envolvendo o senador Mecias de Jesus (PRB), devido sua ligação direta com os donos da empresa União Comércio e Serviço LTDA. A União recebeu entre 2015 e 2018, mais de R$ 80 milhões em contratos com o governo, a maior parte firmados com a Sesau. Neste mesmo período, Mecias era da base de apoio da ex-governadora Suely Campos e fez questão de aprovar uma lei estadual que ampliou os recursos do orçamento da Saúde de 12% para 18%. Estranho é que, agora Mecias aliados de Denarium, não abriu a boca quando o governador recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para revogar essa lei.

 

 

Para onde vai

A questão é: a Saúde tem dinheiro. Só em 2018, foram mais de R$ 1 milhão por mês de recurso suplementar liberados pelo Ministério da Saúde para atender ao Estado devido a crise migratória. O problema é que ninguém sabe para onde esse dinheiro foi porque, na prática, nada mudou, nada melhorou. E a situação se repete. Denarium já falou em alto e bom tom que há provas de desvios cometidos na gestão anterior dos recursos que deveriam ser usados para concluir a obra de ampliação do HGR. O ex-secretário disse que o dinheiro da saúde beneficia parlamentares, portanto, é só a CPI da ALE seguir os rastros para saber em que conta foi parar o dinheiro que deveria servir para comprar remédios e melhorar o atendimento à população.


SEE ALSO ...