Coluna Roraima Alerta

Opinião: as imagens 'sedutoras' do senador Telmário Mota viralizadas nas redes sociais


SEDUÇÃO

Impossível abrir a coluna desta segunda sem comentar o vídeo vazado do senador Telmário Mota (PROS). Na imagem, ele aparece sem roupa, em frente a um espelho, todo sorridente e faz uma pose para mostrar os músculos. Fica nítido que ele fez o vídeo em tom de sedução para enviar a alguma das suas correligionárias, apelido que, segundo os mais próximos, ele aplica às moças que assedia. Dizem que quem vazou o vídeo, o fez em tom de ameaça ao parlamentar e que não teria mostrado o restante da gravação, onde as imagens são bem mais impróprias. Mas, o episódio só reforça a fama de galanteador do senador que inclusive, responde a processo por ter agredido uma jovem com quem mantinha um relacionamento extraconjungal há pelo menos três anos. Detalhe: a contar da data da agressão, o início desse relacionamento foi quando a mesma ainda era menor de idade. E existem outras histórias bem cabeludas envolvendo o nome do parlamentar que nunca vieram à tona porque o mesmo se revestiu do poder. O que é lamentável, afinal são situações como essa que colocam Roraima como o Estado mais violento para as mulheres. Enquanto isso, Telmário segue fazendo o seu eleitor e todos os roraimenses passarem mal de tanta vergonha. 

PRODUÇÃO

Não é de hoje que o governador Antonio Denarium (PSL) se mostra um entusiasta da produção agrícola. Ele mesmo, filho de produtor rural, formou sua base política com apoio de vários colegas do setor que hoje, também figuram em alguns cargos ocupados no primeiro e segundo escalão do governo. Neste final de semana, Denarium compartilhou em suas redes sociais o trabalho que fez em sua propriedade. Mostrou o empenho da equipe que seguiu noite à dentro para concluir os trabalho e a pausa que fez para uma entrevista a um veículo especializado em notícias do campo. Nada disso seria problema, se o Estado não estivesse enfrentando muitas dificuldades. 

MISTURANDO

O Governador tem total direito de seguir sua vida, até porque, não se sabe até quando ele permanecerá no poder. Alguns apostam que até dezembro o Estado terá novas eleições governamentais e Denarium, assim como qualquer outra pessoa terá que continuar sua vida comumente, caso isso aconteça. O problema é que as publicações do governador foram mais uma vez, usadas por sua oposição para tecer ácidas críticas. Teve gente que cobrou os salários atrasados das terceirizadas, outros os concursos públicos e outros chegaram ao ponto de afirmar que a gestão de Denarium só funciona para benefícios dos seus colegas produtores e empresários. Num ambiente como Roraima, onde a maturidade política é baixa, expor o privado é motivo para ser cobrado pelo público. 

ENTREGOU

Falando no governador, o mesmo fez questão de dar publicidade a iniciativa de denunciar o que classificou como desvios de recursos públicos praticados pela gestão anterior em relação a diversas obras. O governador fez um levantamento com as informações necessárias tanto para que os órgãos de controle iniciem uma investigação e punam os responsáveis quanto para que, junto ao Governo Federal, ele tenha condições de justificar a continuidade dessas obras que são, em sua maioria, importantes para a infraestrutura e economia do Estado. Lamentável é que há anos se venha falando dos desmandos e falcatruas cometidos pela família Campos, enquanto Suely esteve no poder e que, nada foi feito em relação a isso. 

PARCERIA

Claro que Suely não desmantelou o Estado sozinha. Ela contou com o apoio dos filhos que fez questão de nomear para os cargos de primeiro escalão do governo e de apoiadores que, mesmo diante de tantas dificuldades enfrentadas pela população, atraso no pagamento de salários, suspensão no pagamento dos fornecedores e todo o resto de dissabor vivido nos últimos anos, se mantiveram fiéis à Suely. Não é preciso forçar muito a memória para lembrar dos nomes que estavam sempre colados na gestores e que, abriram mão do seu papel constitucional de lutar pelo povo, para defender Suely Campos. 

SEMPRE JUNTOS

Começamos com a ex-senadora Ângela Portela que sempre se colocou como amiga dos professores, mas não moveu uma palha para garantir os direitos de quem educa as novas gerações. Ao lado de Suely, também estava o deputado federal Hiran Gonçalves (PP), que chegou a ter um desentendimento com a gestora por conta do comando da sigla partidária, mas seguiu apoiando e defendendo cada decisão de Suely e nunca questionou pra onde estava indo o dinheiro da Saúde. Aliás, o comando da Saúde na gestão Suely ficou nas mãos do seu aliado Mecias de Jesus (PRB), o mesmo que criou uma PEC para ampliar o orçamento da pasta e o mesmo que tem ligação direta com empresas que prestavam serviço para a Saúde. Mecias só largou o osso depois que decidiu pular para o palanque de Denarium. Seu filho Jhonatan (PRB) seguiu os passos do pai e, mesmo como médico, segue calado diante dos graves problemas da saúde pública estadual. 

PIZZOLATTI

Quem lembra do secretario super protegido de Suely, João Pizzolatti? Mesmo atolado em acusações e condenações, ele ganhou um bom cargo na gestão da governadora, confirmando que o compromisso de Suely sempre foi com os seus e nunca com o Estado. Colocou no bolso muito dinheiro de Roraima, o que vinha do salário e das diárias pagas para representar o Estado em conversas com potenciais investidores. Uma vergonha que foi amplamente denunciada. Mas, nem Suely e nenhum dos seus parceiros falou nada. Pizollati foi afastado do governo por força da justiça, a mesma que determinou na última semana, a sua prisão. Ele era considerado foragido desde o dia 9 de maio. Um belo retrato da equipe de apoiadores de Suely Campos. 

PARALISADOS

Mesmo com tantas denúncias, sensação que se tem é de que os órgãos de controle e fiscalização, seja o Ministério Público Estadual, o Tribunal de Contas, Ministério Público de Contas e outros estão paralisados diante de tantas denuncias e evidências escancaradas de roubo do dinheiro público praticado por Suely e seus apoiadores. Mas, nada fizeram. E seguem inertes mesmo com as suspeitas levantadas pelo ex-secretário estadual de Saúde, Ailton Wanderley. Na Assembleia Legislativa não se fala mais nada da CPI da saúde, mas isso não impede que os órgãos responsáveis por zelar pelo bem público façam isso. Aliás, é dever deles e a sociedade precisa cobrara. Um parêntese: neste caso o bem público não é apenas a verba que vem para a pasta, mas principalmente, o impacto que sua má aplicação causa à população. 

CADÊ A REFORMA?

Falando em cobranças da população, Denarium assumiu o compromisso de reduzir a maquina pública. Provou com números que era necessário cortar cargos em comissão e reduzir o número de secretarias, justificou com a economia que isso geraria para os cofres públicos do Estado, atolados em dívidas que, segundo dizem, ele está supervalorizando. Mas, até agora nada do que foi anunciado pelo governador foi feito. A Reforma Administrativa não saiu do papel e a indignação com as madames, filhinhos de papai e outros coleguinhas privilegiados que estão ocupando cargos na estrutura do Estado só aumenta entre os servidores efetivos e até entre aqueles que realmente, se dedicam a sua função. Internamente, a gestão de Denarium segue enfrentando duras críticas por parte dos servidores públicos que aliás, se sentem perseguidos pelas Ações Diretas de Inconstitucionalidade apresentadas pelo Governo. 


SEE ALSO ...