Coluna Roraima Alerta

Opinião: Por onde anda o vice-governador?

300519 RR Alerta


ONDE ESTÁ?

Leitor atento aqui da Coluna enviou mensagem para o Portal RR Em Tempo perguntando onde está o vice-governador Frutuoso Lins (PTC)? A pergunta é muito pertinente, especialmente, no cenário atual em que está a saúde estadual. Há pouco menos de três meses, o vice-governador protagonizou um momento delicado para o Governo. Usou suas redes sociais para fazer um desabafo, onde dizia que não seria um mero coadjuvante nas decisões governamentais. O texto ganhou ampla repercussões e gerou novos comentários feitos tanto pro Frutuoso quanto por Antonio Denarium (PSL). No fim, tudo voltou a ser um mar de rosas entre os dois, mas desde dia, não se vê mais o vice-governador em destaque nas ações do Executivo Estadual com tanta frequência. 

VERGONHA?

O mesmo leitor sugere que Frutuoso tenha saído de cena por estar com vergonha da atual condição da saúde estadual. O próprio vice-governador chegou a afirmar que não concordava com determinadas decisões do Governo, mas não disse quais. O clima de tensão imperou sobre os dois e agora, Frutuoso volta a ser lembrado por ser médico e por ocupar o segundo posto no comando do Executivo Estadual. As cobranças pela melhoria da saúde estão sendo direcionadas a ele que conhece bem essa realidade pois servia à população como médico. Agora, como gestor esperava-se que o olhar fosse mais atento em busca de uma solução para os problemas. Mas, isso não aconteceu. De qualquer forma, fica valendo a pergunta: onde está o vice-governador? 

AÇÃO

Depois de uma enxurrada de críticas motivadas especialmente, pela morte da idosa Cícera Sales do Nascimento, que ganhou visibilidade depois que um vídeo feito pro sua filha desesperada viralizou nas redes sociais. Na gravação, a filha afirma que a mãe estava sendo mal cuidada, que estava com duas feridas na cabeça e que, por falta de higiene, a idosa estava com tapurus. No dia seguinte da gravação, a idosa não resistiu e morreu. A família acusa que houve negligência e os fatos estão sendo apurados pela Ouvidoria do próprio Hospital Geral de Roraima. Com o caos instalado, Denarium reuniu nesta quarta (29), a comissão estratégica da saúde e fez duras cobranças. 

ASSUSTADO

Quem participou do momento afirma que a postura de Denarium deixou muita gente assustada. Firme e até grosseiro em algumas cobranças, o governador disse que "não admite que pacientes sejam mal atendidos". Cobrou a agilidade nos processos, inclusive porque decidiu ampliar por mais 90 dias o estado de calamidade na saúde. Também mandou uma direta firme para os profissionais da área ao dizer que todos estão recebendo seus salários em dia. Esse aliás, é um outro ponto de tensão que o governo enfrenta. Segundo consta, a folha da cooperativa de médicos chega a valores astronômicos, mas nem todos cumprem os plantões que são cobrados, desconfiança que gerou uma certa rusga entre Denarium e a classe médica.

FINALMENTE

O que mais chama atenção nas postura do governador é que finalmente, ele se posicionou. Nos últimos dias, mesmo com a crise da saúde no auge, Denarium manteve sua agenda institucional de atração de investidores como destaque da sua comunicação. A impressão é que ele estava totalmente fora de sintonia com o caos da saúde de Roraima. Ao se posicionar desta forma, o governador atende a expectativa de quem o elegeu e mostra que tem responsabilidade com o discurso que usou na campanha. Falta agora, transformar esse discurso em ação prática, gerando as melhorias que a população espera. 

TRANSPARÊNCIA

Mesmo com uma reação positiva em relação ao enfrentamento deste problema, Denarium segue pecando num dos itens que era marca da sua gestão: a transparência. O governador não apresentou nenhum dado sobre os primeiros 180 dias de decreto de calamidade na saúde. O que foi feito? O que foi comprado? Quanto foi gasto? Pra onde foi esse material? Por que ainda falta tudo no Hospital Geral e na Maternidade? São perguntas que a população faz e que ainda seguem sem resposta. Para quem usa o raciocínio lógico, a descrença ainda é grande: 'se não melhorou nada em 180 dias, que dirá em 90!'. 

QUESTÃO ENERGÉTICA

O tema voltou a ser o centro das atenções nesta semana com as audiências públicas realizadas tanto na Assembleia quanto na Câmara Municipal. Apesar de todos os esclarecimentos trazidos, fica evidente que a população e até os próprios parlamentares, tem como finte principal de suas informações as famosas fake news. Por exemplo, alguns insistem em dizer que a tarifa aumentou. Mas, isso não é verdade. O último reajuste na tarifa de energia em Roraima foi feito em novembro do ano passado. E é assim, conforme o calendário organizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), o reajuste anual para Roraima entra em vigor sempre no dia 1o de novembro. 

MAIS CARA

Outra fake news que insistem em reproduzir localmente é que as térmicas deixaram a energia de Roraima mais cara. Isso não acontece porque os custos da geração térmica são subsidiados pela Conta de Consumo de Combustíveis, o CCC, criado pela Lei nº 5.899, de 5 de julho de 1973, para que localidades em sistemas isolados não arquem com todo o custo dessa geração, e paguem um preço semelhante ao que é praticado no restante do país. Assim, tanto o que Roraima, quanto o que parte do Amazonas e Rondônia gastam com a produção de energia térmica é dividido entre TODOS os brasileiros. Portanto, Roraima não tem a energia mais cara do Brasil, a tarifa cobrada para os consumidores locais é mais barata que a do Amazonas e do Pará, por exemplo. 

TÉRMICAS

E pra quem ainda não entendeu a importância das termoelétricas, basta acessar os sites com notícias da Venezuela para saber que o país vizinho enfrenta o caos no setor. Hoje, Guri não tem condições nem de abastecer todo o país que dirá exportar energia para o Brasil. Vale lembrar também que em 2018, foram mais de 72 blecautes sem nenhum aviso prévio, gerados pela interrupção na transmissão de energia de Guri, que causaram muitos transtornos à população. Considerando isso, foi que a ANEEL autorizou, em 7 de março, que o Estado fosse mantido exclusivamente pela geração térmica. Neste período, a Venezuela viveu longos períodos de apagão e Roraima teve energia, porque estava ligada às térmicas. Até que Tucuruí chegue é essa a solução para a geração de energia em Roraima. Não há o que questionar. Tanto que o presidente Bolsonaro autorizou contratar mais 30 megawhats desse tipo de energia para atender o Estado. 

MASSA DE MANOBRA

A previsão é que Tucuruí fique pronta em 2021 e, esse também é o prazo dado para a instalação dos parques de energia renovável que devem ser negociados no leilão desta quinta-feira (31). Por fim, a Coluna reconhece que as quedas de energia incomodam e causam danos, mas já passou da hora de toda a população discutir isso de maneira responsável e não politiqueira, como massa de manobra de quem só quer se favorecer em cima do problema, mas não tem nenhuma capacidade para resolvê-lo.


SEE ALSO ...