Coluna Roraima Alerta

Roraima Alerta 02.10.2018


Agentes cumprem cinco mandados em Boa Vista - Divulgação/PF

REFORÇO

A Polícia Federal de Roraima pediu reforço ao Ministério da Segurança Pública para evitar que delitos eleitorais sejam cometidos nesta semana que antecede as eleições. O objetivo é evitar a compra de votos e outros crimes eleitorais, como doação de bens. O reforço deve chegar a Roraima até quarta-feira.

OPERAÇÃO

Ontem, a Polícia federal desencadeou operação para evitar que a Previdência Social tivesse prejuízo de cerca de R$ 600 mil. Um candidato a deputado estadual e um médico estariam fraudando documentos para que eleitores fossem aposentados indevidamente. O nome do candidato não foi revelado pela PF.

COMPRA

E é bom que a Polícia Federal receba reforço nesta reta final da campanha eleitoral. Tem muitos candidatos que estão preparando bocas de urna para comprar votos na noite anterior e no dia da eleição. Sabe-se que uma concorrente teria prometido pagar R$ 500 por voto durante a madrugada de domingo em vários pontos de Boa Vista e do interior. Uma denúncia foi feita por uma pessoa que trabalhava no comitê da candidata.

VOTOS

Outra denúncia dá conta de um esquema de doação de lotes de terras na área rural de Boa Vista. É possível que a Justiça Eleitoral esteja investigando, para evitar que eleitores troquem seus votos por uma simples promessa.

SEM PAGAMENTO

Enquanto se fala muito de compra de votos e fartura de dinheiro para o ilícito eleitoral, servidores públicos do Estado estão se perguntando se vão receber seus salários antes da eleição, como manda o figurino. A expectativa é grande, pois o Estado está todo enrolado com os bloqueios judiciais.

SEM DINHEIRO

Os servidores da Companhia Energética de Roraima estão comendo o "pão que o diabo amaçou", pois faz mais de dois meses que eles não veem a cor do dinheiro do salário. Pior é que ninguém do governo dá qualquer tipo de informação, passando a impressão de que não há nenhuma vontade de pagar os atrasados.

DENÚNCIAS

Os eleitores denunciaram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) 16.169 atos irregulares cometidos pelos candidatos e seus aliados durante o atual período eleitoral, até agora. A maioria das irregularidades denunciadas por meio do aplicativo Pardal foi de propaganda irregular - 11.019 registros.

DENÚNCIAS I

A região com maior número de denúncias foi o Nordeste: 5.937, o que representa 36,7% do total. Da região Sudeste, saíram 4.511 registros, sendo 2.379 de São Paulo, o maior colégio eleitoral do país. Os moradores dos estados do Sul fizeram outras 2.338 denúncias e do Centro-Oeste, 2.040. Dos sete estados do Norte, foram feitos 1.343 registros.

VEJA TAMBÉM...