Coluna Roraima Alerta

Roraima Alerta 05.12.18


MARÉ RUIM

A maré não anda nada favorável para Suely Campos (PP) nos seus menos de 30 dias para o fim do mandato, com a Polícia Federal trazendo à tona as falcatruas ocorridas durante a sua administração. Semana passada, uma operação levou para a cadeia 11 pessoas envolvidas em maracutaias que desviaram pelo menos R$ 70 milhões do Sistema Prisional de Roraima. Entre os presos, dois ex-secretários de Justiça da gestão atual e um dos filhos da mandatária. Ontem, outra operação da PF, dessa vez com mira em fraudes na merenda escolar, prendeu um ex-secretário-adjunto da Educação e outras três pessoas.

 

ESQUEMA CRIMINOSO

Os desvios promovidos pelo ex-adunto da Educação Shiská Palamitshchece e sua turma ocorreram, de acordo com a PF, entre 2016 e 2018. Os recursos eram provenientes do programa federal Mais Educação. O esquema envolvia falso atestado de recebimento de merenda escolar pelo Estado. A empresa Mograbi e Oliveira LTDA-ME, cujo proprietário estava foragido até ontem, fazia a entrega parcial dos produtos faturados, ou os substituía por itens mais baratos, atestando o recebimento integral destes por servidores participantes do esquema. Ainda conforme as investigações, a empresa deixava de entregar, no início das fraudes, cerca de 30% do que recebia, mas nos últimos meses a situação se agravou a ponto de absolutamente nada ser encontrado.

 

PALAMITSHCHECE

E mesmo sendo constatado por inúmeras vezes e noticiado a torto e a direito que várias escolas estaduais, do interior e da capital, estavam totalmente desabastecidas, o governo nunca tomou providências para resolver o problema, mas sempre informou que o desabastecimento se devia à crise financeira pela qual passa o Estado. O mesmo foi feito ontem, após a operação da PF: em nota, o Executivo alegou os mesmos motivos para falta de merenda nas escolas e fez questão de ressaltar que isso não tem nada a ver com os desvios feitos pela turma do ex-secretário adjunto de sobrenome impronunciável.

 

CIFRAS MILIONÁRIAS

Mas, uma coincidência não pode passar em branco: os recursos desviados, segundo a Polícia Federal, chegam a R$ 19 milhões; trata-se do mesmo valor informado pelo governo, tendo como bases a previsão orçamentária (R$ 12,1 milhões) da merenda escolar para este ano e o recurso do Programa Nacional de Alimentação Escolar (R$ 7,1 milhões). Diante de tantas cifras milionárias, muitos ainda se preguntam: será que foram "apenas" R$ 19 milhões surrupiados dos cofres públicos?

 

MAIS CARNE

NO ANGU

Interessante comparar com os R$ 70 milhões da operação da semana passada, envolvendo o sistema prisional, em que um dos principais personagens presos, Guilherme Campos, filho de Suely, pelo que consta, não ocupa cargo algum no governo da mamãe, mas, ao que tudo indica, conseguiu fazer a farra ao se aliar às "pessoas certas"; como, então, quem tem cargo de confiança no governo e acesso a verbas federais, só levou pouco menos de R$ 20 milhões? Com certeza, há muito mais carne nesse angu e outras maracutaias logo, logo devem vir à tona.

 

CHÁ DE SUMIÇO

Nesse meio tempo, cujo prenúncio da desgraça parece ter sido a festança recente ocorrida na casa dos Campos em meio aos protestos de servidores cobrando salários atrasados, Suely aproveitou para sumir, inclusive das redes sociais, onde, por meio de seus assessores, era bastante ativa. Como não dá respostas ao vivo e em cores aos trabalhadores que lhe cobram explicações, ela jamais o faria pelo Facebook ou Instagram, muito menos depois de eles terem sido tomados por comentários totalmente desfavoráveis ao seu governo e cobranças diárias de uma solução para os problemas gerados por sua administração.

 

VEJA TAMBÉM...