Coluna Roraima Alerta

Roraima Alerta 17.12.18


- Reprodução

NOVO GÁS

Tentando livrar o Estado do atoleiro em que foi metido pela governadora afastada, Suely Campos (PP), o governador eleito e interventor federal, Antonio Denarium (PSL), assinou no fim de semana ordem de serviço para a construção do novo prédio do Ipem, recuperação da BR-174 e recursos para a Saúde e Segurança, estas duas das áreas mais afetadas pela gestão pepista, envolvida em escândalos devidamente investigados pela Polícia Federal. Em menos de um mês, foram três operações com a descoberta de desvios milionários de verba pública. Nem mesmo a merenda escolar escapou da voracidade dos corruptos.

 

NOVO GÁS I

De acordo com Denarium, em uma reunião com o presidente Michel Temer (MDB), ele solicitou ambulâncias e viaturas para atender a Saúde e as polícias Civil e Militar. O interventor diz ter sido prontamente atendido e informou que o Estado receberá 30 veículos a serem distribuídos para a Segurança e Saúde. Vale lembrar ainda que o governo federal deve enviar esta semana pelo menos R$ 225 milhões para pagar os servidores estaduais e repassar o ICMS atrasado a prefeituras do interior.

 

FICHA SUJA E INELEGÍVEL

E o Roraima em Tempo traz na edição de hoje informações sobre uma decisão do Tribunal de Contas da União que condenou senador eleito Chico Rodrigues e mais quatro pessoas por ato ilegal doloso com dano ao erário público. A decisão foi proferida em setembro de 2018, após o Tribunal de Contas da União julgar um recurso de reexame que buscava reformar a primeira. O julgamento do recurso ocorreu durante o período eleitoral, mas o processo tramita em segredo de Justiça.

 

FICHA SUJA E INELEGÍVEL I

A ação foi originada devido à denúncia de irregularidade na promoção indevida de oficiais do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Roraima. Os atos foram assinados por Chico Rodrigues no período em que governou o Estado, entre 4 de abril e 31 de dezembro de 2014, conforme consta nos Decretos n? 17.226-E de 30 de junho de 2014 e n?. 18.872-E de 19 de dezembro do mesmo ano.

 

FICHA SUJA E INELEGÍVEL II

Na apuração dos fatos ficou comprovado que, o então governador, Chico Rodrigues, autorizou ilegalmente a promoção antecipada de dois tenentes-coronéis do Corpo de Bombeiro ao cargo de coronel, gerando prejuízo aos cofres públicos da União. A prática ficou conhecida nacionalmente como a farra dos coronéis. Ao concluir a análise do pedido de reexame da decisão, o pleno do TCU determinou multa de R$ 50 mil a cada um dos agentes públicos citados na ação e os inabilitou para cargos pelo período de seis anos.

 

NA TRAVE

Por pouco, Chico Rodrigues não deixou de ser candidato nessas eleições. Ele foi condenado em 2010 por gastos ilícitos na campanha, devido à aquisição de 45 mil camisetas amarelas, contratação de cabos eleitorais de forma irregular e pagamento feito em espécie durante o pleito. A decisão resultou na cassação do seu mandato como governador e também o tornou inelegível por oito anos, conforme a Lei de Ficha Limpa. Porém, em setembro, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RR) deferiu o registro de candidatura de Chico. O senador eleito foi salvo pelo calendário.

SEE ALSO ...