FALTA DE SENSO

É gritante a falta de senso do Governo do Povo quando o assunto é cultura. Para ficar bem situado, o leitor precisa lembrar apenas dois exemplos berrantes: a Casa da Cultura Madre Leotávia Zoller, localizada na avenida Jaime Brasil, esquina com Sebastião Diniz, no Centro, e o falecido Teatro Carlos Gomes, também no Centro. Ambos, literalmente, caem aos pedaços e não adianta chororô do pessoal ligado às artes.

PARADÃO

Para demonstrar a quilométrica falta de sensibilidade, o governo de Suely Campos plantou na Pasta uma secretária nada idônea, que mantém-se, literalmente, estacionada. Quando se fala “estacionada”, cabe rápida explicação: algo que está estacionado, a própria palavra já diz, está paradão, paradão.

MALVERSAÇÃO

A secretária Selma Mulinari, que, por acaso é irmã da governadora, há muito, não sai do lugar. Estacionou geral. Sentada há tanto tempo na poltrona-mor da Secretaria, não conseguiu ainda deixar clara a mínima razão por que à ela elevada. E ainda por cima, carrega nos lombos três ou quatro acusações de malversação de recursos públicos. Traquinagens praticadas enquanto secretária estadual de Educação.

PONTO DE REFERÊNCIA

A Casa da Cultura tem sido nos últimos dias alvo de renhidas manifestações por parte de artistas roraimenses, que gostariam de ter o local como um ponto de referência no Estado. No passado, o prédio abrigou várias atividades. Hoje, encontra-se tombado como Patrimônio Histórico e, por isso, precisa urgentemente de um cuidado maior por parte do governo, que tem se mostrado relapso.

CONDIÇÃO DEGRADANTE

Em 4 de março deste ano, ou seja, quase um mês e meio atrás, a Secretaria Estadual de Infraestrutura, procurada pelo Roraima em Tempo, informou que está pronto e em vias de empenho um projeto de restauração do local. Ao prestar essa informação, o governo admite estar ciente da condição degradante que envolve o local.

ESTACIONADA

A Secretaria de infraestrutura garantiu que naqueles dias o projeto seria encaminhado à Secretaria Estadual de Cultura para que fosse feita a liberação do orçamento. Em seguida ocorreria a abertura do processo de licitação. Isso deveria ocorrer ainda no mês de março, segundo a Seinf. Abril já começa a dar adeus e nada. Dona Selma segue estacionada em brancas nuvens.

FANTASMAS

Dona Selma, aliás, não ostenta para si o troféu de estacionamento. Ela reparte o troféu com Governo do Povo como um todo. Vários prédios que já deveriam ter suas construções concluídas há muito tempo, seguem feito fantasma a assombrar o governo. Um deles é que vai abrigar o 1º Distrito Policial, na avenida Terêncio Lima com rua Pedro Rodrigues, no Centro. Há muito tempo que ninguém senta ali nem um tijolo.