Mundo

Rússia culpa Israel por queda de avião militar na Síria com 15 a bordo

Moscou afirma que aeronave foi alvo de fogo amigo após ser encurralada por caças israelenses


Aeronave II-20A, semelhante a que foi derrubada na Síria - Alexander Kopitar/AFP

O Ministério da Defesa da Rússia responsabilizou indiretamente Israel pelo incidente que resultou na derrubada de um avião de reconhecimento de Moscou, na noite de segunda-feira (17), a 30 km da costa síria, na altura da cidade de Latakia. Os 15 passageiros morreram.

O modelo II-20 estava voltando para sua base, no oeste da Síria, quando foi atingido sobre o Mediterrâneo por fogo amigo -artilharia antiaérea das tropas leais ao ditador Bashar al-Assad, apoiado pelo Kremlin.

Segundo o governo russo, jatos F-16 israelenses "encurralaram" a aeronave russa ao usá-la como escudo para se aproximar de alvos terrestres na Síria sem serem alvejados pelo Exército do regime.

"Escondendo-se atrás do avião russo, os pilotos israelenses o colocaram na linha de mira dos sistemas antiaéreos sírios", disse o porta-voz do ministério, Igor Konashenkov.

A pasta classificou a ação israelense como irresponsável e hostil, e informou ter sido avisada do início da investida com apenas um minuto de antecedência. Também referiu-se a ela como "provocação deliberada".

Israel oficialmente não tomou partido na guerra civil que despedaça a Síria desde 2011, mas faz operações pontuais contra o que diz serem posições da facção libanesa Hizbullah naquele país -o grupo é financiado pelo Irã, inimigo israelense. O Exército israelense não se pronunciou sobre o incidente.

O Ministério da Defesa russo disse já ter localizado os destroços da aeronave e recuperado alguns corpos de militares no mar.

O embaixador de Israel em Moscou foi convocado pela chancelaria já na terça (18) para dar explicações.

VEJA TAMBÉM...