Notícias Locais

'Mães Anjos de Luz' comemora dez anos de implantação com festa no Dia das Crianças

Atualmente, a entidade atende mais de 9 mil pessoas com deficiência dos 15 municípios


Casa de apoio é destinada a pessoas com deficiência e familiares que residem no interior e precisam se deslocar até a capital para fazer tratamento - Arquivo/Associação

A Associação Grupo de Mães Anjos de Luz celebrará os dez anos de implantação em Roraima com uma festa no Dia das Crianças (12 de outubro). Esta é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, fundada em 2008, para atender pessoas com deficiência. O grupo pede ajuda para arrecadar brinquedos e outros itens, a fim de promover um dia especial aos pequenos.

Atualmente, a entidade atende mais de 9 mil pessoas com deficiência dos 15 municípios, incluindo crianças, jovens, adultos e idosos. A filosofia do grupo consiste em promover a aproximação, cooperação e integração de pais e filhos, proporcionando-lhes uma vida digna com saúde, lazer e integração à sociedade. "Precisamos de apoio", disse a presidente, Maria das Dores.

Ela contou que além de brinquedos, a associação pede a contribuição das pessoas com roupas, calçados, produtos de higiene, alimentação e artigos de cama, mesa e banho. "Como atendemos inúmeras pessoas, é fundamental oferecemos um ambiente limpo, aconchegante e agradável, mas para isso, precisamos de doações, pois não temos condições de comprar".

Das Dores lembrou que o Grupo de Mães Anjos de Luz surgiu diante das dificuldades enfrentadas pelas famílias de pessoas com deficiência no acesso a serviços públicos e outros problemas, como acessibilidade, preconceito, discriminação, saúde, trabalho, conflitos familiares, negação da família, falta de condições financeiras, entre outras.

A presidente é mãe de Ester, que nasceu com hidrocefalia (acúmulo excessivo de líquor dentro dos ventrículos ou do espaço subaracnoide), viveu durante 10 anos e morreu no dia 5 de outubro de 2017. Foi a partir dessa realidade de vida que surgiu a ideia de criar uma associação para assistência e troca de experiência entre mães vivendo situações parecidas.

"Minha filha nasceu com uma deficiência. Por isso, juntamos quatro mães e criamos a associação para ajudar uma a outra e expandir para outras famílias", declarou Das Dores, ao esclarecer que no início o grupo serviu também como um fórum de debates para discutir o melhor tratamento para os filhos.

A associação atende pessoas com deficiência de todo o Estado. Conforme informações da instituição, são atendidas 124 pessoas com problemas auditivos, 209 na visão, 169 com autismo, 2.164 cadeirantes, 1.208 com deficiência física, 3.830 intelectual, 201 com Síndrome de Down e 1.756 pacientes com paralisia cerebral. Ao todo, são 9.661 beneficiados.

Ela destacou que em 23 de dezembro de 2010, em sessão ordinária, a Assembleia Legislativa de Roraima decretou a associação "Grupo Mães Anjos de Luz" como Utilidade Pública (Decreto Legislativo n.º 036/10). Em 24 de novembro de 2014, a Lei nº 1.590, de iniciativa do Poder Legislativo Municipal, também, fez o mesmo.

Para colaborar com a festa de aniversário de uma década da instituição, bem como com o trabalho, basta entrar em contato com a presidente Maria das Dores pelo telefone (95) 99122-4796. "Toda a ajuda é bem-vinda, pois todas as famílias precisam muito de nosso apoio. Somos felizes por cada conquista do grupo e vamos continuar trabalhando em prol de uma vida digna para essas pessoas", frisou.

NOVA SEDE

A sede da instituição com novas instalações foi inaugurada em 7 de julho deste ano. A partir desta data, a Casa de Apoio passou a ser chamada Ester Pereira Paiva, e o Centro de Fisioterapia recebeu o nome de Arthur Lima Brito, em homenagem à memória desses dois anjos que motivaram a criação da entidade.

De acordo com a presidente, a casa de apoio é destinada a pessoas com deficiência e seus familiares que residem no interior do Estado e precisam se deslocar até a capital para fazer tratamento, exames, consultas, solicitação de documentos, entre outros serviços, dispondo de alimentação e acolhimento.

SERVIÇOS

A instituição possui um veículo que faz o deslocamento de associados aos órgãos, instituições e clínicas, facilitando o acesso a esses locais. Ele também é utilizado para realizar visitas em domicílio, com o objetivo de desenvolver atividades junto às pessoas com deficiência em todo o Estado.

O grupo oferece instrumentos para a convivência no lar e em sociedade; informa sobre doenças e cuidados necessários; disponibiliza atendimento médico de urgência e benefícios sociais e, ainda, trabalha a autoestima das mães, pois em muitos casos elas são abandonadas pelos pais das crianças, e até mesmo pelos próprios familiares.

ATENDIMENTOS

Somente em 2017, a casa hospedou 3.173 pessoas com deficiência e seus familiares. Atualmente, a entidade abriga sete pessoas, sendo três com deficiência múltipla, um visual, um com baixa visão e dois intelectuais.

No ano passado, foram registrados 31.841 atendimentos na associação. No total, foram realizados 1.383 encaminhamentos para o Hospital Coronel Mota; 1.083 encaminhamentos para o Hospital da Criança Santo Antônio; 486 pessoas com deficiência foram encaminhadas ao INSS; 69 pessoas foram encaminhadas para fazer tratamento fora de domicílio (TFD) e 48 pessoas com deficiência foram encaminhadas para o mercado de trabalho.

Além destes serviços, o grupo recebeu 49 denúncias de maus-tratos, uma de abuso sexual e 50 de uso indevido do benefício. Foram atendidas ainda 209 pessoas pela psicóloga; 273 foram encaminhadas à Secretaria de Segurança Pública para tirar a carteira de identidade; 63 pessoas para tirar o registro civil; 348 pessoas foram à Secretaria de Saúde e 14 pessoas com deficiência foram encaminhadas para tomar vacinas atrasadas.

O Grupo de Mães Anjos de Luz distribuiu 43 cadeiras de roda (normal), 43 adaptadas, uma motorizada, 55 muletas e 20 bengalas. Os dados mostram também que 576 pessoas fizeram sessão de acupuntura. "Este é um trabalho árduo, mas muito gratificante, pois beneficia muita gente e os resultados são positivos. São dez anos de muita luta, porém de muitas vitórias", completou Das Dores.

A entidade contou com a parceria do Conselho Tutelar, Posto de Saúde Caranã, Delegacia da Pessoa com Deficiência, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Unidade Integrada de Saúde Mental, Defensoria Pública, Ministério Público do Estado, Centro de Referência de Assistência Social (Cras), Secretaria Estadual de Saúde e Hospital Materno-Infantil Nossa Senhora de Nazareth.

VEJA TAMBÉM...