Notícias Locais

'Precisamos acabar com tabu', afirma jovem sobre tratamento psicológico

Setembro traz a discussão de prevenir o suicídio e procurar ajuda profissional em casos de fragilidade emocional


CVV é um serviço totalmente gratuito para quem estiver em situação de insegurança mental - CVV

O mês de setembro está recheado de programações em alusão à prevenção do suicídio e à conscientização de ajuda profissional da psicologia. A estudante Mariana Turco, de 22 anos, procurou esse tipo de apoio e contou ter sido uma experiência muito boa, e aconselha que mais pessoas procurem profissionais.

Mariana contou que para ela foi algo muito natural, pois já havia ido a algumas sessões quando criança. Desde então, de acordo com a estudante, já sabia da importância deste profissional na vida das pessoas.

"Nunca foi algo estranho para mim. Eu já sabia a importância, apesar de haver muito preconceito ainda quanto ao atendimento psicológico."

A estudante disse que procurou ajuda profissional há cerca de um ano e meio por causa de crises de ansiedade.

"Eu não conseguia comer, dormir, estudar, sair me deixava muito desconfortável. Eu chorava por nada no meio da rua, me tremia inteira", contou. Com a situação, ela afirmou que procurar um psicólogo a ajudou bastante.

"Me ajudou a tomar o controle do 'meu emocional' o suficiente para lidar com conflitos diários". Mariana desde então frequenta sessões de terapia e não se arrepende de ter começado o tratamento.

"O tipo de tratamento que faço é focado em me ensinar a desfazer distorções dos pensamentos que temos", disse. Ela contou ainda que, ao se tratar, aprendeu a resolver seus problemas sem desespero ou situações como ficar sem comer, por exemplo, por causa da insegurança de lidar com as situações.

Mariana não é a única jovem a procurar profissionais. Apesar do número de pessoas em busca de ajuda estar crescendo, ele ainda é baixo para a quantidade de adolescentes e jovens que são atingidos por problemas de ansiedade, depressão e pânico, por exemplo. Mariana acredita que o principal fator para isso é o tabu em torno do assunto.

"Precisamos acabar com esse tabu que ainda é procurar ajuda psicológica. As pessoas acham que isso é coisa de gente louca, ninguém quer este rótulo, mas não é assim". Ela acha importante cuidar da saúde mental e acredita que isto poderia evitar tragédias.

"Acredito que todo mundo deveria fazer consultas de rotina com o psicólogo", declarou.

O conselho de Mariana para quem está passando por uma situação complicada e não sabe como procurar ajuda é ter pessoas próximas com quem você possa conversar, mas combinar isso com o atendimento profissional é essencial.

"É importante ter alguém próximo, alguém com quem você possa fazer esse primeiro desabafo. Guardar as coisas para si, só agrava o problema. Entretanto, não podemos deixar de buscar ajuda de um profissional. Ele vai te ajudar quando você não puder fazer isso sozinho e seu amigo pode querer você muito bem, mas ele não é capacitado para reeducar seus pensamentos e te ajudar a voltar a viver um pouco mais tranquilo e produtivo. Já um profissional, vai poder te mostrar esse caminho".

VOLUNTARIADO DO BEM

O Centro de Valorização da Vida (CVV) é um serviço totalmente gratuito para quem estiver em situação de insegurança mental, tendências suicidas e doenças psicológicas como as citadas no texto. São voluntários treinados para lidar com as mais diversas situações a qualquer momento do dia, basta ligar para o número 188 para receber ajuda e apoio.

O CVV está abrindo vagas em Boa Vista para quem se interessa em ser voluntário do Centro. Para isso, cada pessoa recebe um treinamento gratuito e para participar deste treinamento basta se inscrever ligando para o número 188 ou pelo site cvv.org.br. A capacitação ocorrerá em 30 de setembro no Colégio de Aplicação (CAp) localizado dentro do Campus Paricarana na Universidade Federal de Roraima (UFRR),às 8h.

PREVENÇÃO NAS REDES SOCIAIS

Atualmente, a preocupação em ajudar e conscientizar o próximo tem surgido nas redes sociais em vários aspectos. O aplicativo de streaming Spotify lançou uma playlist de 40 músicas para quem estiver em situação de fragilidade emocional. Ela está no aplicativo e é intitulada "188" como referência ao CVV.

Além de músicas, há aplicativos gratuitos nas plataformas de download (Play Store Apple Store) e para relaxamento emocional como InfinityZen que contém exercícios de respiração e mensagens motivacionais.

SENSIBILIZARTE

O SensibilizArte é um projeto criado pela International Federation of Medical Student's of Brazil (IFMSA Brazil) para contribuir com a formação de profissionais da saúde mais humanizados. Para participar do projeto, as pessoas interessadas devem se inscrever em um processo seletivo aberto até 14 de setembro acessando o link http://goo.gl/forms/kRuq7vYM2G.

Pedro Henrique, acadêmico de medicina na UFRR e coordenador estrutural externo do projeto, contou que se trata de uma parceria com uma psicóloga para os voluntários e que a iniciativa é muito importante para tornar os futuros profissionais da saúde com valores mais humanísticos.

"O projeto é voltado para acadêmicos de medicina, enfermagem e psicologia da UFRR, mas, devido ao tamanho que o projeto atingiu, também temos vagas para acadêmicos de outros cursos e outras instituições", contou Pedro Henrique.

VEJA TAMBÉM...