Notícias Locais

Pretendo fazer um curso de enfermagem, diz Indígena que trabalha no Dsei-Leste

Mulher explicou que pretende crescer e aprender cada vez mais na área da saúde


Hoje com 39 anos de idade, Helen começou a trabalhar na área da saúde na comunidade em que nasceu e cresceu - Vitor Alencar/Roraima em Tempo

A equipe do Jornal Roraima em Tempo visitou a ação que está acontecendo do município de Uiramutã essa semana onde tivemos a oportunidade de conhecer um pouco mais dos voluntários e trabalhadores que participam dessa etapa. A ação está sendo realizada em uma parceria que juntou a Coordenação do Distrito Leste e a Associação 'Médicos da Floresta'.

Em conversa com alguns voluntários que estavam no local, encontramos a Técnica em Enfermagem Helen Rita Peixoto de 39 anos, indígena de etnia Macuxi que trabalha no Dsei-Leste e sonha em ter uma graduação completa no curso de enfermagem para ajudar de forma gratuita seu povo. 

Segundo ela, essa vontade de trabalhar na área de saúde veio por presenciar diariamente as dificuldades que seu povo passa nas muitas comunidades.

"Atualmente sou técnica em enfermagem e estou a quatro anos exercendo essa função no Distrito Leste e eu amo muito que faço. Com esse conhecimento posso ajudar de forma gratuita os povos indígenas que não tem um atendimento médico constante e de qualidade" conta Helen.

Ela começou a trabalhar como agente de saúde aos 20 anos de idade e não parou, foi quando surgiram vagas para trabalhar no Distrito Leste.

"Eu já atuava como agente de saúde na minha comunidade e sempre gostei dessa área, durante 12 anos trabalhei com isso e quando surgiu à oportunidade de atuar pelo Dsei-leste me candidatei imediatamente, em seguida fui contratada e comecei a amar ainda mais a profissão" diz Helen.

A técnica contou que trabalhava durante toda a semana, estudava aos sábados e domingos ou sempre que tinha um tempo livre, isso era completamente proveitoso para o seu futuro.

"É muito gratificante para mim por que eu sou indígena, da etnia Macuxi, comecei cedo como agente de saúde e pretendo subir ainda mais dentro do Dsei-Leste formado em Enfermagem", comenta.

Comentou também o incentivo que teve das colegas de trabalho para continuar crescendo profissionalmente. "Logo que eu entrei lá, fiz algumas amizades e cultivei afinidades e foi então que meus colegas começaram a me estimular para fazer o curso técnico em enfermagem até que resolvi fazer e estou formada há quatro anos", relatou.

Segundo Helen, essa formação na área da saúde sempre foi seu sonho e seus planos para o futuro segue constantes querendo ainda mais qualificação profissional. 

Ela que também está participando das ações junto com a Associação 'Médicos da Floresta' conta como se sente em atuar com uma equipe de médicos profissionais e formados que se dispuseram em ajudar os povos indígenas.

"É muito gratificante poder fazer parte dessa equipe que ajuda e da suporte aos indígenas que vivem mais afastados e não recebem um atendimento digno, eles vem de longe para participar. Essa não é a minha primeira vez como esta, já aconteceu outra igual a essa no lago do Caracaranã que era a dos expedicionários e tinha uma equipe quase igual e lá eles fizeram vários tipos de cirurgias aos pacientes que estavam mais necessitados", finalizou Helen.

Para ela, crescer profissionalmente é prioridade, por que quanto mais conhecimento possuir mais comunidades vai poder ajudar.

"Sigo querendo cada vez mais estudar e aprender a função de cuidar dos outros, eu já passei por isso e vou continuar lutando para realizar meus sonhos, pois quanto mais conhecimento eu tiver mais vou poder ajudar o próximo", finalizou.