Notícias Locais

Alunos de escola estadual de RR realizam ação de conscientização sobre a xenofobia

Atividade ocorre nesta sexta-feira, às 15h, no posto de triagem da Força Tarefa Logística Humanitária


Refugiados venezuelanos passam por processo de triagem no abrigo Santa Teresa - Edinaldo Morais/Roraima em Tempo

Antipatia por pessoas estranhas ou pelo que vem de fora do país. Estes são alguns dos conceitos de xenofobia, tema muito debatido nos últimos anos, devido à crise imigratória que se instalou no Brasil e em, especificamente, em Roraima, onde mais de 100 mil venezuelanos atravessaram a fronteira em busca de melhores condições de vida.

Diante deste cenário, será realizado, nesta sexta-feira (19), às 15h, um trabalho de conscientização sobre a xenofobia, no Posto de Informações e triagem da Força Tarefa Logística Humanitária em Roraima - Operação Acolhida. A ação será promovida por estudantes Escola Professora Idarlene Severino da Silva.

O objetivo do trabalho é o enfrentamento à xenofobia, ao preconceito, ódio e racismo. Muitos casos relacionados a este assunto foram registrados nos últimos anos, principalmente em Roraima, estado que faz fronteira com a Venezuela, país que vivi uma crise atroz, onde milhões de cidadãos buscam aliviar suas agruras por meio da migração.

A ação de conscientização será executada Posto de Informações e triagem, local de passagem dos imigrantes venezuelanos que procuram regularizar a situação documental junto ao governo brasileiro. A atividade consiste na realização de entrevistas com os imigrantes, realizadas pelas próprias crianças, que cursam o 9º ano do ensino fundamental.

Para mais informações sobre a ação voluntária, basta entrar em contato com a Célula de Comunicação Social da FT por meio do endereço eletrônico [email protected] ou pelo telefone: (95) 99155-2450.

OPERAÇÃO ACOLHIDA

A Força Tarefa Logística Humanitária em Roraima busca sempre colaborar e incentivar a prática de atividades como esta, que ocorrem em um contexto onde foram registrados casos de xenofobia contra imigrantes oriundos da Venezuela, e que se encontram em uma situação de extrema vulnerabilidade, buscando alternativas em outros países.

O crescente número de venezuelanos ingressando no Brasil pela fronteira entre os municípios de Pacaraima (RR) e Santa Elena de Uairén (Venezuela) tem trazido um conjunto de desafios para os governos Federal, Estadual e Municipais. A cidade brasileira que faz fronteira com o país vizinho e a capital de Roraima contam com bases da 'Operação Acolhida'.

A operação faz parte de uma articulação de diversos órgãos do Governo Federal, com o objetivo de reconhecer a situação e dar o apoio necessário às gestões locais. Essa articulação envolve 16 órgãos federais e diversas agências da ONU que atuam com migração, refúgio e outros temas correlatos.

Frente à intensificação do fluxo migratório, o Governo Federal tem empreendido esforços para promover apoio técnico e financeiro aos estados e municípios mais impactados. Em Roraima, estado brasileiro mais impactado, desde o segundo semestre de 2016 foram realizadas visitas sistemáticas ao estado.

VEJA TAMBÉM...