Notícias Locais

Comandante da PM cita fragilidade do sistema prisional: 'paredes podem ser destruídas com colher'

Assaltantes de alta periculosidade que foram mortos em confronto com a Polícia eram foragidos da Justiça


Declaração foi dada nesta sexta-feira (28) - Reprodução/TV Imperial

O comandante da Polícia Militar (PM), Edson Prola, afirmou que atualmente é uma "missão árdua manter criminosos no sistema prisional". "Infelizmente nossos presídios foram construídos na década de 80, hoje você consegue destruir uma parede de presídio com uma colher", disse.

A afirmação foi dada em relação aos quatros assaltantes que morreram nesta quinta-feira (27) em confronto com a Polícia. Responsáveis por assaltos em São João da Baliza, Amajari e em Boa Vista, todos eram foragidos da Justiça.

Conforme relembrou, a Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (Pamc), por exemplo, foi criada para que os presos pudessem plantar e criar animais para redução de pena. "Por isso o nome 'agrícola'", enfatizou.

"A Pamc construída em uma época onde não existia facção criminosa, não havia crime com requinte de crueldade nem tráfico internacional de drogas", acrescentou.

Prola acredita que as fugas diminuirão com a chegada de novas unidades. "O novo presídio que está sendo construído é feito com paredes de placa de concreto, o que vai trazer mais segurança. É preciso de que o estado se adapte a uma nova realidade, não só Roraima como o país inteiro", afirmou.

Caso

Polícia encontrou armas, munições e celulares em acampamento dos bandidos (Edumar Junior/Roraima em Tempo)

Na quinta, quatro criminosos foram mortos em um confronto com a Polícia em uma região de sítio no Município do Cantá. No local, foram encontradas armas, munições e celulares.

Eles fazem parte de uma quadrilha com pelo menos dez pessoas, que foi responsável por realizar assaltos em São João da Baliza, Amajarí e mais recente em uma cooperativa de médicos, além do Banco do Brasil da Avenida Ville Roy, em Boa Vista.

Conforme explicou o comandante, os agentes chegaram ao local após investigações da segurança estadual e federal.

"Os agentes foram recebidos à bala, houve o confronto e quatro deles vieram a óbito", esclareceu. Todos os assaltantes mortos são de alta periculosidade com ficha criminal extensa.

Ainda segundo Prola, não foi encontrado dinheiro no local e não há precisão de quanto foi roubado. "Estamos fazendo investigações para encontrar os outros integrantes dessa quadrilha e tentar encontrar o dinheiro roubado por eles", afirmou.

SEE ALSO ...