Notícias Locais

Marido de deputada preso em SP deve ser transferido para Boa Vista nos próximos dias

José Walace Barbosa esposo da deputada estadual Ione Pedroso estava foragido desde o dia 14 de dezembro

Créditos: Edumar Junior
- Reprodução

Após 26 dias foragido da Justiça, o empresário e marido da deputada estadual Ione Pedroso (SD) foi preso em São Paulo na noite do último dia (9). José Walace Barbosa é investigado pela Polícia Federal por suspeita de participação num esquema que desviou aproximadamente R$ 50 milhões de verba federal dos cofres públicos de Roraima. Ele estava foragido desde o dia 14 de dezembro, quando a Operação Zaragata foi deflagrada.

                  Há previsão, segundo informações extraoficiais, que ele possa ser trazido para Boa Vista. A PF não confirmou esta previsão.

José Walace é o dono da empresa Dimond Tours Logística e Transportes Ltda. vencedora de um contrato emergencial para atender rotas do transporte escolar em Roraima. No entanto, investigações feitas por diversos órgãos apontam que o contrato em vigor não cobria as localidades citadas nas cláusulas contratuais. O serviço não era prestado, principalmente, nas áreas indígenas e rurais do Estado.

Conforme os inquéritos policiais, as rotas que a empresa beneficiada com contrato de R$ 78 milhões fazia já haviam sido contempladas por outros contratos de demais terceirizadas. Ou seja, as rotas ficavam sobrepostas. Algumas das localidades, segundo a PF, nem existem no Estado.

"As rotas já estavam em vigência por outra empresa. Com isso, professores e diretores em conluio com as empesas assinavam os documentos de que as crianças estavam indo para a aula. Eram fichas em branco que já estavam assinadas e carimbadas pelo professor ou diretor e eram entregues aos empresários para serem preenchidas", reforçou o delegado Anderson Alves Dias, responsável pela Operação.

Durante o esquema de corrupção, os estudantes das comunidades indígenas e zona Rural do Estado ficaram sem o serviço. De acordo com a Secretaria de Educação, só em uma escola aproximadamente 240 alunos perderam o ano letivo e um calendário especial será criado pela secretaria.

OS PRESOS

Foram presas durante a operação a deputada eleita Ionny Pedroso, Aline Karla Lira de Oliveira, Tenilles Queiroz Maia, Silvestre Minotto, Dilzomar Batista da Silva, Francisco Eyder Rodrigues de Araújo, Abmael Alves de Queiroz e Thiago Lima Martinez. Outras duas pessoas que respondiam juridicamente pela empresa não tiveram o nome divulgado também foram presas.

Ione Pedroso e Aline Karla tiveram a prisão preventiva revertida em prisão domiciliar. A deputada eleita não compareceu a cerimônia de posse e ainda não se apresentou na Assembleia Legislativa. Ione Pedroso tem até o dia 31 de janeiro para ser empossada.

 

VEJA TAMBÉM...