Notícias Locais

Policiais do Bope apreendem fuzil e farta munição em táxi intermunicipal

Armamento estava em caixas no porta-malas de um táxi intermunicipal que faz a linha Pacaraima/Boa Vista

Créditos: NONATO SOUSA
- Divulgação

Um fuzil M4, dois carregadores e farta munição foram apreendidos na tarde dessa terça-feira (20) no estacionamento de um shopping na Zona Oeste de Boa Vista. O armamento vindo da Venezuela seria entregue para integrantes de uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios de Roraima.

A entrega do armamento de grosso calibre usado por bandidos para roubo a bancos, entre outros crimes, foi abortada por homens da Força Tática (FT) do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da Polícia Militar. O desdobramento do flagrante ocorreu após uma investigação conjunta de policiais da Inteligência e Informação da PM. Policiais estavam escondidos em um carro no estacionamento aguardando o momento da abordagem.

As informações são de que o armamento estava em caixas no porta-malas de um táxi intermunicipal que faz a linha Pacaraima/Boa Vista e estava chegando da fronteira com a Venezuela. O ponto de entrega era o estacionamento do shopping. O motorista foi detido e seria apresentado no Plantão da Polícia Civil com o material apreendido para os devidos procedimentos.

Ainda ontem, após a apreensão do armamento, as equipes policiais seguiram em diligências pela cidade para capturar envolvidos no caso, mas até a conclusão da matéria não houve informação sobre suspeitos presos.

O coronel Elias Santana, do Comando de Policiamento da Capital (CPC), disse à reportagem que algumas informações ainda estavam sendo apuradas. De acordo com ele, a diligência continuava em andamento ontem à noite e em seguida o caso seria enviado para a Polícia Civil.

OPERAÇÃO

Nessa terça-feira, a Polícia Federal deflagrou uma operação contra integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) que pretendiam executar crimes contra agentes públicos em vários estados, incluindo Roraima.

'PREGADURA'

Conforme a PF, a operação batizada de "Pregadura" faz referência à jogada de xadrez que tem por objetivo impedir a movimentação de peças do adversário em uma partida.

De acordo com matéria divulgada pelo site UOL, a operação impediu que o PCC executasse atentados contra agentes públicos de Roraima.

"Foi constatada a existência de um núcleo dessa facção criminosa estabelecido dentro da Penitenciária Estadual de Piraquara [região metropolitana de Curitiba]. Todos os integrantes comandavam dali as ações criminosas realizadas em praticamente todos os estados do Brasil. Constatamos que houve autorizações para atentados contra agentes públicos, no Estado de Roraima, o que felizmente foi evitado", disse o delegado federal Martin Bottaro Purper, coordenador da operação.

A investigação teve início há seis meses e segundo foi apurado, líderes do PCC que atuam dentro e fora dos presídios de Roraima pediram a autorização de um líder da facção criminosa no Paraná para matar agentes da Segurança Pública local. O líder da facção preso no Paraná deu o "ok" e ainda teria instruído os comandados como deveriam fazer o atentado.

O ataque aos agentes deveria ser feito quando estivessem juntos num só carro, quando parassem num semáforo em Boa Vista, ou em outro local em que o veículo fosse obrigado a diminuir a velocidade. Os criminosos deveriam se aproximar e abrir fogo contra os agentes.

PRISÕES

Ao todo, foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão e 31 de prisão e preventiva de investigados nos estados de Rondônia, Rio Grande do Norte, Roraima, Minas Gerais, Mato Grande do Sul, Paraná e São Paulo.

VEJA TAMBÉM...