Notícias Locais

Portadora de doença grave tenta arrecadar dinheiro para custear cirurgia e tratamento

Estudante de 21 anos precisa passar por uma cirurgia que o Sistema Único de Saúde (SUS) não cobre


Elane descobriu ser portadora de ceratocone há mais de sete anos Giovanna Lima - Arquivo/ Roraima em Tempo

Elane Martins da Silva, 21, é acadêmica de fisioterapia e há mais de sete anos descobriu ser portadora de uma doença rara no Brasil, a ceratocone, que se agravou durante e após sua gravidez.

A jovem disse que descobriu o problema em 2011, pois enquanto estudava sentia muita dor de cabeça e sono excessivo.

"Foi aí que minha mãe achou estranho porque eu não era assim, de dormir muito. Eu não dormia à tarde e na época era durante o dia e em qualquer lugar", disse. Ela foi ao médico que constatou a doença e a jovem prontamente teve de começar um tratamento, pois estava com cerca de quatro graus na visão.

A estudante contou que não sabia da gravidade da doença até a situação piorar. "Atualmente, tenho 13 graus no olho esquerdo e mais de 7 no direito", contou. No começo, ela usava óculos e depois tentou o tratamento com lentes.

A jovem disse que o problema se agravou porque merecia um cuidado especial durante a gestação, o que ela acabou não fazendo por não saber da gravidade da doença, que é degenerativa e não tem cura.

A cirurgia a que precisa se submeter não é para reverter os danos já causados, e sim para  retardar aqueles que ainda possam vir a acontecer.

"Antes, eu só não enxergava os objetos que estavam bem longe, mas agora nem os que estão próximos  eu estou conseguindo", declarou.

Elane ainda destacou que a doença é tão complicada que caso a córnea venha a se acentuar demais, pode acabar perdendo a visão de forma mais rápida. A cirurgia a qual Elane se submeterá não possui cobertura pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e se chama crosslinking. Para custear o tratamento, ela tem a meta de arrecadar R$ 7 mil, e para isso está aceitando doações de qualquer valor.

Os interessados em colaborar podem depositar na conta 00017344-7, agência 0653, operação 013 da Caixa Econômica no nome de Elane Martins da Silva.

RARA

O ceratocone é uma doença nos olhos rara no país e atinge cerca de cem mil pessoas. A faixa etária dos portadores pode variar entre 6 e 60 anos, mas acaba sendo ainda mais comum durante a juventude, nas fases escolares e vestibulares, quando a visão é extremamente usada.

O principal sintoma é a visão embaçada, que pode deturpar as imagens. Além disso, é uma doença progressiva e pode ser agravada caso não seja tratada com antecedência.

VEJA TAMBÉM...