Notícias Locais

Restituição do imposto de renda deve Injetar quase R$ 7 milhões na economia de Roraima

Consulta do 4° lote de restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF) começou nesta segunda-feira (10)


Delegado da Receita Federal em Roraima, Omar Rubim, falou sobre os procedimentos da restituição - Edinaldo Morais/Roraima em Tempo

Devem ser injetados na economia de Roraima quase R$ 7 milhões, dinheiro oriundo do 4° lote de restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF), que foi aberto para consulta na manhã de ontem. Conforme a Receita Federal, mais de cinco mil contribuintes tem direito.

Os contribuintes podem fazer a consulta através do aplicativo da Receita Federal, disponível para ser baixando gratuitamente em smartfones e tabletes. Além disso, os interessados podem ainda ligar para o 146.

No site do órgão é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistência de dados identificados pelo processamento. Nesta hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora. 

"É importante salientar que se o valor da restituição não for creditado na conta do contribuinte é porque houve algum problema na conta bancária. Então ele deve procurar o Banco do Brasil, verificar o motivo de não ter sido feito o crédito e indicar uma nova conta para que o procedimento seja realizado", explicou o delegado da Receita Federal em Roraima, Omar Rubim.

O valor que deve ser restituído no 4° lote é referende ao que foi declarado este ano, proveniente de resíduo de malha fiscal de anos anteriores. Conforme o delegado, o crédito será feito na próxima segunda-feira (17), período que os contribuintes têm para verificar e ficarem aptos a receber o dinheiro.

"É importante o contribuinte se antecipar e fazer a autorregularização, não aguardar que a Receita Federal intime. Ele fazendo o procedimento tem mais rapidamente a resposta a restituição dele. Caso contrário, vai ficar na malha fina e até que a Receita faça intimação vai entrar no ano de 2019", alertou Rubim.

 

ECONOMIA

Com o recurso injetado na economia de Roraima, o comércio deve ficar mais aquecido, gerando outros benefícios para o setor. O economista Fábio Matinez comentou que a economia no estado precisa de mais investimentos e todo recurso injetado é sempre bem vindo.   

"O que a gente tem com esses repasses vindos para o Estado acaba fomentando o comércio local, porque boa parte desses recursos vão ser gastos aqui, o que acaba gerando uma movimentação maior em relação ao volume de vendas. Tivemos um ano de 2018 não muito bom para o comércio, mas com esses repasses acaba impulsionando a economia de Roraima", explicou.

Matinez explicou ainda que o recurso deve beneficiar também outros setores. "Esse dinheiro que é gasto aqui no comércio local acaba se multiplicando, isso porque o comerciante usa esse recurso para pagar funcionários e fazer outros gastos e isso acaba se multiplicando e gerando um fator positivo para a economia", enfatizou.

SEE ALSO ...