Notícias Locais

Retinoblastoma tem cura e diagnóstico pode ser feito em casa de forma simples

A doença se desenvolve em forma de tumor maligno nos olhos e nos primeiros anos de vida


Doença deixa olhos de crianças com aparência esbranquiçada - Getty Images

Na terça-feira (18) foi o Dia Nacional de Conscientização e Incentivo ao Diagnóstico Precoce do Retinoblastoma, uma doença rara nos olhos, na maioria das vezes em crianças, que pode causar a cegueira total, porém curável.

A doença se desenvolve em forma de tumor maligno nos olhos e nos primeiros anos de vida já pode ser identificada em um pré-diagnóstico simples e caseiro, apenas observando os olhos das crianças em fotos. Caso estejam esbranquiçados, é importante consultar um especialista.

É o tipo mais comum de câncer nos olhos e cerca de 30% dos casos são hereditários. Os outros 70% são os que se desenvolvem por causa de falhas no desenvolvimento das células enquanto o bebê ainda está na barriga da mãe.

Apesar de ser o tipo mais comum de câncer nos olhos, o retinoblastoma atinge apenas um em cada 15 mil nascidos vivos. No Brasil, são menos de 15 mil casos. Às vezes, não há sintomas, mas os que aparecem são em estágios mais avançados da doença. Entretanto, há sinais que podem ser percebidos com a presença de luz nas pupilas.

O oftalmologista Nazareno Barreto diz que a doença pode ser considerada grave e ressalta que a mancha esbranquiçada pode ser característica também de outras doenças menos graves como a catarata. Por isso, é importante que a consulta ao médico seja feita de maneira rápida, para ajudar a prevenir enfermidades mais severas.

A mancha que se desenvolve nos olhos se chama leucocoria e pode ser percebida facilmente em fotos com flash.

"Nas fotos, em vez de o olho sair com uma aparência avermelhada ou alaranjada, fica branco e isso pode ser um sinal da doença", contou Nazareno.

O tratamento se dá por causa do sucesso de diagnóstico precoce. O médico afirmou também que é importante perceber se a mancha está presente em um ou nos dois olhos em qualquer um dos estágios da doença.

Os casos mais simples de serem tratados são aqueles em que a doença afeta apenas um olho e o problema é descoberto no estágio inicial. O tratamento inicial chama-se crioterapia, que consiste em tratamento com coisas geladas como o gelo e a neve carbônica, o que geralmente colabora com a disfunção inflamatória e diminuição de edemas.

Entretanto, quando os casos são diagnosticados em uma situação mais avançada, o pode ser necessária a retirada do olho, além de quimioterapia e a radioterapia. O tratamento ainda pode vir a se complicar caso o diagnóstico seja feito nos dois olhos, pois, se a doença não estiver mais em estágio inicial, o paciente pode acabar ficando cego.

"A visão é o principal sentido do ser humano", disse o oftalmologista, destacando que as chances de cura nas fases iniciais são muito grandes, mas em fases avançadas os portadores da doença podem ter seus olhos retirados.

Geralmente, o tumor se desenvolve em apenas um dos olhos, de forma unilateral. O percentual dos pacientes de retinoblastia que têm apenas um dos olhos afetados pode chegar a 70%.

O médico explicou que, ao ser encaminhado para o oftalmologista, o paciente passa por um exame de fundo de olho ou um ultrassom para que a causa seja também diagnosticada.

SEE ALSO ...