Notícias Locais

Ruas com buracos e sem asfalto causam transtornos, criticam moradores de Mucajaí

Rua Marlene Barbosa não tem asfalto e morador reclama de poeira

Créditos: Bruna Menezes
- Bruna Menezes

Moradores do município de Mucajaí, região Sul de Roraima, reclamaram da quantidade de ruas sem asfalto na cidade. "Quando tem asfalto, são cheias de buraco", relatou um residente, há 12 anos, da Rua Marlene Barbosa.

"E são 12 anos desse jeito, nem perspectiva alguma de obra", disse, ao lembrar que quando se mudou para a região, a rua era cheia de buracos e inviabilizava a passagem das pessoas durante o período chuvoso.

"Os próprios moradores tiveram que aterrar a rua, com recursos deles, na tentativa de amenizar a situação. Todos esses anos se passaram e nada foi feito definitivamente" lamentou.

Por não ser asfaltada, a via acumula muita poeira nas residências. "É ruim porque as casas ficam sujas e quando chove forma muita lama", acrescentou.

Há três anos, a faxineira Miriam Velez mora na Avenida Maranhão. Ela se queixa do grande número de buracos e da demora em ser realizada uma obra de recapeamento asfáltico na localidade.

"Só tivemos promessa de que iriam asfaltar, mas até hoje nunca apareceu ninguém para fazer isso", desabafou.

Segundo ela, somente as avenidas principais tem asfaltamento em dia. A equipe de reportagem do Roraima em Tempo andou pelas ruas e avenidas da cidade e constatou diversos pontos com buracos e trechos com paralelepípedos quebrados.

O secretário municipal de Obra e Infraestrutura, Darci Ribeiro, e a prefeita de Mucajaí Eronildes Gonçalves, conhecida como Nega, foram procurados pela equipe, mas eles não foram localizados. As ligações também não foram atendidas.

OUTROS CASOS

Não é a primeira vez que moradores de Mucajaí relatam problemas na cidade. Em setembro, o morador Claudenor Freitas relatou condições precárias de brinquedos em uma praça do município.

Conforme Freitas, eles estão completamente deteriorados, com ferrugem e oferecem risco às crianças que tentam utilizar o espaço.

Ele ressaltou que pelo menos duas já tiveram ferimentos após brincarem nos playgrounds. Na época, a reportagem tentou contato com a prefeita, mas as ligações também não foram atendidas.

No mesmo mês, moradores repassaram à reportagem a dificuldade em trafegar pelas estradas que dão acesso à região do Paredão. Por não serem asfaltadas, se transformavam em lama quando chovia.

Eles tiveram que colocar tábuas no local para conseguir passar com os veículos. O governo disse, na época, que a revitalização era de responsabilidade da prefeitura, que não se pronunciou.

 

VEJA TAMBÉM...