Notícias Locais

Secretaria Estadual de Educação gasta mais de R$ 4 milhões em instrumentos para fanfarra

A Secretaria de Estado da Educação e Desporto (Seed) abriu um pregão eletrônico para a aquisição de instrumentos para a banda da Fanfarra Estadual


Reproducao

A Secretaria de Estado da Educação e Desporto (Seed) abriu um pregão eletrônico para a aquisição de instrumentos para a banda da Fanfarra Estadual. O que assusta é o valor que será gasto com os instrumentos: mais de R$ 4 milhões. O governo deve vários fornecedores e mesmo assim continua abrindo novos processos licitatórios para aquisição de material. O valor dos instrumentos revoltou muitas pessoas.

A lista de instrumentos conta com 32 tubas, 4 saxofones, 90 sax-tenores, 256 trompetes, 256 trombones tenores e 54 eufônios. Nas redes sociais, uma internauta questionou a compra do material.

"Enquanto professores e técnicos ainda não receberam o salário de julho, a Secretaria Estadual de Educação abriu licitação milionária para aquisição de material da fanfarra e, em se tratando desse governo, não poderiam faltar irregularidades", disse.

A internauta questiona a compra de instrumentos que não são usados em bandas de fanfarra e aponta indícios de superfaturamento.

"O primeiro absurdo já percebemos que só em gasto com sax-tenor, que não é usado em fanfarra e banda marcial, chega a quase R$ 1 milhão. Serão adquiridas 96 unidades ao preço de mais de R$ 9 mil. O mesmo instrumento, no mercado local, mesmo com margem de lucro, não chega a R$ 3,5 mil. Só para esclarecer bem que sax-tenor não é utilizado em FANFARRA ESCOLAR ou BANDAS MARCIAIS, apenas em orquestras e bandas sinfônicas. Outro absurdo, a tuba, que não passa de R$ 10 mil, está sendo adquirida no valor superfaturado de R$ 22 mil. O total dessa roubalheira custará ao Estado de Roraima, melhor dizendo, aos cofres do Fundeb, R$ 4,1 milhões", reforçou.

A professora Denise Santos disse que gosta muito de fanfarras, mas que com a crise pela qual o Estado está passando, investiria esse recurso em outra finalidade.

"Eu sempre vou aos desfiles de 7 de setembro, acompanho alguns ensaios, mas esse valor é muito alto. Dava para investir em outras áreas da educação. Comprar livros, material para os alunos", avaliou.

A empresa que vai fornecer os instrumentos musicais é de Goiânia, em Goiás. O comerciante José Lourival afirmou estar surpreso com esse valor gasto em instrumentos. Ele critica que essa compra seja feita apenas em empresas de fora do Estado.

"Eu acho que é muito dinheiro para ser gasto com isso, mas, se tem que comprar, por que não valorizar os comerciantes do Estado? É muito complicado ver todo esse dinheiro indo embora para empresas de outras regiões", afirmou.

Nós entramos em contato com o Governo do estado para saber o posicionamento sobre as denúncias, mas até o fechamento da matéria não tivemos resposta.

FALTA DE RECURSOS

Em nota, a Secretaria de Estado da Educação e Desporto informou que o referido processo trata-se de registro de preços, feito por meio de pregão eletrônico, em que a empresa vencedora preencheu todos os requisitos. A secretaria ressalta que não efetivou o contrato com a empresa, tendo em vista a indisponibilidade de recursos.

"Atualmente, 29 unidades possuem o projeto "Bandas e Fanfarras nas Escolas Estaduais", sendo 16 escolas e 13 em unidades dos demais municípios, proporcionado, além do contato com instrumentos diversos, mais disciplina, pontualidade e os alunos aprendem a trabalhar em equipe na execução de coreografias e a respeitar o outro, além ter mais interação com alunos de outras escolas", informou a secretaria.

VEJA TAMBÉM...