Notícias Locais

Testemunhas nos processos contra Denarium serão ouvidas pela Justiça em 22 e 23 de abril

Pessoas darão depoimento no período da manhã, a partir das 9h, na sala de Audiências da 1ª Vara do Tribunal do Júri


Denarium é suspeito de comprar votos no pleito do ano passado

A juíza titular da 1ª Zona Eleitoral, Lana Leitão Martins, do Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR), determinou que as testemunhas de acusação e defesa, envolvidas nos processos que investigam o governador do Estado, Antonio Denarium (PSL), e o vice Frutuoso Lins, por supostos crimes, sejam ouvidas nos dias 22 e 23 de abril.

As pessoas darão depoimento no período da manhã, a partir das 9h, na sala de Audiências da 1ª Vara do Tribunal do Júri e da Justiça Militar, no Fórum Criminal da Comarca de Boa Vista Ministro Evandro Lins e Silva, no bairro Caranã, zona Oeste. Mais de 60 testemunhas devem ser ouvidas durante o processo.

Os detalhes da decisão da juíza constam no Diário da Justiça Eletrônico (DJE) do TRE-RR publicado nessa quinta-feira (11). Conforme a magistrada, devem prestar depoimento até seis pessoas por vez, que comparecerão no endereço definido independente de intimação da Justiça.

INVESTIGAÇÃO

Os processos investigam supostas irregularidades e esquemas de compra de votos que teriam ajudado a eleger Antonio Denarium. Pelo menos quatro ações foram movidas contra o governador e o vice pelos partidos dos Democratas (DEM) e Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).

Ao todo, devem ser ouvidas pela Justiça 64 testemunhas, sendo 24 ligadas ao chefe do Executivo e 40 de acusação. A chapa de Denarium é suspeita de arrecadar e fazer gastos ilícitos de campanha, captação ilícita de sufrágio (compra de votos), abuso de poder econômico, além de praticar fraude e corrupção.

O DEM e PSDB também devem ingressar com ação para que seja feita investigação judicial na chapa de Denarium e de pessoas que teriam participado das supostas irregularidades durante o pleito do ano passado.

Nos quatro processos é citada a existência de uma planilha que teria sido usada pela equipe de Denarium, durante a campanha, para controlar a arrecadação e os gastos ilícitos efetuados. Os recursos não teriam circulado na conta de campanha e nem declarados no TRE-RR.

Ao final do processo, após julgado todos os recursos, caso sejam comprovadas as supostas irregularidades, o governador de Roraima pode ter o mandato cassado e ser destituído do cargo.

Antonio Denarium foi eleito no segundo turno das eleições de 2018, com 136.612 dos votos válidos, o que representa um total de 53,34%. O segundo colocado foi o ex-governador José de Anchieta Júnior, que faleceu em dezembro do mesmo ano. Ele recebeu 119.489 votos válidos.

SEE ALSO ...