Notícias Locais

Venezuela está sem energia há 17 horas e Roraima é abastecido por termelétricas

Ontem foram registrados ao menos quatro apagões, sendo dois pela manhã, uma à tarde e o último por volta de 20h30


O apagão na Venezuela já dura 17 horas na manhã desta sexta-feira (8), informa a imprensa do país vizinho. O caos se espalha por pelo menos oito estados venezuelanos e 21 regiões metropolitanas. A interrupção afeta até mesmo hospitais de Caracas. Devido às falhas no Linhão de Guri, o serviço foi suspenso em Roraima e o parque térmico abastece o Estado em sua totalidade.

"Ao decorrer da noite foram realizadas tentativas de restabelecimento pela interligação Brasil-Venezuela, porém, como a mesma apresentava grande instabilidade não foi possível. Até o momento não recebemos informação concreta das causas dos desligamentos na interligação e o sistema continua sendo atendido 100% pelo parque termelétrico", acrescentou a Roraima Energia, empresa reponsável pelo fornecimento no Estado.

Ontem, durante o dia, foram registrados ao menos quatro apagões, sendo dois pela manhã, uma à tarde e o último por volta de 20h30. "Adicionalmente informamos que a Roraima Energia está tomando todas as ações necessárias para atendimento ao Estado, enquanto houver descontinuidade do fornecimento pela interligação", assegurou.

Roraima é o único estado a depender da energia de outro país há quase 20 anos. As negociações entre os governos estadual e federal para que o Estado faça parte do Sistema Interligado Nacional (SIN) avançaram neste ano. A perspectiva é que em junho as obras da linha de transmissão Manaus-Boa Vista voltem à ativa.

Conforme o jornal El Nacional, o autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, visitou diversos pontos da capital venezuelana na manhã de hoje, para averiguar os impactos do apagão. Ele criticou o governo de Maduro, lembrando que em 2009 foi decretada emergência no setor elétrico, "mas ainda falta luz".

"Como dizer a uma mãe que quer cozinhar, a uma doente que precisa de um equipamento, a um mestre de obras que tem de trabalhar, que o país está sem luz?", indagou Juan Guaidó no Twitter.  Nicolás Maduro classificou como 'sabotagem' as falhas elétricas. Em resposta, o opositor disse que sabotagem "e queimar comida e remédio e roubar o dinheiro venezuelano".

 

SEE ALSO ...