HORA DA VERDADE

O caminho começa a ficar estreito para o desocupado Faradilson Mesquita. Ele é o mentor intelectual da onda de invasões de terras que insiste em se registrar no estado desde os idos tempos do Brigadeiro Ottomar Pinto à frente do governo. A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Terras, da Assembleia Legislativa, que tem como relator o deputado Jânio Xingu (PSL), exige que ele apresente documentos que comprovem a legalidade da tal Federação das Associações de Moradores de Roraima (Famer).

APOIO IRRESTRITO

A última investida sobre propriedade alheia promovida por Faradilson ocorreu nas terras do empresário Michael Vogel, do outro lado do rio Branco. Apesar de haver uma decisão judicial determinando a reintegração de posse, os invasores permanecem no local. Segundo Faradilson, a invasão contou com o apoio irrestrito do Palácio Senador Hélio Campos. Ele disse isso durante reunião dias antes de se deslanchar a ação. Citou como suporte da invasão o secretário-chefe da Casa Civil, Oleno Matos, e o deputado Soldado Sampaio (PC do B).

FALSIDADE IDEOLÓGICA

Um dos questionamentos da CPI das Terras é que existe informações de que a Famer não realiza eleição de diretoria há mais de seis anos. Diante dessa informação, os parlamentares não sabem a quem convocar para dar sequência às investigações, de acordo com o presidente Jânio Xingu. Caso se confirme a informação, Faradilson poderá ser criminalizado por usar o nome de uma entidade que não tem legitimidade.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA 1

O líder do governo no Senado, Romero Jucá negociou com o governo e conseguiu que os policiais militares e bombeiros ficassem fora da atual proposta da reforma da previdência em análise na Câmara dos Deputados. Essa mesma condição já havia sido dada para as Forças Armadas.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA 2

Jucá negociou também a mesma condição para os militares e bombeiros dos ex-territórios; que poderão no futuro ter o caso analisado através de projetos apresentados diretamente pelas assembleias legislativas dos estados. Para as Polícias Militares, Forças Armadas e Corpos de Bombeiros Militares, o governo federal deverá entregar nos próximos meses um novo projeto tratando da previdência dessas categorias.

A NOVELA…

A convocação de aprovados em concurso público para o governo do estado teve ontem, mais um capítulo, como toda boa novela. Desta vez, dezenas de aprovados e não convocados fizeram ponto na frente do Palácio Senador Hélio Campos. Reivindicavam a convocação imediata para preenchimento de cargos na Secretaria Estadual de Saúde. A urgência, segundo eles, é porque a validade do concurso, realizado em 2013, extingue-se no próximo mês de agosto.

…CONTINUA

Os concursados se queixam de estar havendo total falta de sensibilidade da governadora para com questão dos concursados. Mesmo tendo consciência de que os quadros da saúde estadual estão defasados, Suely insiste em ignorar que há pessoal capacitado, pronto a ser convocado para suprir as necessidades. Sem dúvida, a convocação desse pessoal traia novo fôlego à saúde da população. Questão humanitária, até.

CONVULSÃO SOCIAL

Ao invés de buscar soluções para os problemas do país, o presidente venezuelano Nicolás Maduro segue em sua decisão de impingir mais dificuldades à população. Aprovou planos para ampliar a 500 mil o número de milicianos, tropa que pega em armas para defender o governo. “O mais rápido possível estaremos treinando um milhão de milicianos armados para preservar a soberania”, disse. A Venezuela vive hoje uma convulsão social.