Questão de Opinião

Compartilhamento irresponsável de 'notícias': inocência ou maldade?

Erros ortográficos à parte, os internautas postam e excluem algo na mesma velocidade


A cada dia que passa as redes sociais se tornam uma terra sem lei e consequentemente um antro de deslealdades, inverdades e intolerâncias. A partir da hora que todo ser humano passou a ter "voz" por meio da internet, o que inicialmente era uma ferramenta para expor ideias, virou um campo de batalha cada vez mais nocivo.

Se a censura seria uma alternativa? JAMAIS! Mas como as coisas têm evoluído [ou regredido] muitas pessoas perderam a noção do que é a liberdade de expressão. E o pior é que na grande maioria das vezes o irresponsável acaba tendo mais visibilidade e curtidas frente aos formadores de opinião que têm uma imagem a zelar e não fazem tudo pela audiência.

Erros ortográficos à parte, os internautas postam e excluem algo na mesma velocidade. Na ânsia de provocar, atacar ou de sair na frente, muita gente troca os pés pelas mãos e acaba sendo covarde e desleal todos os dias.

Eu aprendi nos bancos da faculdade que uma notícia dada erroneamente jamais será revertida. Não adianta excluir, colocar errata ou até mesmo tentar reparar o estrago com outra notícia. Quem viu, viu, e quem não viu, quando ler algo tentando reparar tal injustiça, ainda vai duvidar daquela história.

Recordo-me do início do mandato da ex-governadora Suely Campos. À época ela e seus secretários trapalhões contrataram pelo menos 10 pobres coitados e mortos de fome para atacar seus adversários e quem ia de encontro às lambanças da sua desastrosa gestão. Eram jovens "corajosos" com salários que ultrapassavam os R$5 mil. Eles mantinham um Quartel General que passava o dia criando memes e Fake News.

O tempo foi passando e o grupo de comissionados perdeu força. Suely passou quatro tropeçando e os assessores foram ficando pelo caminho. Atualmente todos estão fora de cena. Uns sem empregos e outros se escondendo de oficiais de Justiça.

Esse foi só um exemplo. Conheço uma dúzia de "formadores de opinião", jornalistas ou não, que um dia acharam que eram imbatíveis. Os mais inteligentes reconhecem que foi um erro e se recolocaram no mercado de trabalho. Afinal, de uma coisa eu tenho certeza: "O Mundo gira".

A conclusão que tiro é que dependendo da sua honestidade terá pela frente um oceano de oportunidades e de chances para mostra seu trabalho. O mau-caráter nas redes sociais não consegue mudar de pele na vida real, mesmo mantendo um Facebook, Instagram falsos ou até um Whatsapp camuflado para não levantar suspeita. Até porque, você é o que você publica.

Portanto, antes de postar algo, pense uma, duas ou três vezes. Afinal, quando você posta uma notícia leviana ou compartilha uma postagem sem saber quem escreveu ou de onde veio, você estará sendo injusto ou maldoso sem necessidade. Agora, se você apurou, tem certeza e confia que está certo, manda bala! A sociedade precisa de pessoas honestas e que assumam o que estão dizendo ou escrevendo.

BRUNO PEREZ - o autor é jornalista e apresentador da TV Band Roraima e rádio 93 FM.


SEE ALSO ...