Questão de Opinião

Tecnologia e Informação

Existem pesquisas que serão concluídas quando a minha geração já não estiver por aqui


Hoje, como a maioria dos dias, acordei, me arrumei e fui ao trabalho. Uma rotina simples que se repete em muitos lares Brasil a fora, e foi nesse momento que me perguntei: será mesmo que se repetem?

Abrimos os jornais, ligamos a TV, ouvimos rádio, e somos bombardeados de informações o tempo inteiro. Isso é uma conquista incrível da humanidade em nosso século: conseguir estar conectados com qualquer um, e a qualquer momento.

Isso facilita várias coisas do nosso dia a dia, e demonizar essa caminhada tecnológica não vai diminuir o avanço dela, mas pode causar em alguns indivíduos uma alienação tecnológica a ponto de se afastarem da sociedade.

Parece uma realidade distante, mas nosso celular, em menos de três décadas, passou de um telefone móvel exclusivo para fazer chamadas a um minicomputador quase indispensável no nosso dia a dia.

Usamos os celulares para pagar contas, acessar a conta bancária, mandar SMS, fazer uma chamada de vídeo, ler e escrever documentos, usar aplicativos que agilizam nosso tempo, e nos lembram de nossas tarefas diárias, sem contar os que nos ajudam a manter a rotina, acordar cedo, manter a dieta, fazer exercício, e outros tantos que também podem lhe ajudar.

Ainda podemos aprender com esses avanços tecnológicos, existem pesquisas que serão concluídas quando a minha geração já não estiver por aqui, como há também o desenvolvimento de vacinas e remédios para doenças que já existem e outros que estão em fase final de teste para ser colocados em prática.

Mas também é verdade, que esse mundo não-tecnológico ainda precisa muito de organizações dispostas a preservá-lo e pesquisá-lo, pois o que não sabemos ainda é maior do que sabemos, e isso só se resolve com pesquisa.

Agora, sem jogar o peso das decisões para os outros, devemos ter consciência que o nosso papel no dia a dia ainda tem valor. Quando temos um surto ou epidemia, nos preocupamos com o bem-estar do grupo, então por que essa mesma preocupação não toma conta das nossas decisões cotidianas? Porque elas não apresentam perigo imediato, acabam ficando pra depois.

Mesmo com todos ouvindo, essas ameaças são tratadas à parte. É ai que entra a prevenção, que devemos organizar para ser feita sempre e para chamar a atenção adequada. A única coisa que realmente resolve, é a informação.

Você viu o salto que demos agora? Começamos o texto nos perguntando sobre realidades, nesse momento seguimos pensando na realidade e caímos no mundo tecnológico temos a nosso dispor, que é bom hoje e daqui a trinta anos ainda será valioso, o que me lembrou que existem hoje resultados do estudo dessas tecnologias, que resultaram a criação do celular, e também das vacinas, que são a forma mais segura de prevenção.

Não adianta falar somente das pesquisas e das descobertas, essas pesquisas precisam trazer resultados, que junto com a informação podem trabalhar para a prevenção de acidentes. 

ELIZA LIMA - A autora é professora, graduada e especialista em Filosofia. [email protected]

 


SEE ALSO ...