Roraima em Alerta

CPI da saúde esquecida e os problemas continuam

010719 RR Alerta


Sujeira

Nem no domingo a população deixou de reclamar dos serviços de saúde do Estado. Fotos compartilhadas por usuários que precisaram recorrer ao atendimento emergencial na Pronto Socorro do Cosme e Silva, mostravam a sujeira acumulada no espaço devido a ausência dos servidores terceirizados, responsáveis pela limpeza. Eles não estavam presentes porque mais uma vez, estão com seus salários atrasados. Decidiram não ir trabalhar, reivindicando o que lhes é de direito básico como trabalhadores. E a desorganização na manutenção desse tipo de contrato coloca mais uma vez, a saúde da população que mais precisa em risco.

 

Pra baixo do tapete

Enquanto o Tribunal de Contas do Estado de Roraima ordena o Governo a descontar 8% do pagamento da Cooperbras, a cooperativa responsável pela oferta da mão de obra de médicos para o Hospital Geral de Roraima, devido à práticas irregulares constatadas nas prestações de contas da mesma, a Assembleia Legislativa segue varrendo a CPI da Saúde para baixo do tapete. Ignorar que as denúncias reiteradas representam um sinal de alerta para a necessidade de se investigar possível crimes cometidos contra a administração pública com o dinheiro da saúde é agir da maneira mais irresponsável possível.

 

Mais recursos

A ALE, estimulada pela iniciativa do seu presidente Jalser Renier (SD) que foi constatar in loco, os problemas enfrentados por pacientes e acompanhantes do Hospital Geral de Roraima teve a sensibilidade de aprovar o orçamento do Estado prevendo mais recursos para a saúde. Já foi dito que a iniciativa é louvável e deve contribuir, se os recursos forem bem aplicados, com a melhoria do atendimento à população. Mas, é este "SE" que carece de muita atenção. Não adianta colocar mais dinheiro na conta da saúde quando não se sabe se o problema real e quase crônico é falta de dinheiro ou a corrupção. Por isso, paralelo a destinação de mais recursos é indiscutível a necessidade da instalação da CPI da Saúde.

 

Cobrando

Em visita ao município de Rorainópolis, o governador Antonio Denarium (PSL) foi alvo de duas cobranças sérias e, em ambos, os casos não deu uma resposta satisfatória aos interessados. No Fórum da Agricultura Familiar, um dos organizadores fez um apelo para que o Governador resolvesse a situação de um agricultor que sofreu um acidente e está aguardando a cirurgia ortopédica. O paciente em questão, estava sentado bem na frente a mesa de autoridades composta por vários secretários estaduais. E apesar de estar diante de várias pessoas, Denarium se concentrou em responder falando dos problemas financeiros da saúde e não deu nenhuma informação concreta sobre a realização da cirurgia, o que foi considerado por muitos vergonhoso. O que se esperava era uma ação positiva do gestor, determinando que o paciente fosse atendido como prioridade, o que qualquer outro governador faria se cobrado por isso em público. Na outra oportunidade, o governador foi abordado pelos que aguardam a continuidade do concurso da Polícia Militar, respondeu de forma ríspida, que nesta segunda-feira (1), resolveria a questão. A promessa está registrada.

 

Vexame

Ainda sobre o Fórum, repercutiu e não de maneira positiva, o discurso de quase uma hora feito pelo governador durante o evento. Além de não responder questões importantes já colocadas pelos agricultores, Denarium se alongou contando as experiências que viveu como produtor no início de carreira e ainda sobre casos de sucesso que tem conhecido em suas viagens em busca de investidores. Seriam temas até interessantes não fosse o tom enfadonho e a falta de bom senso sobre o tempo de fala iniciada em pleno meio-dia. Ficou nítido entre os membros da mesa o esforço que faziam para tentar entender onde Denarium queria chegar. Outros, como o próprio presidente da Femarh, Ionilson Sampaio, optaram por usar a barriga como apoio e dormiram durante a fala do governador. Foi um vexame.

 

Fiasco

Na sua passagem pelo município, Denarium também fez a entrega de obras iniciadas na gestão anterior e que estão sendo concretizadas agora. Em uma solenidade na vicinal 14, contava-se nos dedos o número de colonos, produtores e moradores presentes. Não passavam de dez pessoas, o restante era da própria e imensa comitiva do Governador. Aos olhos dos mais atentos, o evento foi considerado um grande fiasco porque Denarium está em início de mandato, o que torna até compreensível que algumas de suas promessas ainda não tenham sido cumpridas. Porém, a presença ínfima de pessoas em um evento importante, onde se pode estar perto do gestor estadual é um sinal de alerta, uma demonstração ruim de desaprovação da população. Questão que precisa ser tratada com muita atenção por toda equipe de governo e seus apoiadores. Está nítido o enfraquecimento da imagem de Denarium em apenas seis meses de gestão.

 

Galo ou Jacamim?

O senador Telmário Mota (PROS) é conhecido por ser um fã e defensor das rinhas de galo, mas agora passou a adotar o comportamento de outra ave típica do Brasil, o Jacamim. Pra quem não conhece, o Jacamim tem um comportamento peculiar de tomar conta dos filhos dos outros. Telmário tem sido chamado assim porque nesta última semana, teve o disparate de aparecer em solenidades de entrega de equipamentos adquiridos por emendas da ex-deputada federal Maria Helena Veronese. Ele esteve no Cantá, celebrando a chegada de patrulha mecanizada para a agricultura, resultado único e exclusivo do esforço de Maria Helena em seu último mandato. E apesar de pousar de bonzinho, como pai da criança, junto aos novos equipamentos pelo menos, o senador teve a dignidade de citar a nobre ex-deputada. Mesmo assim, não se deteve e aproveitou o momento para fazer propaganda de si mesmo.

 

Implicações do Acordo

O Acordo do Mercosul com o bloco da União Europeia foi amplamente comemorado pela equipe do Governo Federal. A formalização desta parceria representa a possibilidade da conquistas de novos mercados e espera-se que um reforço a mais na economia e na geração de empregos no país. Porém, o que muitos não se atentaram é que o acordo contem cláusulas específicas impostas pela União Europeia ondo o Brasil se compromete a preservar os direitos indígenas e a política de defesa ambiental da Amazônia. Em tese, isso representa novos embates entre ecologistas e as pessoas que defendem o uso do território amazônico para fins produtivos. São questões que devem gerar novos problemas para Roraima e para a Amazônia, considerando a cobrança ambiental e indigenista que poderá ser feita pela União Europeia ao Governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Aqui, cabe o desataque de como o Brasil ainda patina na solução para essas questões e talvez, o maior exemplo dessa disputa ideológica seja a construção do Linhão de Tucuruí que, apesar de estar com projeto aprovado, com recursos liberados e até com uma licitação concluída nunca começou devido aos questionamentos legais feitos especialmente pelo Ministério Público Federal do Amazonas. O atual presidente determinou a obra como de interesse social e a previsão era começar agora em julho, mas isso ainda não aconteceu e agora, com esse acordo, até a União Europeia poderá interferir e se colocar em apoio aos índios wamiri-atroari, por exemplo. Neste cenário, a obra de Tucuruí não sairá do papel.

 

Tristeza

O final de semana foi marcado por diversas ocorrências policiais e acidentes de trânsito. O mais grave aconteceu na estrada de Alto Alegre e terminou de maneira muito trágica com duas crianças mortas, filhos do pastor Davi Sales da Igreja Adventista de Alto Alegre. Sua esposa segue internada em estado grave. Vários membros da igreja, organizações governamentais e pessoas em geral manifestaram solidariedade ao pastor que enfrenta um momento muito doloroso. Até onde se sabe, o acidente foi causado pelo excesso de velocidade, relatado por uma testemunha que foi ultrapassada pelo outro veículo envolvido no acidente e também pela imprudência na realização de uma ultrapassagem perigosa. Seis pessoas ficaram feridas e duas vidas foram interrompidas de maneira muito precoce, entrando para as estáticas que colocam o trânsito brasileiro como um dos mais violentos do mundo. Dados do Ministério da Saúde apontam que uma pessoa morre a cada 15 minutos vítima de acidente de trânsito no país. Um fato que chama atenção num momento em que se discute mudanças nas regras estabelecidas pelo Código Brasileiro de Trânsito e, especialmente, quando a população de Boa Vista se coloca a reclamar de multas geradas pelos radares exclusivamente para quem excede o limite de velocidade. Toda morte no trânsito é considerada evitável, especialmente, quando se trata de correr muito. Reduzir a velocidade, tirar o pé do acelerador é comportamento que deve ser estimulado urgentemente entre os condutores porque a pressa tem ceifado, de maneira irresponsável e triste, muitas vidas. A equipe do Roraima em Tempo registra sua solidariedade ao Pastor Davi e família, com os sinceros votos de estima pela recuperação de sua esposa. Que Deus possa confortar essa família.


SEE ALSO ...