Roraima em Alerta

O contraditório discurso de Ione Pedroso sobre irregularidades no transporte escolar


SEM NOÇÃO

A deputada Ione Pedroso perdeu a noção do ridículo. Na Casa Legislativa, a nobre parlamentar ousou cobrar do Ministério Público a regularização do transporte escolar. Enfática nas palavras, ela exigiu que o órgão apurasse irregularidades. O papel não lhe cai bem, ainda mais na atual conjuntura de ser acusada na Justiça Federal por desvio de aproximadamente R$ 50 milhões do próprio transporte escolar que pode ter sido usado para financiar a campanha eleitoral do ano passado. Afinal, o período em que a empresa do marido dela, que também foi preso por ser o maior beneficiário, recebeu grandes valores no início da corrida pelas cadeiras políticas do Estado.

LEMBRETE

A Coluna relembra a deputada de que a conduta nada lícita, segundo o Ministério Público, fez com que ela usasse uma tornozeleira eletrônica por meses até conseguir um habeas corpus, sabe-se lá como, e se livrou do monitoramento. Esse imbróglio foi tão forte que o Ministério pediu pela prisão preventiva de Ione, mas ela conseguiu se livrar outra vez. Agora, o processo que a investiga por esse rombo milionário aos cofres públicos, parou de ser movimentado no dia 9 de abril. Um tempinho atrás. Depois de o casal acusado conseguir liberdade, nada mais se fala sobre o assunto, mas o processo continua na Justiça e a população se lembra do caso. Então, deputada, vamos parar com esse show pirotécnico.

NADA

O nome de Ionilson Sampaio ainda está no forno da comissão especial que analisa o nome para, de fato, comandar a Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Femarh). Denarium não começou muito bem nas indicações. Airton Cascavel foi derrubado pelos votos dos deputados estaduais. Parece que a demora é para evitar que episódio semelhante ocorra na próxima vez que o nome for lançado para plenário. Aliás, Ionilson conhece bem os trâmites da Casa Legislativa, pois já ocupou uma das cadeiras da Assembleia. A indicação para a Fundação foi no início do mês passado e pelo visto ainda vai demorar um pouco.

VETOS

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa de Roraima derrubou o veto total do Projeto de Lei Complementar de autoria do deputado Jorge Everton (MDB), que isenta do Imposto sobre Propriedade de Veículos (IPVA) as motocicletas com até 150 cilindradas. Agora, a mensagem de veto segue para votação em plenário nas próximas semanas e se aprovado o Projeto de Lei Complementar entrará em vigor. Para o autor, isso beneficiará muitos pais de família que hoje têm a moto para trabalhar ou levar as crianças à escola.

NOMES

Corre pelos corredores da política local que o deputado Odilon já articula para tentar fazer a esposa prefeita da cidade de Caracaraí. Ela perdeu as últimas eleições para a atual mandatária Socorro Guerra. Segundo fontes da Coluna, o parlamentar fez de tudo para garantir uma mão dentro da prefeitura para acertar contas com algumas pessoas que sempre o ajudaram. Não deu muito certo e até o mandato dele está por um fio. Diane Coelho já foi ouvidora geral do Estado, quando o esposo pulou para o lado de Suely Campos ainda em 2017 e garantiu o cargo à esposa. Ela tem histórico na área social, mas um boletim de ocorrência por agredir, certa vez, um funcionário.

CONTRA O TEMPO

Ontem, a Secretaria de Educação lançou outro edital com abertura de seletivo para contratar professores para atuarem no Centro Profissionalizando do Estado e escolas de ensino médio e tempo integral. O Roraima em Tempo trouxe uma reportagem, semanas atrás, que tratava sobre a falta de aula para estudantes do Centro Profissionalizando do Caranã. O governo disse que iria contratar professores. Pelo visto, quem precisa do curso vai demorar um pouco mais para concluir. Foi uma corrida contra o tempo que a secretaria travou para conseguir driblar os holofotes da ingerência. Prova disso foi o atraso no ano letivo da capital, interior e principalmente das comunidades indígenas.

SEM TRANSPORTE

Mas não para por aí. Pais de alunos do interior do Estado relataram à Coluna que as aulas até começaram ontem, um dia depois do previsto, nas unidades de ensino. Contudo, quem depende do transporte escolar para chegar às escolas está perdendo aula, pois não tem carro para buscar e levar os estudantes. A promessa do governador e da secretária Leila Perussolo parece não ser vivenciada na prática. Tem estudante sem transporte e vai perder o ano letivo por conta da falta de articulação da secretaria. Já era tempo ter consertado o mínimo das incongruências da gestão Suely Campos, mas o que se vê são os mesmos erros sendo cometidos pela nova administração.

DIVISOR DE ÁGUAS

Contingenciamento é uma palavra mais bonita para dizer que não vai ter dinheiro disponível por tanto tempo. Na prática, isso reflete em suspensão de bolsas, falta de investimentos na educação e uma série de situações que prejudicam, sim, a área como um todo. Alunos, servidores e a comunidade externa são prejudicados. Grande parte da população aceita os protestos que ocorrem por todo o país. Outra parcela discorda da 'interpretação' dos manifestantes. Se um instituto de educação federal diz que não tem como funcionar depois de setembro e uma universidade não pode mais suprir demandas de limpeza da instituição, é porque algo está bem errado.

DIVISOR DE ÁGUAS 2

Há muitas maneiras de se bloquear recursos. Os salários milionários que os parlamentares consomem dos cofres todos os meses poderiam ser uma saída pacífica e eficaz. O problema é que os poderosos não pensam na população. Não se trata de nova política. A 'desimportância' carregada na veia dos políticos corruptos e não corruptos há anos. Tirar da Educação é empobrecer um país em conhecimento e distanciá-lo de um desenvolvimento promissor. Países da  Europa e o próprio Estados Unidos são provas de a Educação tem de receber mais dinheiro e importância a armamento da população.


SEE ALSO ...