Roraima em Alerta

Servidores Federais são prejudicados na Reforma da Previdência

040719 RR Alerta


Insatisfação
Servidores da CAERR enviaram mensagens para a equipe do RR em Tempo demonstrando insatisfação com o tratamento diferenciado dispensado ao genro do senador Mecias de Jesus (Republicanos), que com menos de seis meses de contrato conseguiu obter o direito ao gozo de férias integral para curtir uma viagem internacional com sua namorada. Os servidores reclamam que a CAERR se tornou um cabide de empregos para apadrianhados de Mecias e que os mesmos, além de contar com regalias como as férias de André Noleto, também ocupam os cargos com maior remuneração dentro da empresa.

Voltou
A insatisfação só aumentou nesta quarta-feira (3), porque André Noleto voltou, se apresentou na empresa, distribuindo chaveirinhos e outros souvenires para os seus colegas mais chegados, como se absolutamente nada tivesse acontecido. Na época em que o fato foi noticiado, o governador Antonio Denarium (PSL) foi categórico ao determinar a suspenção do pagamento do servidor e também a abertura de um processo administrativo contra ele e contra os seus superiores que foram coniventes com a fruição das férias de maneira irregular. O Roraima em Tempo apurou com os denunciantes, mas ao que tudo indica até o momento nenhuma das providência determinadas pelo chefe do executivo estadual foi acatada pela presidência.

Alvo
É essa mesma presidência, hoje sob responsabilidade do jornalista James Serrador, indicação política de Mecias de Jesus, que se tornou alvo de uma denúncia protocolada em maio, nos órgãos de controle. Assinado por trabalhadores da CAERR, o documento diz que foram criados cargos de assessoria especial para a presidência e para todas as demais diretorias e que, pessoas não habilitadas para algumas funções foram nomeadas nesses cargos. A denúncia afirma ainda que servidores foram contratados sem cumprimento da lei, que exige processo seletivo. O fato já é de conhecimento público e indica que Antonio Denarium precisa urgentemente, promover a moralização da CAERR que virou antro de corrupção do senador Mecias de Jesus. A sociedade está cobrando.

Apelo
Uma comitiva formada por vereadores de Boa Vista está percorrendo os espaços do Senado, da Câmara além dos gabinetes de deputados e senadores de Roraima levando o apelo da cidade de Boa Vista pela ajuda do Governo Federal no enfrentamento a crise migratória. O vereador Zélio Mota (PSD) que integra a comitiva usou suas redes sociais para fazer um desabafo, ele diz que todo os custos com atendimentos aos imigrantes está indo para o Governo e para as prefeituras. Até o momento, nenhum centavo foi repassado pela União e, especialmente, os municípios estão em situação muito difícil, comprometendo o atendimento à população brasileira.

 

Desamparados
É assim que estão os servidores públicos federais de Roraima em relação a proposta da Reforma da Previdência. O texto ainda está em discussão mas traz um ponto muito preocupante que trata do pedágio de contribuição. A proposta apresentada pelo relator estebelece um pedágio de 100% para se chegar no valor da aposentadoria integral. Pra entender do que se trata, o texto diz que o servidor poderá se aposentar voluntariamente aos 65 anos, se homem, e aos 62 anos, se mulher, desde que tenha completado pelo menos 25 anos de contribuição, 10 anos de efetivo exercício no serviço público e 5 anos no cargo em que se dará a aposentadoria.
Neste caso, o valor da aposentadoria corresponde à média dos salários de contribuição, partindo do mínimo de 70%. Para atingir os 100%, o tempo de contribuição deverá ser de 40 anos. Praticamente o dobro do tempo trabalhado. Além disso, a aposentadoria compulsória só se dará aos 70 anos para mulheres e 75 anos para os homens.

Decepção
Se por pressão, o presidente Jair Bolsonaro afroxou as regras para os policiais, não fez o mesmo com as demais categorias. Assim, quem trabalha na saúde, na educação, engenheiros, administradores, técnicos e todos os demais servidores federais terão que arcar com essas regras massacrantes para obter o direito à aposentadoria integral. É um prejuízo enorme para os servidores de Roraima que estavam prestes a completar seu tempo de serviço e contribuição. Mas, o pior de tudo é que eles não podem contar com nenhum dos parlamentares da bancada federal, porque até o momento, todos permanecem em silêncio aceitando passivamente essa injustiça que está sendo cometida. Mais uma vergonha e uma decepção para quem ajudou a eleger esses parlamentares.

Sugestão
Como sugestão, a Comitiva defende que a Operação Acolhida seja incrementa com serviços de saúde. Assim, o atendimento aos imigrantes, pelo menos nessa área, seria feito dentro dos abrigos custeado pela União, a partir do trabalho coordenado pelo Exército. É uma boa alternativa considerando que, passado seis meses, o Governo Federal ainda não sinalizou a possibilidade de destinar recursos especiais para ajudar nas despesas que o Estado e os Municípios estão tendo com o atendimento aos venezuelanos.

Experiência
A Comitiva de vereadores também fez questão de visitar o presidente Nacional do MDB, Romero Jucá. Na sede nacional do partido, o grupo apresentou suas ideias ao ex-senador que é considerado por muitos como um dos políticos mais experientes do país. E foi a ajuda dessa experiência que os vereadores foram buscar. Na conversa, Jucá indicou alguns caminhos a serem percorridos pelo grupo dentro do Congresso Nacional. Em suas redes sociais, ele destacou que segue ajudando os municípios de Roraima e que, como presidente do maior partido do Brasil, tem o compromisso de defender os interesses do Estado.

Paramêtro
A postura adotada por Jucá após o período eleitoral tem feito muito eleitor refletir sobre suas escolhas. Independente do resultado das eleições, Jucá segue atendendo a prefeitos roraimenses que buscam ajuda para destravar projetos, continua visitando os Ministérios para garantir a liberação de recursos e visitando os municípios para divulgar as obras e ações que garantiu a partir dos recursos que deixou empenhados para os municípios. Nas respostas das suas publicações não faltam comentários do tipo: "Está trabalhando mais do que os que foram eleitos". Esse comportamento de Jucá se tornou um parâmetro interessante para que o eleitor compare como está atuação dos demais parlamentares. Tem gente que se elegeu mas nem aparece. Outros que perderam a eleição, sumiram e estão voltando aos poucos. Lamentavelmente, são aqueles que só aparecem pra pedir voto.

Quem lembra?
Como pré-candidato, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) esteve em Roraima e trouxe a esperança do fechamento da fronteira. Angariou assim, a simpatia de milhares de roraimenses que, naquela época, já se sentiam preteridos em relação soa venezuelanos. Passada as eleições, o discurso do presidente mudou completamente e, nada de fronteira fechada. Muitos roraimenses depositaram seu voto de confiança em Bolsonaro e seus apoiadores locais (Denarium, Nicoletti, Mecias, Jhonatan de Jesus), esperando uma atitude mais efetiva do novo presidente e confiando na sua afirmativa de que Roraima era 'a menina dos seus olhos'. O que se vê hoje são muitos eleitores decepcionados e frustrados por terem votado em Bolsonaro, acreditando que o mesmo traria uma solução radical, que é típica da sua personalidade, para o enfrentamento à crise migratória. Porém, a situação só não segue do mesmo jeito porque o número de imigrantes que atravessam a fronteira depois da sua reabertura aumentou.


SEE ALSO ...