Últimas Notícias

Ação arrecada frascos de vidro com tampa de plástico para armazenar leite materno

Recipientes devem ser deixados na recepção da maternidade; unidade funciona 24 horas

Créditos: Gabriela G.G. Marcondes
Banco de Leite Humano atende cerca de 40 mães em Roraima - Divulgação

O Banco de Leite Humano do Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth (HMINSN) promove durante o mês de maio uma campanha solidária, com o objetivo de arrecadar frascos de vidro com tampa de plástico para o armazenamento de leite materno. Atualmente, o serviço atende cerca de 40 mães em todo o Estado.

Segundo a coordenadora do Banco de Leite Humano Sílvia Furlin, os frascos podem ser aqueles de café solúvel. Eles devem ser deixados na recepção da maternidade, localizada na Avenida Presidente Costa e Silva, Bairro São Francisco, zona Norte da cidade. A unidade funciona 24 horas.

"Só pode doar leite humano a mãe com excedente de leite. Agora, os frascos podem ser doados por qualquer pessoa de forma voluntária. É importante ressaltar que ao doar um recipiente, a pessoa estará contribuindo para salvar uma vida na UTI Neonatal", declarou.

O ato de amor irá auxiliar as mães que precisam do leite para alimentar os filhos, pois os frascos servem para armazenar o alimento doado para colaborar com aquelas que não conseguem produzir leite logo no começo da amamentação. Assim como os recipientes, a doação de leite também é fundamental. Quem quiser doar basta ligar para os números 4009-4939/4009-4909 e entender o processo.

QUEM DOA LEITE

A solidariedade ao próximo gera empatia e a doação do leite humano auxilia na qualidade de vida de muitos bebês. Cláudia Luísa Eboli é um exemplo, pois sempre que pode doa leite e afirma que é uma satisfação poder ajudar as outras mamães.

"Doar leite é fácil, só basta querer, quanto mais estimula, mais dá leite. Quando a pessoa está disposta ela é capaz. Eu estimulei meu seio no começo para ter mais leite do que o necessário para o bebê e aí ter suficiente para eu doar. Para mim, isso significa muito, pois é dessa forma que posso auxiliar alguém nesse momento tão importante da vida", relatou.

Cláudia tem duas filhas e recentemente deu à luz ao pequeno Ricardo. Por ser mãe, ela sabe a dificuldade da amamentação. "Todas as mulheres têm a capacidade de amamentar seus filhos e se quiserem doar leite também. Se a pessoa tem uma disponibilidade de tempo para fazer a ordenha ela pode, não existe mulher com pouco leite, tudo depende do estímulo", orientou.

Mães de bebês prematuros ou que estejam passando por problemas psicológicos sentem dificuldade em produzir leite logo no começo. É nesta hora que entra o serviço do Banco de Leite Humano e também a solidariedade de outras mães, por isso a importância da parceria interna e externa.

AUXÍLIO IMPORTANTE

Além de distribuir o leite doado e contribuir com a tranquilidade das mães que não conseguem, por diversos fatores, amamentar os filhos, o Banco de Leite Humano auxilia na pega correta da mama, ou seja, orienta as mães de primeira viagem sobre a forma correta de amamentar.

A pega correta é essencial e facilita a vida da mãe que está assimilando todo o processo de amamentação. Existem diversas consequências da má pega e dentre elas estão: dor; desmame precoce; rachaduras no seio; o bebê não ganha peso; ingurgitamento mamário (leite empedrado) e baixa produção de leite materno.

Quando a pega não é a adequada, o bebê abocanha só o bico do mamilo, não encosta no queixo. Assim, a mãe sente dor durante a amamentação tornando o momento sublime num pesadelo.

Além disso, o bebê fica com as bochechas encovadas e o lábio inferior não fica invertido. Se acontecer tudo isso a mãe pode se dirigir ao Banco de Leite Materno para melhorar a qualidade de vida dela, do bebê e tirar todas as dúvidas.  

SAIBA QUANDO A PEGA ESTÁ CORRETA

O bebê abre bem a boca, abocanha quase toda a aréola, mantém boca bem aberta e acoplada ao seio. Os lábios ficam evertidos (boca de peixe) e o queixo encosta no seio.

Dessa forma, fica mais aréola visível acima da boca do bebê do que abaixo e ele suga, respira e engole de forma natural e coordenada. As sucções são lentas e profundas.

A mãe deve ficar com a mão em formato de "C", apoiando a mama. A língua do bebê deve ficar em contato com gengiva inferior, deixando as bochechas arredondadas e bem fixas ao seio, sem escorregar.

SEE ALSO ...