Últimas Notícias

Desemprego em Roraima cresce 56% no primeiro trimestre deste ano, revela IBGE

Número de desempregados passou de 25 mil, no ano passado, para 39 mil no corrente período


Índice no primeiro trimestre deste ano ficou em 15%, conforme IBGE - Divulgação

A taxa de pessoas desocupadas em Roraima cresceu 56% no primeiro trimestre deste ano, revelou pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quinta-feira (16). O número de desempregados passou de 25 mil, no ano passado, para 39 mil no corrente período.

"A taxa de desocupação no primeiro trimestre de 2019 foi estimada em 15%, a taxa mais alta desde que iniciou a pesquisa. A variação foi de 4,7 pontos percentuais em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, a maior entre todas as Unidades da Federação", informou o IBGE.

Com relação à média de quanto ganha um roraimense no mercado de trabalho, nos primeiros três meses deste ano o rendimento médio real foi estimado em R$ 2,2 mil. Segundo o IBGE, o valor permaneceu estável em relação ao trimestre anterior, sendo, assim, o maior da Região Norte.

Já no setor privado, 34% dos empregados estavam sem carteira assinada. Entre os estados brasileiros com maiores proporções neste índice estão: Maranhão (49,5%), Piauí (47,8%) e Pará. Os menos registros foram em Santa Catarina (13,2%), Rio Grande do Sul (18,0%) e Rio de Janeiro (18,4%).

DESALENTADAS

De acordo com o IBGE, a quantidade de desalentados no primeiro trimestre foi de oito mil pessoas. Este indicador apresentou uma queda 46,7% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, quando haviam 15 mil desalentados.

"A população desalentada é definida como aquela que estava fora da força de trabalho. Seja por não conseguir trabalho adequado, falta de experiência ou qualificação, considerado muito jovem ou idosa, não havia trabalho na localidade em que residia - e que, se tivesse conseguido trabalho, estaria disponível para assumir a vaga. Ela faz parte da força de trabalho potencial", explicou o Instituto.

SEMELHANTE

No mesmo sentido da via, dados do Cadastro Geral de Empregos e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, mostraram que no mês de março Roraima registrou leve aumento na geração de empregos.

Foram 76 postos abertos, o que representa um crescimento de 0,14% em relação ao mês de fevereiro. Entretanto, a alta é insuficiente para recuperar as demissões em 2019, que representam 0,6%.

Foram 320 postos de trabalho fechados somente no primeiro trimestre deste ano. Quando se leva em conta o acumulado dos últimos 12 meses, os dados são mais alarmantes: 590 postos fechados, o que representa uma queda de 1,1%.

SEE ALSO ...