Últimas Notícias

Homem com úlcera venosa pede ajuda para pagar cirurgia avaliada em R$ 15 mil

Interessados em ajudar podem entrar em contato pelos telefones (95) 99139-9794 ou (95) 99153-8030

Créditos: Anderson Soares
Úlcera normalmente se apresenta na face interna da perna - Arquivo pessoal

O auxiliar de serviços gerais Isaias Ferreira da Silva, de 30 anos, iniciou uma campanha na internet para conseguir arrecadar dinheiro que custeie um procedimento cirúrgico para tratar uma úlcera venosa, doença que aparece nas pernas, decorrente de traumatismo.  

Os interessados em ajudar podem entrar em contato com ele pelos telefones (95) 99139-9794 ou (95) 99153-8030.

As úlceras venosas normalmente se apresentam na face interna da perna, em pacientes que têm varizes, ou a perna com uma tonalidade marrom. Geralmente são indolores, quando não têm infecção, e apresentam crescimento lento e progressivo. Ficar muito tempo parado em pé ou sentado pode causa a doença.

Silva contou ao Roraima em Tempo que a enfermidade surgiu há quatro anos, quando ele trabalhava numa empresa de produção de salgados. Por conta da atividade que desempenhava, tinha de passar o dia todo em pé. Ele lembrou que as veias inchadas foram os primeiros sintomas. 

"Como ficava muito tempo parado em pé, não demorou muito para ferida abrir e eu ficar impossibilitado de trabalhar. Foi quando busquei tratamento pela Clínica Especializada Coronel Mota com um doutor. À época, ele pediu todos os exames e fiquei, desde então, aguardando a cirurgia", detalhou, ao acrescentar que usa meia ortopédica e pomada para não deixar o ferimento abrir.

De acordo com o auxiliar de serviços gerais, o médico que o atendeu disse para ele deixar o número de telefone. Quando houvesse vaga para realização da cirurgia entraria em contato. No entanto, o especialista nunca retornou. Com a doença em estado grave, Silva retornou à Clínica Especializada e descobriu que o profissional não trabalhava mais na unidade.

Com isso, decidiu buscar atendimento em uma unidade de saúde particular, mas esbarrou no valor cobrado para realização da cirurgia. Ele precisa pagar R$ 15 mil, dinheiro que alega não ter, já que não está trabalhando há anos em decorrência da doença. Para ele, é difícil conviver com a úlcera.      

Silva explicou que após ser atendido por outro médico, finalmente conseguiu, de fato, ficar na fila de espera para realização do tratamento. "Já tenho todos os encaminhamentos para realizar a cirurgia, porém, por falta de materiais e medicamentos na rede pública, não tenho conseguido me submeter ao procedimento", lamentou.

Por já ter passado anos desde que foi feito o diagnóstico da enfermidade, o auxiliar de serviços gerais contou que a medicação não tem surtido mais o efeito desejado. "A ferida não fecha mais, e eu fico sentindo dores o tempo todo", frisou.

SEE ALSO ...