Coluna Roraima Alerta

Opinião: A insistência de Jalser pelo poder

Jalser Renier (SD) ingressou com quatro ações para tentar voltar à presidência da Assembleia


TENTATIVAS

A insistência de Jalser Renier (SD) é inacreditável. Completando 26 na função de deputado estadual e caminhando para o quarto mandato consecutivo como presidente da Assembleia Legislativa, ele só largou a cadeira por força da lei. A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) abriu espaço para a realização de uma nova eleição e ajudou a realizar o sonho do deputado Soldado Sampaio (PC do B), aliado do governador Antonio Denarium (Sem Partido), que foi colocado na função de Chefe da Casa Civil para deixar o caminho livre para Jalser seguir no poderio. Na primeira chance que surgiu no começo deste ano, Sampaio concretizou o sonho. Mas, se depender de Jalser, essa permanência poderá se transformar em um pesadelo.

QUARTA

Nessa segunda-feira (1º), no fim da tarde, Jalser protocolou um quarto recurso junto ao STF para reverter a decisão de Alexandre de Moraes, que o retirou da presidência. O ex-presidente, que já foi taxado em rede nacional como presidente presidiário, alega que o pedido feito pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) deveria ser julgado pelo ministro Nunes Marques, que analisa um processo semelhante no Distrito Federal. Com essa justificativa, Jalser pede que a liminar que ordenou nova eleição seja anulada. Jalser provou que vai seguir tentando.

ANTIPATIA

A relação entre Jalser e Sampaio nunca foi amistosa. Apesar da aproximação da Assembleia Legislativa com o Governo do Estado, consolidada em junho de 2020, com a nomeação de Marcelo Lopes, indicado por Jalser, para comandar a Saúde Estadual, Sampaio sempre manteve uma postura de cobrança ao então presidente da Casa. Em 2019, Sampaio chegou a fazer acusações graves contra Jalser, alegando que ele seria "chefe de quadrilha".

ERRADO NÃO TÁ

Apesar de parecer grosseira, a fala de Sampaio não é em toda mentira. Duas operações na Assembleia apontaram Jalser como chefe de um esquema que envolve contratos milionários da Casa. A rede de pessoas envolvidas é grande e traz nomes de apoiadores de Jalser que, ao que tudo indica, se beneficiaram. Um exemplo é Carlos Olímpio, que era servidor e foi candidato pelo SD ao cargo de vereador nas últimas eleições. Carlinhos, como é conhecido, foi apontado como um dos principais laranjas de Jalser, tendo mais de 300 imóveis registrados no nome dele. Um patrimônio que não condiz com os ganhos oficiais.

LIBERDADE

Quando Sampaio assumiu a presidência, muitos se perguntaram como ficaria a relação entre o governador Denarium e Jalser. Alguns consideram que Denarium estaria sob o poder de Jalser, intimidado pelos atos irregulares, especialmente cometidos na Saúde, que se tornaram marca da gestão e justificaram dois pedidos de impeachment contra o governador. As acusações sumiram quando Denarium aceitou o pacto pela governabilidade, entregando a Saúde nas mãos do ex-presidente da Assembleia. Se livrar de Jalser significaria liberdade para Denarium. Mas, será que ele quer isso? Ou prefere manter uma boa relação com o Jalser? As escolhas de Denarium nem sempre são lógicas.

O QUE FAZER?

Mas, o que Sampaio pode fazer para anular de vez a influência de Jalser na Assembleia? Atos simples, como uma auditoria dos contratos milionários bancados com dinheiro público. Os gastos assustam para uma instituição legislativa, como assustam a quantidade de caminhonetes alugadas. Sampaio mandou recolher os veículos e se deparou com mais 60 caminhonetes. Tantos veículos que nem cabiam dentro do próprio estacionamento da Assembleia. E pouco se sabe sobre a finalidade do uso desses veículos ou a quem eles serviam. Como também não se sabe que medidas Sampaio pretende adotar. Mas, se o objetivo é enfrentar Jalser, começar pela análise dos contratos é uma boa ideia.

RAPIDINHO

  • Pacto: a abertura do governo para Jalser se deu com o pacto pela governabilidade. A proposta era solucionar de forma imediata os problemas da Saúde Estadual, que ainda na primeira onda da Covid-19, eram graves. Meses depois, Roraima continua enfrentando um caos na Saúde. Não é apenas um efeito da segunda onda do coronavírus, mas principalmente, da falta de responsabilidade com a população.
  • Falta Gestão: contratos superfaturados e a confusão com fornecedores que, segundo a Polícia Federal, são geralmente empresas ligadas à correligionários de Denarium, agravaram o quadro. Roraima deveria estar melhor preparada para a segunda onda. Havia recurso e condição para isso. Mas, não aconteceu. Basta lembrar da compra superfaturada dos respiradores. Havia urgência. Foram 30, pagos de forma antecipada. A Justiça anulou a compra e o dinheiro voltou para os cofres do governo. Mas, até hoje, nenhum dos respiradores (que eram urgentes) foi comprado. Se o Estado contasse com esse equipamento hoje, algumas vidas poderiam ter sido salvas nesta segunda onda. Jalser não resolveu o problema de gestão.
  • Prioridade: ainda sobre a Assembleia Legislativa, a Casa deve ter sessão extraordinária nesta terça-feira (2) para discutir duas medidas importantes. A primeira altera a Constituição de Roraima e modifica o artigo que permitia a recondução da mesa diretora da Casa por várias vezes. Com a aprovação do texto, que passará a conter o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF), membros da mesa não poderão concorrer ao cargo na mesma legislatura. Foi isso que derrubou o deputado Jalser Renier (SD) da presidência. Os parlamentares já haviam revogado a resolução que tinha reconduzido a antiga mesa. Agora, seguem para alterar a Legislação Estadual.
  • Vacina: já a segunda discussão se debruça sobre o pedido de prioridade que a Assembleia deve enviar ao ministro Eduardo Pazuello. A deputada Ângela Águida Portella apresentou requerimento, solicitando que um ofício seja enviado e o ministério priorize Roraima no plano de vacinação. Ela justifica que devido à imigração venezuelana e à proximidade com o Amazonas, a vacina precisa ser enviada com prioridade para o estado. Ela tem razão quando cita a pressão nos hospitais causada pela vinda dos amazonenses em grande escala, e que Roraima pode se tornar "o próximo estado brasileiro a enfrentar um colapso sanitário e humanitário total". Esperar para saber se mais vacinas serão enviadas.
  • Fama: a imagem do secretário Marcelo Lopes, sem máscara, em uma festa de aniversário rodou o país. Destaque em programa nacionais como o do apresentador Datena e também em vários momentos na Globo News, a imagem foi apontada como uma postura grave e desrespeitosa. Ainda que tenha tentado justificar, Marcelo se tornou um péssimo exemplo. E abre oportunidade até para justificar uma possível exoneração do cargo que ocupa por indicação de Jalser. Se Denarium fizer isso, está confirmado o rompimento total com o grupo de Renier.

PERGUNTAS

  • Será que Denarium vai aproveitar essa oportunidade para anular a influência de Jalser no seu governo?
  • Por que Sampaio ainda não determinou uma auditoria nos contratos da Assembleia?
  • Que moral o secretário Marcelo Lopes tem para cobrar o cumprimento das medidas de isolamento depois que foi flagrado em uma festa de aniversário?

PENSAMENTO DO DIA

"Faça o que eu digo. Mas não faça o que eu faço" - Ditado Popular