Coluna Roraima Alerta

Opinião: É só promessa de campanha

Com pouco mais de duas semanas para o dia das eleições, candidatos desfilam propostas inacreditáveis


OLHO ABERTO

O eleitor tem que abrir o olho. Na campanha eleitoral, é comum os candidatos prometerem de tudo, discurso que muitas vezes, não se torna realidade quando eles assumem o cargo. Em 2018, muita gente optou por acreditar na "mudança"  e o resultado é o que está se vendo agora. O govenador Antonio Denarium (Sem Partido) não atendeu metade dos compromissos que fez com a população, incluindo melhorar a saúde, acabar com a corrupção no Governo e ainda promover a economia com a reforma administrativa. Tudo ficou em cima do palanque. Chico Rodrigues (DEM), senador licenciado que protagonizou uma das cenas mais vergonhosas da política nacional, também prometeu legalizar o garimpo, retomar a obra do Linhão de Tucuruí e concluir o enquadramento dos servidores. Não fez nada disso, mesmo tendo uma boa proximidade com o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido). O que Chico fez, segundo a Polícia Federal, foi interferir nos contratos da Saúde estadual para se favorecer. Mecias de Jesus (Republicanos) foi pelo mesmo caminho. São dois anos de mandato e sem nenhum dos resultados que prometeu para a população.

RENDA

O deputado federal Nicoletti (PSL) tem apresentado algumas propostas controvérsias. Esta semana, ele apareceu com a proposta de um programa de transferência de renda para a população e argumenta que "se existe dinheiro para obra, tem dinheiro para garantir renda para a população". Como deputado ele deveria saber que o dinheiro que vem para a obra tem destinação específica, não pode ser usado para outros fins, como por exemplo, complementar a renda das famílias. Também deveria saber que a Prefeitura tem um orçamento apertado, bem menor do que o do Governo do Estado que hoje, atende apenas três mil pessoas com o Renda Cidadã. Além disso, o recursos para obras são liberados junto ao Governo Federal e se Nicoletti está contado com apoio da União para isso, deveria saber que já existem programas como o Bolsa Família que cumprem essa função. Prometer é fácil, o difícil é cumprir.

UPAS

Recentemente, um vídeo mostrando o deputado federal Ottaci (SD) em uma entrevista de rádio sem saber informar como iria viabilizar a construção e manutenção das quatro UPAS que está prometendo, fez sucesso em Roraima. Está claro para o eleitor que Ottaci não sabe de onde vai tirar recursos para cumprir a sua promessa. E está mais claro ainda que ele nem se deu ao trabalho de pesquisar a condição das UPAS no restante do país. Numa busca rápida na internet é possível encontrar várias notícias mostrando que esse projeto foi um fracasso. Em 2018, o Ministério da Saúde contabilizava 145 UPAS fechadas em todo o país. No convênio, o Governo Federal repassa o recursos para a construção do prédios, mas são as Prefeituras que precisam comprar os equipamentos e arcar com o funcionamento das Unidades, dia e noite. A maioria não consegue. O prejuízo do programa foi tão grande que o Ministério da Saúde autorizou que as Prefeituras instalassem outros serviços de saúde nos prédios, muitas voltaram a ser Unidade Básica, um serviço mais barato e que cabe no orçamento dos municípios. Se Ottaci não sabe dizer de onde o dinheiro vem, significa que falar que vai construir quatro UPAs é apenas mais uma promessa de campanha.

LEITE

Já Shéridan (PSDB) apareceu na TV relembrando os programas sociais mantidos no governo de Anchieta Jr, ex-marido da candidata. Falou que vai implantar um novo programa para distribuir leite para as mães, mas não se preocupou em saber se o município já faz isso. Sheridan não sabe que já existe o programa Leite da Família, que atende hoje mais de quatro mil crianças com até três anos de idade atendidos em ações como o Família que Acolhe, o Programa de Visitação Domiciliar e o Grupos de Famílias dos CRAS. Portanto, prometer leite para as família é apenas dar continuidade ao trabalho que vem sendo realizado. No mais, a deputada poderia cobrar do amigo e aliado Denarium, a atenção especial que idosos, pessoas com deficiências e famílias de baixa renda precisam e que o Governo do Estado não tem cumprido. Mas, por que ela não faz isso?

O QUE FIZERAM?

Todos são deputados federais mas, em dois anos de mandato nenhum deles se preocupou em destinar recursos para contribuir com a Prefeitura na realização de obras ou ações. E usam como desculpa que destinaram dinheiro para a capital através do Governo do Estado, o motivo dessa escolha não é explicado. Além disso, Nicoletti, Ottaci e Sheridan se somaram aos colegas Jhonatan de Jesus (Republicanos) e Hiran Gonçalves (PP) que votaram contra a emenda que previa a continuidade do valor de R$ 600 do Auxílio Emergencial até dezembro. O prejuízo para a população que hoje, eles dizem que vão ajudar foi imenso. Será que eles não pensaram nessa parcela da população antes?

RAPIDINHO:

- Indeferido: o candidato Wilson Précoma e sua vice, Lila Saldanha (PCO) e o vice, teve o pedido de registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral de Roraima. Eles afirmam que irão recorrer, mas por enquanto, Boa Vista tem oficialmente 10 candidatos na corrida pela Prefeitura.

- Posse: apesar de não haver impedimentos legais para a posse de Pedro Rodrigues (DEM), filho e suplente do senador licenciado Chico Rodrigues, existe uma forte resistência dentro do Senado Federal para que isso aconteça agora. Alguns senadores consideram que a situação compromete a imagem da Casa e consideram que o melhor é Chico renunciar ao cargo. O senador licenciado ainda deve responder a uma representação no Conselho de Ética da Casa.

- Complicações: o relatório produzido pela Polícia Federal para a Operação Desvid ainda gera complicações para Pedro. Uma tem relação direta com uma arma encontrada na durante as diligências que inicialmente, Chico disse pertencer ao filho e depois, mudou a versão da história. Porém, a Polícia Federal apreendeu o celular de Pedro por verificar que o mesmo faz parte de um grupo de whatsapp de atiradores de caça. As mensagens serão usadas para identificar a posse da arma. Outra situação que complica o suplente é o fato da sua empresa San Sebastian compartilhar o mesmo endereço do gabinete parlamentar do pai, além de usar duas servidoras do Senado como próprias funcionárias. Tudo isso está sendo analisado pela Polícia.

- Gestor Paralelo: o relatório da Polícia também aponta que Chico Rodrigues atuava como uma espécie de gestor paralelo da saúde. As provas disso estão em mensagens de celular trocadas entre o parlamentar e o ex-servidor da Secretaria de Saúde, Francisvaldo Paixão que delatou o esquema de corrupção dentro da Sesau. Chico nega tudo, mas a Polícia afirma que ele se valia da sua proximidade com o governador Denarium. Foi o próprio governador inclusive que decidiu exonerar o ex-secretário Alan Garcês e nomear como titular da pasta, Francisco Monteiro. A Polícia tem evidências de que foi Chico que insistiu nessa escolha.

- Conluios: o documento produzido pela Polícia Federal traz evidências de situações que são há muito tempo conhecidas da população, especialmente no que diz respeito à interferência de políticos nos contratos da saúde. O primeiro titular da Sesau, Ailton Wanderley denunciou essa situação ao deixar o cargo e nada mudou desde então.  O relatório da PF diz que existem várias evidências de um "conluio" na destinação dos recursos federais de emendas parlamentares para a compra de equipamentos. Segundo a PF, as empresas contratadas são indicadas pelos próprios deputados e senadores que acompanham de perto o uso dos recursos.

- Respeito: nesse domingo (25), a disputa eleitoral por Boa Vista ganhou o tom do pesar e respeito. Adversários políticos abriram mão da disputa eleitoral e cancelaram as agendas para prestar uma justa homenagem a Edileusa Lóz, vice do candidato Arthur Henrique (MDB) que faleceu vítima do Covid-19. Edileusa dedicou mais de 20 anos de sua vida ao trabalho social feito pela Prefeitura de Boa Vista. Esteve à frente dos projetos sociais, cuidando de muitas famílias e nos últimos anos, assumiu a função de chefe do Gabinete Executivo, contribuindo ao lado de sua amiga de longa data Teresa Surita (MDB) com a gestão do município. Antes de ser uma figura política, Edileusa sempre foi admirada e respeitada por todos. A Coluna registra o sentimento de solidariedade à família.

PERGUNTINHA:

  1. Por que os deputados federais ainda não explicaram o voto contrário à emenda que garantiria a manutenção do Auxílio Emergencial de R$ 600 até dezembro?
  2. Qual a responsabilidade de Denarium diante dos evidências apontadas pela Polícia Federal sobre a interferência de aliados políticos nos contratos da Saúde?
  3. Será que Pedro Rodrigues, filho de Chico, vai mesmo assumir a vaga do pai no Senado Federal?

PENSAMENTO DO DIA

"Que o teu trabalho seja perfeito para que, mesmo depois da tua morte, ele permaneça" - Leonardo da Vinci