Coluna Roraima Alerta

Opinião: Telmário Mota passa de críticas à simpatia com governador de Roraima

Telmário Mota afirmou ontem, em vídeo, que o chefe do Executivo 'conquistou ainda mais minha simpatia'


VIAGEM DE DENARIUM

Mais uma vez, e Coluna já perdeu as contas, Antonio Denarium vijou para Brasília. Nesse tempo, ele já defendeu a manutenção do Fundeb, principal recurso do Estado à educação e que está ameaçado; recebeu a doação de 100 computadores para ajudar nas atividades do governo de Roraima; e, por último, mostrou a assinatura de termo de ajustamento junto ao Ministério de Infraestrutura. Esse documento permite que haja desbloqueio das contas da Cide, uma verba federal constitucional. Contudo, para que isso ocorresse, o governo se comprometeu em devolver para a própria conta estadual da Cide R$ 19,8 milhões, usados indevidamente pelos governos anteriores. Essa informação de desvio de recursos já havia sido adiantada pelo Roraima em Temo, no mês de abril. Pois bem...

QUESTIONAMENTO

A dúvida que se levanta frente a esse comprometimento: o Executivo vai ter condições de pagar esses milhões nos próximos dois anos? Se o dinheiro foi gasto indevidamente, as obras já foram feitas? Os recursos ainda existem e podem ser remanejados? O Estado vai tirar do próprio bolso quase R$ 20 milhões para pagar esse rombo deixado pelos outros? Equilibrar as contas públicas é o maior desafio de Denarium. Esse débito vai ser rateado com todos os roraimenses? A busca por controlar os gastos perpassaria por outras decisões, como a reforma administrativa, corte de cargos em comissão e por aí vai... Em meio a esse mar de decisões, o governo deveria enviar a proposta de redução de secretarias e traçar metas ainda mais ousadas para o próximo ano, já que o Plano Plurianual não deixou claro o que será feito e o que não será feito. Falta transparência.

DEFENDEU-SE

O deputado estadual Jeferson Alves defendeu-se das imagens em que aparece sugerindo que outra pessoa melhore os conhecimentos sobre rinha de galo. Fica claro na gravação que o tema da conversa é rinha de galo, mas o deputado limitou-se a dizer que sempre criou galos e que gosta do animal. "Nunca escondi de ninguém que sou criador de galos", disparou. "Que crime cometi?", questionou em seguida. Bem... Não há crime em criar animais. Qualquer pessoa pode ir a uma feira, comprar galinhas e cria-las. Contudo, a prática de rinha, como o próprio amigo de Jeferson, Telmário Mota, aparece apreciando, é sim crime. Maus-tratos aos animais, para sermos específicos. Inclusive, o deputado e Mota já foram vistos em outros vídeos falando sobre a rinha de galo. Oferecer hospedagem para alguém aprofundar conhecimentos em maltratar animais é, no mínimo, falta de bom senso e conhecimento para quem se diz parlamentar.

ARGUMENTO

Jeferson tentou se esconder atrás das acusações contra a Operação Acolhida. Desde que ele e Telmário Mota passaram a criticar as ações de acolhimento, inclusive com direito a Telmário descendo o nível com o general Eduardo Pazuello, o tema está sempre na ponta da língua dos parlamentares. Entretanto, pautas como Linhão de Tucuruí, que Telmário uma vez anunciou ter conseguido liberar, e a corrente do Jundiá, que ajudou no discurso de campanha de Jeferson, continuam à mercê de resultados. Atacar os outros é fácil, fazer algo pelo povo roraimense é mais difícil. Um prefeito já relatou à Coluna, certa vez, que precisou ligar para o senador Telmário, questionando onde estavam os milhões que ele havia destinado para o município. O mandato do senador é marcado por falas desconexas e falta de recursos federais. O auge de sua impopularidade foi a derrota para o governo de Roraima no ano passado. Mesmo assim, ele ainda conseguiu emplacar Jeferson, apadrinhado que tem patrimônio de mais de R$ 1,6 milhão, segundo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

DE CRÍTICAS À SIMPATIA

Quem viver verá, já dizia o ditado. Após escrachar com o governador Antonio Denariu, Telmário Mota afirmou ontem, em vídeo, que o chefe do Executivo "conquistou ainda mais minha simpatia". "Fiquei impressionado e feliz e ver suas ações positivas", declara Mota a Denarium. Meses atrás, o senador pediu para que Denarium o enfrentasse e fez uma série de acusações contra o governador. "Pode vir Denarium. Na verdade, você praticou estelionato político com o povo de Roraima. [...] Denarium, vou dizer uma coisa para você: você não vai roubar. Eu vou denunciar isso no Ministério Público Federal, no Tribunal de Contas", declarou o político num vídeo anterior. À época, o governo disse que iria processar Telmário pelas acusações infundadas. Agora, eles aparecem trocando simpatias e sorrisos, segundo o senador, pelo bem do Estado. Como sempre, Denarium disse: "Estamos organizando as contas públicas, acabando com a corrupção e aplicando corretamente o dinheiro público. O governo está andando. Não fizemos tudo, mas muita situação já melhorou", garantiu.

O QUE HOUVE?

O que teria ocorrido para Telmário se aliar a Denarium? Um ferrenho crítico da gestão do pesselista não pode mudar da água para o vinho sem nenhuma explicação mais contundente. Onde está a moral do senador? Parece haver dúvida de qual lado ele está. Houve alguma negociação por trás desse discurso de ajudar o estado? A verdade é que a imagem de Telmário está totalmente desgastada. Aliar-se a ele, nesse momento, não tem muita diferença. Sem trânsito em Brasília, o parlamentar responde a processos na Justiça por violência contra mulher e pode ter o mandato suspenso ou cassado por quebra de decoro. De um temperamento explosivo e mal educado, o político precisa aprender a se comportar como político e saber representar melhor o povo de Roraima.

SUBSTITUTA

Elaine Bianchi assumiu a relatoria de um dos processos que corre na Justiça Eleitoral contra Antonio Denarium e Frutuoso Lins, que já até estão rompidos. O despacho foi feito pelo presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR), Jefferson Fernandes. O caso ocorre depois de o desembargador Leonardo Cupello se declarar suspeito nos quatro processos. Um incidente de suspeição ainda será julgado pelo juiz Francisco Guimarães. Até então, todos os trâmites estão suspensos. No caso da Ação de Investigação Judicial Eleitoral, deve correr normalmente, já que Elaine foi convocada pelo presidente da Corte. Segundo o Regimento Interno, comprovada a exceção do relator, será realizado novo sorteio.  Ao que tudo indica, as outras ações aguardam decisão de quem será o novo relator. A declaração de suspeito foi adiantada pelo Roraima em Tempo, no início da semana.


SEE ALSO ...