Notícias Locais

Campanha da Fraternidade 2019 debate tema voltado às políticas públicas

Após escolher um problema enfrentado pela sociedade brasileira, Igreja Católica trabalha assunto com fiéis

Créditos: Jaqueline Pontes
A cada ano, a Campanha da Fraternidade busca resultados concretos sobre o tema tratado - Edinaldo Morais/Roraima em Tempo

Carnaval chegou ao fim e os católicos se preparam para os quarentas dias que antecedem a Páscoa. Neste período, os fiéis trabalham a Campanha da Fraternidade que será lançada nesta quarta-feira de Cinzas em todo o Brasil, com o tema políticas públicas.

A Campanha da Fraternidade é realizada todo ano, período em que é escolhido um tema relacionado a problemas concretos enfrentados no país. A ação deste ano tem como objetivo estimular a participação em políticas públicas, além de fortalecer a cidadania da Igreja Católica.

De acordo com um dos coordenadores da Campanha da Fraternidade em Roraima, Danilo Bezerra, é necessário que a participação popular seja mais efetiva no sentido das políticas públicas diante de problemas enfrentados pela sociedade brasileira, onde direitos adquiridos estão ameaçados.

"O grande apelo desta campanha é trabalharmos o tema para que possamos conhecer mais e nós organizar de fato nos espaços de participação social e incidências políticas. Participando assim do processo de efetivação das políticas públicas no contexto de desmonte dos nossos direitos", disse.

A cada ano, a Campanha da Fraternidade busca resultados concretos sobre o tema tratado. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil lança a campanha nesta quarta-feira de Cinzas em todo o país, e durante todo o ano, a Igreja Católica trabalha o tema com os fiéis.

"Hoje tem o lançamento da Campanha da Fraternidade em todo o Brasil pela CNBB e ocorre de forma muito intensa na Quaresma, período que chamamos de preparação para a Páscoa. Mas vai se intensificando durante todo o ano, onde nos comprometemos com a Campanha", contou.

O religioso relata ainda que a Igreja tem responsabilidades sociais, pois segue Jesus Cristo, homem assassinado em uma cruz após defender desfavorecidos. Segundo Bezerra, quando a sociedade é atingida de forma negativa e intensa, a Igreja Católica deve sair em defesa dos direitos.

"Estamos vivendo uma época de desmonte dos nossos direitos. A gente olha a questão da previdência social, a criminalização dos movimentos sociais, entre outras questões. Não podemos continuar perdendo direito, como vem acontecendo e a Campanha ganha força no contexto de desmonte dos nossos direitos".

SEE ALSO ...