Notícias Locais

Junta Comercial de RR registra abertura de quase 3 mil empresas e fechamento de 950

Tempo médio para abertura de uma empresa é de 45 horas; com isso, a Junta Comercial de Roraima é classificada como a mais ágil do País

Créditos: Neidiana Oliveira
- Neidiana Oliveira

Com o alto índice de desempregos, a alternativa para muitas pessoas foi empreender. Em Roraima, a Junta Comercial (Jucerr) registrou a abertura de 2.764 empresas. Em contrapartida, foram extintas 950. Os dados compreendem os meses de março a novembro de 2018. A maioria dos novos registros, 2.116, foi de microempreendedores individuais (MEIs).

No oitavo mês do ano, foram criadas quase 376 empresas, o maior número das estatísticas. Já em setembro, foram registradas 256, menor quantidade. Conforme os dados da Jucerr, março foi o que teve mais encerramentos nos cadastros, contabilizando 125, enquanto o que menos registrou foi novembro, com 86 empresas fechadas.

Com relação aos MEIs, os números da Junta Comercial mostram que agosto foi o que mais registrou abertura de empresas, sendo 290 novos registros. Mas, no mês seguinte, os números caíram para 187, sendo o menor do ano. Segundo constatações feitas junto aos dados da Jucerr, o penúltimo mês do ano foi o que registrou menos extinções de empresas, 58.

Com uma série de melhorias nos serviços prestados desde 2017, a Jucerr foi classificada como a mais ágil do País, com um total de 86,7% no ranking de qualidade da Rede Simples, ficando à frente de Rondônia e Alagoas, segundo informações da Receita Federal. Entre os progressos, estão a implantação do Portal do Usuário, Via Única, Integração e Registro Digital.

A presidente da Jucerr, Mariana Poltronieri, afirmou que com o apoio das novas tecnologias, bem como com a implantação do sistema Rede Simples Digital em 2017, o trabalho passou a ser mais eficiente.

"O que antes demandava muito tempo, gasto de papel e locomoção, agora, ficou mais prático e eficaz, pois o trabalho é praticamente feito pela Internet", informou.

Ela destacou que uma das metas da Junta é manter o status de mais ágil do país, mas para isso pretende entrar em acordo com os órgãos fiscalizadores e de licenciamento para emissão de alvarás de empresas para que consigam dar mais celeridade nos processos burocráticos e assim reduzir o tempo de espera do empresário.

"O que depende do trabalho da Jucerr é realizado muito rápido, mas a proposta é que todos os órgãos envolvidos também tenham essa agilidade. Então, vamos conversar com os novos gestores para sensibilizar toda a equipe novamente para que em 2019 a gente avance ainda mais neste quesito", assegurou.

Segundo Mariana, os processos tiveram mais celeridade por conta da facilidade em realizar todos os procedimentos burocráticos para cadastramento e atualizações das empresas por meio da Internet.

"Com a integração, foi possível deixar nosso acervo documental digitalizado. Neste ano, a ideia foi avançar no sentido de ampliar e integrar os municípios", frisou.

Quanto à integração no sistema, a presidente da Jucerr ressaltou que ainda faltam seis municípios do interior, sendo estes Caroebe, São João da Baliza, Uiramutã, Normandia, Amajari e Iracema. Os principais percalços estão na limitação de acesso à Internet em algumas localidades, mas devem ser inclusos no sistema Rede Simples a partir do ano que vem.

Ainda para o próximo ano, Mariana informou que a Junta buscará reativar ou aperfeiçoar os serviços de integração automáticos com a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) e com os órgãos de licenciamento estadual, a fim de garantir um serviço mais completo e de qualidade.

Outra meta é passar para a terceira fase do projeto de automatização digital denominado Rede Simples Digital, com o intuito de oferecer novos serviços e simplificação dos procedimentos de abertura e encerramento de empresas.

 

SEE ALSO ...