Notícias Locais

No último dia do Enem, estudantes relatam dificuldades em disciplinas da área de exatas

Um fator favorável foi que este ano o Ministério da Educação acrescentou 30 minutos ao segundo dia de prova

Créditos: GABRIELA MARCONDES
- Edinaldo Morais

Nesse domingo (11), aconteceu a segunda etapa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018. Os portões em Roraima foram abertos às 10h e fechados às 11h. No último dia da avaliação, os estudantes tiveram cinco horas para resolver as 90 questões de matemática e ciências da natureza (física, química e biologia). Em Roraima, 14.067 candidatos se inscreveram para esta edição.

Um fator favorável foi que este ano o Ministério da Educação (MEC) acrescentou 30 minutos ao segundo dia de prova atendendo a um pedido dos candidatos que reclamaram que o tempo nas outras edições não era suficiente para responder todas as questões. Esse bônus agradou a muitos e lhes deu a chance de melhorar a pontuação no exame.

Segundo os estudantes, mesmo no domingo tendo mais questões de exatas a prova foi bastante cansativa devido aos textos longos. Eles também relataram que as disciplinas de química e matemática trouxeram questões bastante difíceis.

A maioria dos aspirantes levou "kits de emergência", como água, para se manterem hidratados, chocolates, barrinhas de cereal e até comidas um pouco mais reforçadas para aguentar as cinco horas de prova.

Edilane Lima, 27, que fez a prova na escola Gonçalves Dias e quer cursar farmácia, achou o exame um pouco cansativo.

"Os textos foram menores do que no primeiro domingo já que não se teve a disciplina de Língua Portuguesa, mas para mim hoje a disciplina de química foi bastante difícil e acredito que para ter um melhor Enem é preciso melhorar os textos, não alongar muito eles, porque quando a gente já chega nas questões finais se perde, e isso desconcentra", disse.

Para Matheus Oliveira, 18, que fez o Enem pela terceira vez, a dificuldade encontrada foi nas disciplinas de química e biologia.

"Esta é a terceira vez que faço o Enem, só que agora valendo, já que nas outras duas vezes eu fiz mais para treinar. Química e biologia estavam bem difíceis, a prova em si foi bem cansativa, mas com esforço, a gente consegue tudo", relatou o estudante que quer cursar agronomia na Universidade Federal de Roraima (UFRR).

Diferentemente de Edilane e Matheus, a estudante Angélica Dutra sentiu muita dificuldade na disciplina de matemática. A concorrente de 28 anos almeja cursar enfermagem e fez a prova na escola Oswaldo Cruz.

"Para mim, matemática foi bastante difícil. Para questões de porcentagem e regra de três era preciso ter mais atenção, pois tinham um grau alto de dificuldade. Achei a prova bem cansativa, mas acredito que me saí bem", comentou Angélica, que destacou ainda que preferia quando o Enem era feito em apenas um dia e continha menos questões.

Os entrevistados concordam que os textos longos das provas podem ser melhorados e que se devem abordar assuntos mais atuais.

 

SEE ALSO ...