Notícias Locais

Repasse de R$ 225 milhões deve garantir pagamento de servidores até sexta-feira

Servidores de várias categorias entraram em greve e fizeram vários protestos por salários atrasados nos últimos meses do governo de Suely Campos, agora afastada do cargo

Créditos: Edumar Junior
- Edinaldo Moraes

O governador eleito e interventor, Antonio Denarium (PSL), espera receber o repasse de R$ 225 milhões do governo federal ainda nesta terça-feira (18) para dar início ao pagamento dos servidores estaduais. Segundo a assessoria do Palácio, será priorizado o 13º de todos os servidores. Os funcionários públicos devem receber os salários até a próxima sexta (21).

De acordo com o governo do Estado, o repasse da verba federal acordada entre o interventor e o presidente da República será feito assim que os recursos estiverem disponíveis. Esse processo depende da geração das ordens bancárias, o que leva em média um dia.

Algumas secretarias podem começar a receber nesta quarta-feira (19). No entanto, o Executivo não soube especificar quais seriam as pastas prioritárias. Os pagamentos seriam gradativos de acordo com as ordens bancárias que forem sendo geradas. Até sexta-feira, a previsão é que todos os servidores recebam os salários atrasados.

Até o momento, somente os servidores da Segurança tiveram o pagamento de outubro regularizado, devido a uma negociação entre o Judiciário e o Executivo, que resultou no desbloqueio de R$ 19 milhões. O atraso é devido à grave crise financeira que afeta Roraima e levou ao afastamento de Suely Campos do cargo. Os servidores ainda aguardam receber os meses de novembro e dezembro.

VERBA FEDERAL

O presidente da República, Michel Temer (MDB), decretou intervenção federal e nomeou o governador eleito, Antônio Denarium, como gestor até 31 de dezembro, um dia antes de assumir definitivamente o governo estadual. Para colocar os salários dos servidores em dia, o governo federal liberou para Roraima R$ 225 milhões por meio de uma medida provisória (MP).

O dinheiro não vai liquidar todos os débitos contraídos nos últimos anos pelo governo estadual, mas deve pagar parte das contas consideradas de urgência, avaliou Denarium, já que eles giram em torno de R$ 4 bilhões, entre dívidas atuais e antigas.

Durante uma reunião em Brasília, Denarium pediu para a União a elevação do recurso de R$ 200 milhões para R$ 500 milhões, o que deve ser avaliado pelo novo presidente, Jair Bolsonaro, do mesmo partido do interventor, o PSL.

No entanto, o Ministério do Planejamento anunciou que o governo federal conseguiu aumentar para R$ 225 milhões as verbas para ajudar o Estado. Esses R$ 25 milhões acrescidos serão destinados para pagar dívidas com os municípios, como o ICMS, ISS e IPVA.

 

SEE ALSO ...