Polícia

Autônomo foragido da Justiça é executado com tiros na cabeça dentro de rede em casa

A principal suspeita da polícia é de que a morte de Santos foi acerto de contas, possivelmente por dívida de drogas


Carlos dos Santos estava dormindo na sala quando foi executado - Divulgação

O autônomo Carlos Daniel Oliveira dos Santos, 26 anos, foi executado a tiros na noite de terça-feira (16) na Zona Oeste de Boa Vista. O crime ocorreu por volta das 22h na casa da vítima localizada na rua A, número 180, numa antiga área de invasão, hoje denominada de bairro Nova Esperança, no final da Avenida Ataíde Teive.

Segundo foi apurado pela reportagem do Roraima em Tempo com uma equipe de policiais militares que atendeu a ocorrência, Daniel foi assassinado com dois tiros na cabeça enquanto dormia dentro de uma rede. De acordo com o relato de uma testemunha, momento antes de Santos ser executado ele viu um automóvel Zafira prata com cinco indivíduos parar na frente da casa da vítima.

Em seguida dois dos desconhecidos saíram do veículo e entraram na casa da vítima e fizeram os disparos. Depois voltaram para o carro e fugiram junto com os comparsas que ficaram aguardando no veículo.

A principal suspeita da polícia é de que a morte de Santos foi acerto de contas, possivelmente por divida de drogas, ou ainda devido à briga sangrenta que envolve duas facções criminosas PCC e CV, pelo domínio do tráfico de drogas e do crime organizado em Roraima, e já resultou em dezenas de mortes de ambos os lados.

Ontem surgiu a informação de que a vítima seria foragida do sistema prisional. A reportagem falou com um policial da Divisão de Inteligência e Captura (Dicap), que confimrou a informação e disse que Carlos Daniel Oliveira dos Santos era foragido da Justiça de Roraima. "Havia um mandado de prisão em aberto contra ele no Banco Nacional de Mandados de Prisão", frisou ao acrescentar que agora com a morte dele o documento tonará invalido.

O corpo de Santos foi removido ao Instituto de Medicina Legal (IML) ainda na noite de terça-feira, após a perícia do local do crime e na manhã dessa quarta-feira (17), ao final do exame cadavérico o corpo do autônomo foi entregue para a família fazer o velório e sepultamento.

Além dos PMs que atenderam a ocorrência, agentes do plantão da Delegacia Geral de Homicídio da Polícia Civil estiveram no local e iniciaram a investigação para tentar identificar e prender os assassinos, mas até o fim do dia seguinte (quarta-feira) nenhum suspeito foi preso nem identificado. Também o carro com os outros três homens que andavam com os homicidas não foram encontrados.

SEE ALSO ...