Questão de Opinião

Posse Caboca: Sujeito de Direito ? O Caboco (2)


A caracterização mais atual do caboco ocorreu em consequência da abertura das grandes rodovias na Amazônia, implantação de grandes projetos agropecuários e grandes projetos de infraestrutura, na década de 1970, como nova fronteira agrária, tendo como referência a rodovia Belém-Brasília, inaugurada no ano de 1961, para ligar a Amazônia as outras regiões do Brasil

O caboco é fruto da miscigenação proporcionada pela confluência de povos diversos que deslocaram-se para a Amazônia. BENCHIMOL (Amazônia: formação social e cultural, 2009, 25) sustenta ter o ciclo de vida do caboco se adaptado às vicissitudes regionais, em que o espaço é importante elemento cultural desse sujeito tipicamente amazônico, donde ele retira "[...] recursos materiais de subsistência e as fontes de inspiração do imaginário de mitos, lendas e crenças".

A presença do nordestino na Amazônia, reconheço, causou profunda transformação sociocultural, política e econômica na região, levando à nova concepção da Amazônia distinta da Amazônia caboca: mentalidade, estilo de vida, padrões sociais e culturais. Todavia, os nordestinos que ficaram na Amazônia constituíram família, em novo  processo de miscigenação do nordestino com a caboca, com a índia, mas todos com características cabocas, distantes das margens dos rios, no chamado centrão, onde derrubavam a mata em torno da casa; chamo de "caboco do centrão". Nem superior nem inferior, apenas um caboco diferente.

A caracterização mais atual do caboco ocorreu em consequência da abertura das grandes rodovias na Amazônia, implantação de grandes projetos agropecuários e grandes projetos de infraestrutura, na década de 1970, como nova fronteira agrária, tendo como referência a rodovia Belém-Brasília, inaugurada no ano de 1961, para ligar a Amazônia as outras regiões do Brasil. No sentido Sul-Norte foram construídas a rodovia Cuiabá-Santarém, Cuiabá-Porto Velho, Porto-Velho-Manaus e Manaus-Boa Vista, enquanto no sentido Leste-Oeste foi construída a famosa rodovia Transamazônica e a rodovia Perimetral Norte. Houve grande corrente migratória interna, para ocupação das terras às margens das rodovias e dos grandes projetos, algumas já ocupadas por cabocos outras reconhecidas áreas indígenas, a degradação ambiental é fato, marcadamente no Sudeste do Estado do Pará, Norte de Mato Grosso e Rondônia, muitas cidades surgiram, houve conflito? a miscigenação foi inevitável do caboco e da caboca com os migrantes bugres, caipiras e matutos, também mestiços, do Sul, Sudeste e Centro Oeste do Brasil, fazendo surgir o "caboco de rodovia".

Portanto, o caboco, como mestiço, deve ser compreendido como um grupo étnico nem superior nem inferior ao português ou ao índio, ou quaisquer outros grupos étnicos. Como exemplo figurativo de miscigenação, lembro a bandeira do Brasil: a cor verde misturada com a cor amarela produz a cor azul; é outra cor, é nova cor, nada lembrando as outras cores de sua composição, nem mais bonita nem mais feia; depende da "crítica do juízo", do "juízo do belo"; prefiro a cor verde, minha mulher prefere a cor azul celeste, simplesmente uma questão de gosto e preferência.

*O autor é professor de Direito (UFRR), presidente da Academia Brasileira de Letras Agrárias e desembargador aposentado (TJE/RR).


Gursen de Miranda

SEE ALSO ...