Roraima em Alerta

Caos na saúde e Codesaima vira negócio familiar

150719 RR Alerta


Continua

Parece repetitivo mas as reclamações sobre a péssima qualidade do atendimento em saúde em Roraima continuam a surgir. Neste fim de semana, a denúncia era de que faltava anestésico básico para fazer suturas nos pacientes. O material estava em falta no estoque do Pronto Socorro Cosme e Silva que passou a encaminhar os pacientes para o Hospital Geral de Roraima. E para quem peregrinou do Pintolândia para o Mecejana em busca do serviço, encontrou o HGR também desabastecido do material. Pelas informações que chegaram ao Roraima Em Tempo, foram horas de espera para que um simples curativo pudesse ser feito. Tá, tá, tá acontecendo?

 

Nibiru

Depois que apareceu em uma reunião recebendo conselhos do senador Telmário Mota (PROS), o Governador Antonio Denarium (PSL) parece que ficou ainda mais distante da realidade. A impressão é que o encontro fez o governador viajar para Nibiru e por lá, ele permanece estacionado. A Coluna faz esse destaque para chamar atenção às criticas recebidas por Denarium depois que o mesmo usou sus redes sociais e sua estrutura de disparo de conteúdos nos grupos de whats para dará visibilidade ao ato de condecoração de um profissional da Força Nacional que encerra suas atividades no Estado. Destaca-se que em nenhum momento foi questionado o mérito do profissional agraciado com a maior honraria do Estado, a Comenda de Ordem ao Mérito Forte São Joaquim, mas as criticas surgiram porque a ampla divulgação do acontecimento foi feita em meio a uma onde de reclamações sobre saúde, segurança e até a condição das estradas vicinais.

 

Fora da realidade

Ou seja, enquanto o cidadão de Roraima enfrenta toda a ordem de dificuldades agravadas pela má gestão, pela corrupção e agora também pelos efeitos da crise migratória, o Governador parece permanecer alheio a tudo isso, o que se comprova de modo geral, em suas redes sociais. Por que não usar essa estrutura de comunicação para dar uma satisfação à população? Por que não destacar ações positivas do Governo que realmente, vão surtir efeitos na vida do cidadão? Ao priorizar temas tão pouco relevantes, Denarium enfraquece qualquer possibilidade de reconquistar a empatia da população e até a confiança de que ele será capaz de resolver os problemas de Roraima. Uma medalha de Honra ao Mérito não muda a vida de nenhum roraimense e só mostra que o Governo parece seguir fora da realidade.

 

Visita pra gringo ver

Quando decide tentar buscar uma conexão com a população, o governo erra feio. Sábado (14), os grupos foram tomados por reclamações no atendimento dos Prontos Socorros do Cosme e Silva e HGR. Denarium decidi então, fazer uma visita "surpresa" na maternidade. Inclui-se as aspas para destacar que nem foi tão surpresa assim porque a nova secretária Cecília Lorezon se antecipou, avisando por whats alguns servidores da unidade sobre a chegada do governador. Isso deu tempo de organizar melhor o ambiente para a chegada do gestor. O Governador passou rapidamente pela Maternidade e conversou com algumas mães. Nas redes sociais, ele explica que sua motivação está em ver que as pessoas estão sendo bem atendidas. A nota diz ainda que ele pedidos das pacientes por melhorias e que essas melhorias virão com ações futuras realizadas na Maternidade. Basta saber quanto tempo isso vai demorar. Na prática, as visitas de Denarium se mostram menos eficientes que seus discursos.

 

Corrupção Presente

Denarium fortaleceu sua campanha política ao reproduzir uma frase pronta de que em seu governo não haveria espaço para a corrupção. Esqueceu que a corrupção já estava instalada na sua chapa desde que aceitou receber o apoio, dividir estrutura de palanque e até a governamental com o senador Mecias de Jesus (PRB) que é envolvido até o pescoço com o maior esquema de corrupção da história de Roraima, o Escândalo Gafanhoto. Mecias teve a mulher e o sogro presos pela Polícia Federal por gerenciarem a estrutura do esquema. Fora isso, pesam outras graves denúncias contra o parlamentar que vão desde a sua multiplicação de bens até a suspeita de favorecimento indevido com o uso de uma empresa que pertence ao seus primos e que ganhou diversos contratos com o Governo, especialmente, na Secretaria Estadual de Saúde. Portanto, a gestão de Denarium já nasceu com a corrupção presente.

 

Ilegalidades

O comportamento de Mecias com a gestão da coisa pública não mudou. Ele ganhou o comando político de diversas pastas, incluindo a CAERR onde acomodou seus principais assessores e familiares. Entre eles, o genro Andre Noleto que foi denunciado por estar gozando de férias com menos de seis meses de contrato. Dizem também que a gestão da CERR está no comando do senador, e por lá o que mais se houve são os apelos de servidores demitidos injustamente, alguns deles estão em tratamento de saúde devido a acidentes de trabalho e ainda assim, foram dispensado seguindo o comando de Mecias. Outra pasta que tem a influencia do senador é a Codesaima e por lá, a situação deve ficar bem delicada nos próximos dias.

 

Minha de Dinheiro

As três pastas que supostamente tem o comando político de Mecias são órgãos com arrecadação própria, ou seja, movimentam muito dinheiro, por isso, o interesse do parlamentar. Agora, outra denúncia grave envolve uma das pastas que também teria o controle político de Mecias. Protocolada junto à Procuradoria do Trabalho, a denúncia afirma que o diretor-presidente da Companhia, Anastase Vaptisti, estaria envolvido em um esquema de favorecimento familiar. Isso porque a empresa do seu próprio pai, a Esparta Empreendimentos e Exploração LTDA, mantém um contrato de quase R$ 12 milhões com a Codesaima. A denúncia afirma que a nomeação do diretor presidente fere o princípio básico de moralidade na administração pública. Mais que isso, tal situação escancara mais um podre da gestão de Antonio Denrium diferindo muito do seu discurso de campanha. É um governo que está sim, impregnado de corruptos em busca de uma minha de dinheiro. O exemplo de Anastase confirma isso.

  

Violência

O número de homicídios registrado neste fim de semana também chamou a atenção. Foram corpos encontrados, pessoas executadas a tiro e até com marteladas na cabeça e muitas das ocorrências ainda seguem em investigação para se tentar descobrir qual a motivação dos crimes. Fazia tempo que o Roraimense não presenciava um fim de semana tão sangrento que expõe completamente a deficiência da segurança pública em Roraima. Coincidência ou não, essa nova onda de assassinados acontece logo após a transferência de mais de 500 presos para da Cadeia Pública para a Penitenciária Agrícola do Monte Cristo. A decisão do Governo do Estado deixou muita gente apreensiva, afinal reunir tantos presos significa colocar reunir facções sejam elas colaboradoras entre si ou ainda pior, rivais.

 

Relatório

Essa mudança dos presos contrária inclusive o que foi orientado no relatório da Comissão Externa da Câmara Federal que visitou o Estado, trazendo o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), filho do presidente para conhecer de perto as necessidades do Estado e especialmente, as dificuldades diante da crise migratória. O documento elaborado pelo grupo destaca a necessidade de separar presos brasileiros de estrangeiros para evitar que os venezuelanos, por exemplo, sejam coagidos a fazerem parte das facções criminosas. No texto, os deputados apontam que a condição de vulnerabilidade pode deixar os imigrantes mais expostos ao assédio das facções e está claro que Roraima entrou definitivamente na rota do crime organizado, basta lembrar do avião que fez pouso forçado na BR-174 com 39 quilos de cocaína. Ao que tudo indica, ele teria sio abastecido com a droga em Pacaraima. E onde há grane circulação de entorpecentes, há quem comande o tráfico, ou seja, as facções. Agora é acompanhar quais serão as providências adotadas.


SEE ALSO ...