Roraima em Alerta

Frutuoso rompe e insinua que Denarium favorece apenas seus amigos empresários

280819 RR Alerta


Agitação

A terça-feira (27) foi um dia de muita agitação política em Roraima. Primeiro, o anúncio inesperado do vice-governador Frutuoso Lins (PTC) que, pela segunda vez, convoca a imprensa para dizer que está rompendo relações com o Governo porque seu líder, Antonio Denarium (PSL) não está cumprindo suas promessas de campanha. Segundo, porque os deputados confirmaram artilharia pesada contra o governador, aprovaram a instalação da CPI da Saúde e também anularam os efeitos da exoneração dos servidores da Codesaima. Ou seja, Denarium vai ter que manter esses servidores.

 

AgroShow

Desta vez, ao que tudo indica, o motivo da discórdia entre Frutuoso e Denarium tem nome e sobrenome: Agroshow. O vice não concorda que sejam destinados recursos públicos, já tão escassos para a realização de uma festa. Para Frutuoso, esses recursos precisam ser aplicados em áreas prioritárias, onde há maior necessidade e melhor retorno para a população como a saúde, educação e segurança por exemplo. Nesse argumento, Frutuoso tem total apoio da população, basta saber como os demais secretários e apoiadores de Denarium irão reagir à novas postura do vice que agora, se diz livre para criticar o governo (do qual faz parte).

 

A quem interessa?

Frutuoso anunciou rompimento com o governo mas continua ocupando o cargo de vice, o que é totalmente incoerente com sua decisão. Quem teceu um comentário muito lógico para explicar isso foi o deputado estadual Jorge Everton (MDB), durante entrevista no programa Rádio Verdade. O deputado lembrou que em caso de ausência do governador quem assume é Frutuoso e portanto, permanecendo no cargo ele corrobora, participa e é co-responsável pelas ações do Executivo Estadual. Então, a quem interessa fazer esse novo anúncio agora?

 

Memória

As pessoas lembram a primeira vez que o vice-governador se queixou de não ter espaço no Governo. Na época, ele até reforçou a reclamação que havia feito nas redes sociais em entrevistas a alguns veículos. Mas, dois depois, apareceu "dialogando" com Denarium, como se nada tivesse acontecido. A ordem foi deixar o passado pra trás e seguir em frente. Mas, pelo visto o governador não está cumprindo com alguma parte desse combinado. Agora, a população espera que Frutuoso mantenha sua posição e até se afaste da função de vice-governador, ou ainda, dê nomes aos bois. Todos querem saber de quem é a culpa pelos péssimos resultados da atual gestão. O povo tem memória e vai cobrar.

 

Na ALE

Com adesão de vários servidores, os deputados estaduais também fecharam o cerco contra Denarium. Primeiro, reverteram a decisão do chefe do Executivo que tinha levado à demissão de servidores aprovados no concurso público da Codesaima. O governo terá que acatar a decisão da Assembleia Legislativa e definir onde esse servidores irão atuar. Além disso, os deputados concluíram o principal capítulo da novela da CPI da Saúde que teve sua instalação autorizada e passará a coletar dados para verificar como os recursos da pasta estão sendo usados.

 

Enfraquecimento

Os fatos acima não possuem correlação entre si, mas geram um baita prejuízo à imagem de Antonio Denarium. Aliás, pra variar, o governador nem está em Roraima. Diz que continua em Brasília, visitando os Ministérios e chorando por mais dinheiro, aquele mesmo que não era problema. Afinal, o problema de Roraima era só gestão, né? Sem o apoio de seu vice e claramente, com quase a totalidade dos deputados estaduais contrariados com suas decisões, Denarium está cada dia mais isolado no seu único grupo fiel: o de secretários empresários.

 

Matadouro

E falando ainda na questão da Codesaima, um observador atento da política local enviou mensagem para a Coluna destacando que o Governo Estadual não fez praticamente nenhum esforço para tentar reverter a situação da dívida do Mafir, que até pouco tempo, era o único matadouro com as licenças necessárias para fazer o abate de animais, servindo especialmente, aos pequenos produtores. Nessa mensagem, o alerta é para os interesses que levaram a atual gestão estadual deixar o Matadouro se afundar na dívida existente. Para o autor da observação, a única explicação seria o interesse de Denarium em movimentar o empreendimento de que é sócio, o Frigo10. Com monopólio na atividade, a empresa teria condições aplicar qualquer preço pelo serviço e ao que tudo indica, esses valores estão bem acima daqueles que os pequenos pecuaristas de Roraima estavam acostumados e têm condições de pagar, comprovando que o Governo do Estado virou mesmo uma grande empresa à serviço do interesse de Denarium e seus amigos mais próximos. Essa tese também é cogitada como um dos motivos para o racha com o vice-governador, ele chegou a afirmar que Denarium só liga para os empresários do agronegócio e não para os pequenos produtores.

 

Penalizar

Na entrevista que concedeu nesta terça-feira (27), ao programa Rádio Verdade, da 93 FM, o deputado Jorge Everton esclareceu que concordou com o retorno dos aprovados no concurso da Codesaima porque não cabe aos servidores arcarem com os problemas da dívida do Estado. Para ele, a demissão só pode ocorrer mediante tramites legais, com abertura de PAD (Processo Administrativo) e dando condições para que o servidor exerça seu direito de ampla defesa. Desta maneira, os aprovados na Codesaima vão voltar e compete ao Executivo definir como aproveitar essa mão de obra.

 

Tem dívida ou crédito?

Denarium passou a campanha exaltando que a sua gestão seria marcada pela transparência nos atos públicos. Porém, recentemente, dados do Tesouro Nacional mostraram que o governador andou aumentando um pouquinho o problema da dívida do Estado que não é tão grande como ele afirma. Esta semana, algumas pessoas que falaram criticando o governo destacaram que o Estado tem um superávit ou seja, tem dinheiro disponível. Agora, fica a reflexão: se tem dinheiro sobrando porque a saúde continua um caos? Por que a Polícia Civil está desamparada, até sem papel para imprimir os boletins de ocorrência? Existe uma enorme incoerência entre o discurso de Denarium e o reais números das finanças públicas de Roraima.

SEE ALSO ...