Roraima em Alerta

Mecias copia projeto que já existe no Senado

090819 RR Alerta


PLÁGIO
Parece que alguns parlamentares que estão representando Roraima no Congresso Nacional não têm novas ideias. Numa total falta de criatividade, alguns estão apenas pegando carona em projetos já existentes, seja na Câmara ou Senado. O exemplo mais recente foi uma proposta apresentada pelo senador Mecias de Jesus (PRB) tratando de tornar responsabilidade da União a educação indígena. Ao invés de se dar ao trabalho de pesquisar sobre as propostas legislativas que tratam do tema, o senador copiou uma ideia que já existe e está em plena tramitação no Senado desde 2018.


CONFERE
Qualquer cidadão pode pesquisar pelo projeto nº 124/2018. Ele foi lido em plenário no dia 21 de março de 2018, data que marca o início da tramitação e propõe que a União assuma a responsabilidade integral pela oferta da educação indígena. Mesmo sendo uma proposta nacional, a ideia original nasceu em Roraima com o então senador Romero Jucá (MDB), autor do projeto. Ele decidiu defender a ideia depois que conversou com lideranças indígenas e verificou a dificuldade do Governo e prefeituras em manter a oferta do ensino nas comunidades. Mecias nem se deu ao trabalho de pesquisar.


VERGONHA
O que o eleitor sente ao ver que um parlamentar não faz o mínimo que seu dever de casa que é de pesquisar, estudar sobre os temas que pretende defender? No mínimo um sentimento de vergonha. Até o momento, Mecias não cumpriu as promessas de campanha, sendo que uma delas trata do início das obras do linhão de Tucuruí ainda no primeiro semestre deste ano. Ele passou a campanha inteira pregando a ideia de renovação como se não tivesse ocupado por mais de 24 anos uma cadeira legislativa e atribuindo a políticos a responsabilidade pelos problemas de Roraima. Agora, no Senado, tudo o que conseguiu foi manchar o próprio nome com o envolvimento na confusão que levou à anulação e uma demora infinita das eleições para a presidência da Casa.


PROVAS
Apesar de a Corregedoria do Senado ter aberto uma investigação para apurar os fatos, Mecias se safou porque o caso foi arquivado. Segundo a revista Crusoé, que analisa os bastidores da política nacional, a Corregedoria tinha desde fotos e imagens que comprovavam ser Mecias o responsável pela confusão na eleição do novo presidente. Mas, se existem essas provas, porque o parlamentar não foi penalizado? Por simples acordo político. Segundo consta, havia um entendimento entre Davi Alcolumbre e Fernando Bezerra para estimular que Mecias confessasse ter colocado uma cédula a mais na urna de votação, isso seria tratado em uma reunião que nunca aconteceu. Mecias não conteve o orgulho e ao invés de acatar a sugestão dos colegas, passou a ameaçá-los, informando que se ele fosse punido, os dois seriam culpados por fazerem parte da comissão que presidiu a sessão.


REVERTEU
Foram essas ameaças, conforme a revista Crusoé, que fizeram Alcolumbre e Bezerra mudarem o discurso. Se antes os dois eram favoráveis à apuração dos fatos, passaram a colocar panos quentes, desviar a conversa e, assim, mesmo com farto material de fotos e imagens, mostrando inclusive uma cédula diferente de todas as demais na mão de Mecias de Jesus, a decisão foi pelo arquivamento da investigação. Dessa o senador roraimense se livrou, mas, existem outros processos citando o Milagreiro que podem complicar muito a vida política. É por isso que ele anda tão inquieto e pouco tem transitado por Roraima.

SUJOU
Quem não conseguiu melhorar em nada sua imagem foi o filho de Mecias, o deputado federal em terceiro mandato Jhonatan de Jesus, também do PRB. Ao retornar para o segundo semestre legislativo, o jovem parlamentar foi apontado como o deputado federal da bancada roraimense que mais gastos fez nos primeiros seis meses do ano. Ele usou mais de R$ 1 milhão entre verbas de gabinete e custeio de serviços, incluindo uma pesquisa supostamente realizada em Boa Vista e municípios do Sul do Estado. Até seria razoável entender os gastos do deputado caso o mesmo realizasse um trabalho que desse um retorno para a sociedade roraimense. Porém, não é o caso. Ao mesmo tempo em que consumiu quase toda a verba a que tinha direito, Jhonatan foi o deputado que mais faltou às sessões legislativas da Câmara Federal. Ou seja, não cumpriu nem o mínimo da obrigação.


QUESTIONADO
Ontem, Jhonatan embarcou na onda do #TBT, gíria usada na internet para que as pessoas compartilhem uma lembrança. Não se sabe ao certo quem deu a ideia, mas nas redes sociais começou a circular uma arte com a lembrança de recursos destinados por Jhonatan para equipar o Hospital das Clínicas e, segundo a publicação, a unidade estaria 100% equipada. Bastou isso para que a população começasse a questionar onde foi parar o dinheiro anunciado na imagem. Como é de conhecimento geral, o Hospital das Clínicas ainda não funciona de maneira integral e apresenta muitos problemas. O prédio está praticamente vazio por falta de profissionais, equipamentos e materiais. É uma grande estrutura subutilizada e que ainda vai consumir mais R$ 10 milhões para ser concluída. Pelo menos, foi isso que anunciou o governador Antonio Denarium em uma entrevista de rádio.

SUGESTÃO
Considerando que outro deputado federal, Hiran Gonçalves (PP), não desiste da ideia de implantar em Roraima o Hospital do Amor para o tratamento de pacientes com câncer, a Coluna registra uma sugestão: por que ao invés de usar R$ 30 milhões para construir um novo prédio, os serviços desta unidade especializada não são instalados nas áreas que estão disponíveis do Hospital das Clínicas? Sobrariam R$ 30 milhões para equipamentos, materiais médico-hospitalares e ainda medicamentos. Ou quem sabe, ele poderia devolver os R$ 30 milhões para a emenda que ajudou a anular e que seria usada pela Prefeitura de Boa Vista para realizar mais obras de asfalto e drenagem pela cidade. Tá feito o registro.


ONDE ESTÁ DENARIUM?
O governo suspendeu mais uma vez as concessão de promoções aos policiais militares, o teto da maternidade está em condições precárias, com goteiras sempre que chove e o Hospital Geral também não está tão diferente disso. Nas escolas da capital, pais e alunos denunciam que a merenda escolar é um sachê de iogurte vencido e no interior, a maior reclamação é das condições das estradas vicinais. Tudo isso está acontecendo e onde Denarium está? O governador segue agenda fora de Roraima e dessa vez registrou encontros com representantes da alta cúpula do Governo Federal. Foram feitas várias promessas de apoio para a solução de problemas que o Estado enfrenta, mas a população segue incrédula nos. As promessas de campanha foram tão mirabolantes, cheias de soluções rápidas e atestando que "não era falta de dinheiro e sim de gestão" que está difícil acreditar seja no apoio do Governo Federal, seja na capacidade de Denarium e sua equipe de gerir o Estado. Enquanto o governador viaja, os problemas seguem os mesmos em Roraima.


SEE ALSO ...