Roraima em Alerta

Por que a saúde estadual não melhora?

030519 RR Alerta


 

Contraditório

Ontem a Coluna destacou que a fala do governador Antônio Denarium (PSL) sobre a dívida do Estado estava sendo questionada por especialistas em gestão pública. Conforme dito, o governador parece que anda exagerando nos números que apresenta em suas reuniões oficiais, tudo para justificar a decisão de manter o Estado sob a condição do decreto de calamidade e também para justificar sua própria incapacidade em resolver alguns problemas.

 

Novo fato

E ainda na quinta-feira (1), um novo fato veio confirmar a teoria descrita acima. Simplesmente o Governo do Estado que anda com uma dívida milionária, sem dinheiro para investimentos, para compra de medicamentos, para o pagamento do transporte escolar, decidiu doar R$ 28 milhões para a construção de um novo prédio para o Ministério Público Estadual. O documento circulou nos grupos de whats, mas não chegou a ser confirmado pelo próprio governo, nem pelo MPE que preferiram manter silêncio sobre o tema.

 

Tá faltando?

Com essa decisão, a pergunta que ecoou foi: tá faltando mesmo dinheiro? Para quem não lembra, houve toda uma negociação com os poderes para congelar o duodécimo. A primeira decisão ainda relativa ao orçamento 2019, foi destinar esses recursos economizados para a continuidade do concurso público da Polícia Militar. Há poucos meses, o mesmo tema voltou à pauta, com a Assembleia Legislativa intervindo e mediando o acordo para que mais de R$ 70 milhões fosse destinados à saúde, uma das áreas mais afetadas pela crise econômica e, conforme as últimas denúncias, também pela corrupção.

 

Entrou grana

Paralelo a essa economia, que deveria favorecer as necessidades prioritárias descritas acima, o que se viu foi a arrecadação estadual aumentar. A receita do ICMS se mantém maior que a registrada nos últimos anos, além disso, o Fundo de Participação dos Estados (FPE) também melhorou. Só em julho, o Governo recebeu em conta R$ 4,3 milhões a mais, comparado com o mesmo período do ano passado. Assim, qualquer um pode afirmar que entrou grana. Porém, são poucos que podem dizer como esse dinheiro está sendo usado.

 

Nada!

Se foi priorizado dinheiro para a continuidade do concurso da Polícia Militar, porque o novo edital do certame ainda não foi publicado? Se tem dinheiro garantido para a saúde que, além da economia do duodécimo dos poderes, vai receber também mais recursos do Governo Federal de aporte para a realização de cirurgias eletivas, porque os pacientes continuam reclamando das péssimas condições do atendimento e tratamento ofertado no Hospital Geral de Roraima? Mesmo com dinheiro a mais e, com o compromisso de cumprir essas duas pendência, Denarium não conseguiu fazer nada.

 

Suspeitas

Considerando essa realidade tem gente comentando pelos bastidores que o governador estaria guardando essa grana para garantir o financiamento dos seus candidatos nas eleições municipais. Ao que tudo indica, Denarium acredita que a ação judicial pela qual responde não vai avançar e com isso, ele permaneceria no Governo até o fim do mandato ou pelo menos, até a realização das eleições municipais, onde financiaria seus candidatos em troca de apoio político. Pelo que se vê, algumas conversas do tipo já começaram. Em municípios, como Mucajaí, por exemplo, Denarium já teria seu candidato apadrinhado para a prefeitura. Porém, são apenas as especulações do meio político, boatos que, conforme a Coluna destacou ganharam força depois das últimas notícias sobre a arrecadação e decisões do governo.

 

Parceria

Outra fofoca que ganhou força depois da notícia da destinação de recursos para a sede do Ministério Público Estadual, seria de um possível acordo político entre o Executivo e órgão do legislativo. Denarium responde a um grave processo judicial e estaria tentando protelar a decisão ao garantir que seria o único responsável pela liberação desses recursos. Por outro lado, dentro do atual cenário de enfrentamento político local, seria mais um sinal de que ele estaria trabalhando para enfraquecer a imagem do presidente da Assembleia Legislativa, Jalser Renier (SD), que assumiria o governo no caso da cassação do seu mandato. Ao que tudo indica, as cartas estão sendo postas no tabuleiro político de Roraima e os embates podem se tornar os mais surpreendentes desde que o Estado deixou de ser Território Federal.

 

Por que não melhora?

E já que a Coluna está reproduzindo alguns dos boatos que circulam pelos bastidores da política, registramos mais um tema que merece uma reflexão atenciosa. Por que a saúde estadual não melhora mesmo com dinheiro a mais? A resposta, segundo alguns apostam, estaria no desejo de um parlamentar federal de promover a interdição da pasta. Esse parlamentar é o mesmo que tirou dinheiro de uma emenda destinada à obras em Boa Vista para capitalizar uma unidade de saúde do Estado de São Paulo. É também o mesmo cujo a esposa já manifestou o desejo de concorrer à Prefeitura de Boa Vista. Mesmo com muitos dizendo que ele e Denarium não se bicam, há uma corrente contrária a essa afirmação que dá conta de um interesse comum partilhado entre os dois.

 

Cedeu

Denarium estaria cedendo aos caprichos do referido parlamentar na tentativa de buscar mais um apoio político para melhorar sua imagem e se manter no poder. Em troca, garantiria o apoio à esposa do colega caso a mesma confirme sua candidatura à Prefeitura. Assim, a suspeita que se tem é de que os investimentos na saúde continuariam a passos de tartaruga, semelhante ao que aconteceu no primeiro semestre, quando mesmo em condição de calamidade, o Governo não conseguiu avançar na melhoria dos serviços. Neste cenário de caos, onde a população é quem mais sofre, o acordo político daria condições para que o deputado federal negociasse a vinculação da administração da saúde estadual a uma OSCIPE, traduzindo: uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público Funciona quase como uma empresa que assumiria a função de gerir a Secretaria Estadual de Saúde e com isso, a grana que vem para a pasta seria facilmente administrada também pelo referido parlamentar. É aguardar para ver se essa propostas mirabolante se concretiza.

 

Aguardem

Na próxima semana a Coluna vai repercutir um fato grave que vem sendo denunciado por algumas pessoas. Ao que tudo indica, o Governo de Roraima estaria funcionando como uma estrutura de fachada para negociatas particulares de empresários falidos, agiotas e até produtores rurais. O fato já deixou de ser fofoca e começa a se concretizar com algumas denúncias de pessoas que foram convidadas para "conhecer" o potencial produtivo do Estado. A coluna ainda não pode adiantar muitos detalhes do fato que está em apuração. Mas, é uma nova situação que merece atenção total da s


SEE ALSO ...