Últimas Notícias

'Queremos transferência', exigem familiares de presos em nova manifestação

Ato ocorreu em frente à Penitenciária com parentes munidos de cartazes; eles temem novos massacres dentro da unidade

Créditos: Ana Paula Lima e Anderson Soares
Manifestantes exigem retorno imediato dos presos da Penitenciária à Cadeia

Familiares de presos voltaram a protestar nesta quarta-feira (17) devido à transferência de 511 detentos da Cadeia Pública de Boa Vista para a Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (PAMC). Esse é o terceiro ato das famílias dos reeducandos e teve início por volta das 15h em frente à maior unidade prisional do Estado.

A realocação dos detentos, realizada pela Secretaria Estadual da Justiça e Cidadania (Sejuc) na noite de sexta-feira (12), causou revolta nos familiares, que temem novos atos de retaliações entre os presos de facções criminosas rivais. Entre 2016 e 2017 foram 47 mortos em massacres na Penitenciária. Por causa disso, eles foram separados.

Com cartazes e palavras de ordem "Queremos transferência!", as esposas e mães dos presos solicitavam que os reeducandos voltassem imediatamente à Cadeia Pública. "Não é seguro depois do que teve em 2017. Queremos que eles voltem. [Tememos] o pior. Todo mundo sabe o que pode acontecer", disse a mãe de dois presos, a diarista Kátia Conceição.

Ela denunciou ainda a situação dos apenados dentro da Penitenciária, que estariam sem receber visitas, kits de higiene, roupas, e alguns dormindo no chão. O Roraima em Tempo entrou em contato com o Ministério da Justiça e Segurança pública, responsável pela coordenação da unidade que está sob intervenção federal, e aguarda retorno.

"Dói no coração de cada mãe, esposa e filhos. Foi uma transferência que a gente não esperava porque são vidas que estão sofrendo e sendo amarguradas. Nenhum promotor e juiz passa a noite pensando em pesos. A gente sim. Em 2017, a polícia não entrou de imediato para conter a situação. Se Deus não colocar de novo e a Justiça não abrir os olhos, vai ter de novo. A Penitenciária não é um canil", afirmou a auxiliar de serviços gerais Lurdes Souza.

AUDIÊNCIA

A Juíza Joana Sarmento de Matos designou uma audiência interinstitucional com a participação dos órgãos de execução penal para que sejam apresentadas informações sobre a transferência e os procedimentos cabíveis com o cenário atual. O pedido foi feito pela Defensoria Pública do Estado (DPE) e pelo Ministério Público de Roraima (MPRR).

A audiência deve ocorrer no Gabinete da Vara de Execuções Penais no dia 22 de julho, às 14h. Durante a reunião, o secretário da Sejuc deve apresentar o quantitativo exato de presos transferidos, critérios utilizados para que os presos fossem transferidos de uma unidade à outra e a quantidade de detentos que permaneceram na Cadeia Pública, entre outras justificativas.

SEE ALSO ...