Últimas Notícias

Criminosos furtam hidrômetros e desligam disjuntores para tentar roubar casas em Boa Vista

Ação ocorreu no bairro Jóquei Clube, zona Oeste da cidade e chamou a atenção de moradores

Créditos: Winicyus Gonçalves
Furtos ocorreram durante a noite - Edinaldo Morais/Roraima em Tempo

Moradores do Conjunto Servidor, no bairro Jóquei Clube, zona Oeste de Boa Vista, denunciaram ao Roraima em Tempo que os disjuntores de energia amanheceram desligados e os hidrômetros foram furtados no início da manhã de segunda-feira (9).

A ação, segundo a denúncia, pode ser uma nova modalidade de assalto para que os moradores saiam de casa durante o período da noite por estarem sem água e luz. Os criminosos desligam o padrão de energia da casa da vítima para atraí-la para o lado de fora da casa e roubar a residência.

"Quando amanheceu e ficou tudo claro, fui olhar no lado de fora da casa e vi o disjuntor desligado. Na casa de uma das moradoras, chegaram a arrebentar a caixa do disjuntor com o martelo para desligar as luzes", conta a professora Ivone Correia, que afirmou ter colocado cadeado para tentar evitar a ação. 

A estudante Julianne Garcia acordou por volta das 5h e percebeu que a casa estava sem energia. Mas ao ver que do lado de fora havia iluminação pública na rua, saiu para verificar o padrão que estava aberto.

"Eu levantei e escutei um grito e corri para sala pensando que era a minha avó. Fiquei esperando para ouvir se o grito iria se repetir. Foi quando a luz acabou", conta Julianne.

A ação suspeita chamou a atenção de quem mora na Rua Turquesas, onde ocorreram os furtos. Os moradores se organizaram em grupos de aplicativo de mensagem para alertar a quem reside perto do local do crime.

HIDRÔMETROS

O equipamento que registra o consumo de água dos imóveis está na mira dos criminosos por conta do cobre, material que compõe o aparelho e que pode ser vendido em ferros-velhos. No primeiro semestre de 2019, a Companhia registrou 398 casos de furtos de hidrômetros na Capital. Em 2018, foram 290 equipamentos furtados, um aumento de 37,2%, e responsável por um prejuízo de R$ 60 mil.

O hidrômetro é a forma mais justa de se cobrar a fatura de água, pois ele mede o consumo real nas residências, estabelecimentos comerciais e instituições públicas.

Quando o crime ocorrer, os usuários devem imediatamente registrar o boletim de ocorrência e se encaminhar até a Companhia de Águas e Esgotos (Caer) para que os procedimentos sejam realizados. Em 2017, o prejuízo foi de quase R$ 21 mil.

Em alta desde o ano passado, o furto de hidrômetros é alvo de atenção da Caer e da Delegacia de Repressão à Crimes contra Administração Pública da Polícia Civil. As duas entidades se reuniram para discutir e traçar metas para o combate ao crime de furto dos equipamentos. 

SEE ALSO ...