Últimas Notícias

Críticas a postura de secretários pode levar Governo a fazer novas alterações no primeiro escalão

O Governador Antonio Denarium (PSL) estaria sendo pressionado por aliados que temem desgaste de sua imagem devido a postura de alguns dos seus secretários. Pelo menos duas pastas podem sofrer mudanças de comando nos próx


- Reprodução

Uma onda de insatisfação e reclamações contra decisões da atual administração estadual pode gerar novas mudanças no primeiro escalão do Governo. Conforme o Roraima em Tempo apurou, pelo menos duas mudanças devem ser anunciadas nos próximos dias, num esforço para melhorar a imagem de Antônio Denarium (PSL) e minimizar a onda de reclamação contra suas decisões administrativas.

 

Nos bastidores, é dada como certa a saída do secretário estadual de Planejamento, Marcos Jorge de Lima. Ele que já foi Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, foi anunciado por Denarium como uma de suas escolhas para o secretariado ainda no período de intervenção.

 

Marcos Jorge é uma das indicações políticas de Mecias de Jesus e integram o mesmo partido, o PRB. Como parte do acordo firmado na campanha eleitoral, coube a Mecias as indicações para a Secretaria Estadual de Planejamento, Caerr, CER e Codesaima.

 

De acordo com fontes do Palácio, Marcos Jorge foi o responsável por sugerir a maior parte da Ações de Inconstitucionalidade (ADI) apresentadas pelo Governo do Estado ao Supremo Tribunal Federal. De cinco ADI, quatro tratam exclusivamente de mudanças em leis estaduais que irão gerar perdas de direitos conquistados por servidores estaduais.

 

Duas ações atingem diretamente os profissionais da educação. Na ADI 6091 que trata do Plano de Cargos e Remuneração da Educação Básica ainda está em análise e pode afetar desde a carga horária de trabalho até o rendimento de professores, especialmente, indígenas e celetistas, sendo que o salários desses profissionais pode cair pela metade, caso o STF considere procedente os argumentos apresentados pelo Governo.

 

Já a ADI 6073 que pediu a suspensão da lei estadual que tratava da revalidação dos diplomas de instituições estrangeiras, o Governo conseguiu uma liminar que anulou os efeitos da lei. Isso implica na progressões dos profissionais que optam por buscar uma qualificação no exterior. A mudança impactou em progressões e gratificações por titulação, gerando perdas nas remunerações que, segundo o Sinter, chegaram a R$2 mil em alguns casos.

 

"Se eles querem promover uma economia porque não começam retirando dos próprios salários, de secretários e cargos comissionados do alto escalão? O governador anunciou que abriria mão do seu salário, por exemplo, mas não vimo isso. Não vamos permitir que venham retirar dos salários dos professores", questionou o presidente do Sinter, Flávio Bezerra.

 

O Sindicato recorreu à Assembleia Legislativa em busca de apoio. Nesta terça-feira (20), o presidente Jalser Renier (SD) assinou um termo de compromisso afirmando que irá garantir na orçamento estadual, previsto para ser votado na primeira semana de abril, os recursos necessários para que a Universidade Estadual de Roraima (UERR) faça a revalidação dos diplomas. A medida pode beneficiar 300 professores.

 

"Entendemos as dificuldades enfrentadas pelo Estado, mas nós, que temos a Escola do Legislativo, que investimos em educação, não podemos olhar para uma causa desta e fingir que isso não está acontecendo. Investir no professor significa investir no Estado", afirmou Jalser.

 

Apesar da movimentação feita pelos servidores da Femarh e pelo próprio Sinter, o senador Mecias de Jesus, responsável pela indicação política de Marcos Jorge, ainda não se pronunciou sobre o assunto.

 

Comunicação - Outra mudança no Governo pode afetar a pasta da Comunicação. Tudo indica que o atual secretário Marquinhos Marques, responsável por parte dos materiais produzidos na campanha de Denarium, deixe o cargo nos próximos dias.

 

Nos bastidores, fala-se que Denarium já teria alinhavado uma conversa prévia com o jornalista e empreendedor Webber Negreiros. Ele que já comandou comunicações como a da Prefeitura de Boa Vista, viria para tentar melhorar o relacionamento com a imprensa e outros divulgadores locais.

 

Recentemente, o secretário Marquinho foi citado em uma polêmica envolvendo o professor Abel Mangabeira. Ele foi acusado de utilizar a Rádio Roraima, empresa de comunicação estatal, para tecer comentários ofensivos relativos à deficiência visual do professor. Apoiadores de Denarium saíram em defesa do secretário de comunicação, tentando esclarecer que o comentário não foi uma ofensa pessoal.